À comunidade judaica

Não escrevo para causar ódio nas pessoas, e nem para ofendê-las gratuitamente. A todos que se sentiram ofendidos eu peço minhas sinceras desculpas. Não era essa a minha intenção 

Não escrevo para causar ódio nas pessoas, e nem para ofendê-las gratuitamente. A todos que se sentiram ofendidos eu peço minhas sinceras desculpas. Não era essa a minha intenção 
Não escrevo para causar ódio nas pessoas, e nem para ofendê-las gratuitamente. A todos que se sentiram ofendidos eu peço minhas sinceras desculpas. Não era essa a minha intenção  (Foto: Lelê Teles)

Quando escrevi o texto "Quem é Judeu", publicado no dia 03/03 aqui no Brasil 247, eu quis dizer uma coisa, mas admito que acabei por dizer outra.

Admito que as interpretações que fizeram do texto não foram de todo descabidas.

Eu reli o texto e acho que adjetivei demais, o texto é ruim porque é ofensivo em demasia.

Ontem, minha esposa veio com o artigo nas mãos um pouco chocada e reclamou do seu conteúdo. Em casa, minha esposa e minha filha seguem tradições judaicas, guardam o sábado, leem a Torá, erguem tenda na varanda (Sukkot) etc. E nós nunca tivemos um único problema em relação a isso.

Foi horrível perceber que eu as tinha ofendido.

Em seguida, foi um domingo terrível, recebi mensagens de amigos judeus, que conhecem o meu texto, e meu estilo, me dizendo que eu havia exagerado e que eles se mostravam também ofendidos.

Depois vi a repercussão negativa nos comentários ao texto com diversas pessoas se sentindo ofendidas.

A todas essas pessoas eu peço minhas sinceras desculpas.

Se eu tivesse tido o cuidado de reler o texto com atenção antes de publicá-lo, ou se minha esposa tivesse lido o rascunho, certos termos que usei no texto não estariam ali.

Por isso mesmo, ao constatar que havia cometido um exagero, pedi para que o editor do site o retirasse do ar. Não escrevo para causar ódio nas pessoas, e nem para ofendê-las gratuitamente.

Nunca tive esse propósito.

Mas retirar o texto não é suficiente, quem escreve e publica deve se responsabilizar pelo que faz, por isso eu estou me retratando.

Algumas pessoas cometeram um exagero e chamaram-me de antissemita e nazista até.

Não sou nenhum nem outro.

Mas elas chegaram a essa conclusão porque o meu texto deixou margem para um tipo de interpretação como essa.

O Breno Altman, aqui do site, é judeu e ele também acha que eu escorreguei, ele também se sentiu ofendido.

Como se vê, foi um equívoco.

A todos que se sentiram ofendidos eu peço minhas sinceras desculpas.

Não era essa a minha intenção.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

O histerismo ideológico do clã Jair Messias e seus seguidores
Ariovaldo Ramos

Depressa!

Se houvesse necessidade, frente a qualquer inimigo externo, Deus levantava um ou uma líder, chamado de juiz ou de juíza, que comandava o povo contra o invasor e, assim, protegia o território e o...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247