A caravana do sonho e da esperança

E de nada adiantou a perseguição política dos últimos dois anos sem que houvesse qualquer prova. Tentaram até transformar uma condução coercitiva arbitrária em espetáculo de cinema. Não emplacou nem o filme e nem as acusações de que o triplex em nome da Caixa Econômica. Os dois foram fracassos retumbantes. Foi essa mensagem óbvia que a população mais pobre entendeu da passagem de Lula pelo Ceará

E de nada adiantou a perseguição política dos últimos dois anos sem que houvesse qualquer prova. Tentaram até transformar uma condução coercitiva arbitrária em espetáculo de cinema. Não emplacou nem o filme e nem as acusações de que o triplex em nome da Caixa Econômica. Os dois foram fracassos retumbantes. Foi essa mensagem óbvia que a população mais pobre entendeu da passagem de Lula pelo Ceará
E de nada adiantou a perseguição política dos últimos dois anos sem que houvesse qualquer prova. Tentaram até transformar uma condução coercitiva arbitrária em espetáculo de cinema. Não emplacou nem o filme e nem as acusações de que o triplex em nome da Caixa Econômica. Os dois foram fracassos retumbantes. Foi essa mensagem óbvia que a população mais pobre entendeu da passagem de Lula pelo Ceará (Foto: Dedé Teixeira)

Os olhos do Brasil inteiro se voltaram nessa semana para o Ceará. Quando Lula desembarcou em Quixadá, o sertão cearense se reencontrou com o seu eterno presidente. Foi o momento onde o criador de tantas políticas sociais se reencontra com a própria criação e – como nunca antes – num momento decisivo.

O golpe parlamentar avançou mais uma etapa e caminha a passos largos com o objetivo de enterrar políticas públicas que trouxeram dignidade ao povo brasileiro. Somente em agosto, 41 mil cearenses perderam o auxílio do Bolsa Família no momento em que o Brasil enfrenta a pior crise econômica dos últimos tempos.

É ainda pior. Como sempre careceu de representatividade, por um lado, um governo ilegítimo se sente obrigado a comprar o apoio da elite econômica fatiando o que não lhe pertence. É o retorno da nefasta privatização. Por outro, um governo impopular é carregado no lombo por figuras de reputação duvidosa que achacam em troca de emendas parlamentares.

Não é diferente no Ceará. Em pouco mais de um ano, esse mesmo governo fechou as portas a Usina de Biodiesel de Quixadá e ameaça acabar com a verba de custeio dos estudantes da Universidade da Integração da Lusofania Afrobrasileira (Unilab). Estão mesmo acabando com o Brasil: destruindo para vender barato.

São fatos bem diferentes os que acompanham o "presidente do povão". Se outrora Lula percorreu o Estado contagiando os cearenses com o sentimento de cidadania, nessa semana ele pode ser abraçado pela população pelo muito que realizou. É a única figura de proeminência nacional que pode fazer isso.

E de nada adiantou a perseguição política dos últimos dois anos sem que houvesse qualquer prova. Tentaram até transformar uma condução coercitiva arbitrária em espetáculo de cinema. Não emplacou nem o filme e nem as acusações de que o triplex em nome da Caixa Econômica. Os dois foram fracassos retumbantes.

"Quem fez pode realizar ainda mais". Foi essa mensagem óbvia que a população mais pobre entendeu da passagem de Lula pelo Ceará. É este o sentimento que contagiou em festa toda a "Caravana do Lula": é o retorno de um sonho. Porque nunca é tarde demais para voltar a sonhar e acreditar no dia em que a esperança vencerá mais uma vez o medo.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247