A conectividade de uma #GeraçãoValente

Nunca antes em uma eleição a temática de juventude ficou tão evidente e ganhou tanto destaque. Podemos afirmar com tranquilidade que a diversidade da juventude fez a diferença para reeleição da nossa presidenta Dilma

A vitória da presidenta Dilma foi uma grande vitória do povo brasileiro. Chegamos ao fim de mais uma campanha, do Oiapoque ao Chuí o grito da Juventude que Muda o Brasil ecoou expressando com alegria a rebeldia e a coragem daqueles que optaram ser os protagonistas desta história, a nossa juventude. Manifestações de todas as formas coloriram e deram brilho a nossa campanha, uníssonos em na afirmação: "A mudança vai continuar". Cada lágrima, a cada gota de suor, a cada grito de emoção, a cada surpresa rebelde, a cada gesto irreverente, tais expressões reafirmaram a nossa identidade, o nosso jeito, e a nossa forma de dizer: "Aqui está presente a Juventude brasileira"

Essa ação forte que aconteceu na campanha é fruto de um processo ousado nos últimos anos dentro das forças progressistas da Juventude brasileira, das organizações e o diálogo com a diversidade da sociedade.

Tivemos um grande trabalho, com muita luta e disposição vencemos essas eleições e conseguimos dialogar e agregar o campo progressista da juventude brasileira.

Nunca antes em uma eleição a temática de juventude ficou tão evidente e ganhou tanto destaque. Podemos afirmar com tranquilidade que a diversidade da juventude fez a diferença para reeleição da nossa presidenta Dilma.

Nas praças, ruas e redes vamos continuar, aonde as bandeiras irão a tremular e os gritos continuarão a ecoar por mais conquistas.

A nossa vitória foi pela esquerda e deve continuar assim dentro do segundo governo da nossa presidenta Dilma. As pautas da juventude, direitos humanos, cultura, mulheres, igualdade racial, homofobia e segurança pública devem ter um olhar mais forte e ousado nos próximos 4 anos. Vários desafios estão colocados para esse governo e para essa geração que ousou e foi valente durante toda essa eleição.

Esse é o momento de realizar a reforma política e ampliar os mecanismos de participação social e políticas da juventude, bem como articular junto ao Congresso Nacional a aprovação do PL que versa sobre os fim dos Autos de Resistência e priorizar as regiões/cidades/bairros com alto índice de mortalidade juvenil, especialmente da juventude negra e LGBT dentro do plano Juventude Viva.

Na área da educação o desafio aumentou e hoje temos a real necessidade de consolidar a democratização do acesso à educação em todos os níveis, fortalecer o ensino técnico, universitário e realizar a ampla reforma educacional que promova uma profunda revolução pedagógica em todos os níveis de ensino, em especial no ensino médio.

O jovem vem demonstrando cada vez mais o desejo do desenvolvimento livre em espaços diferentes e mais humanizados. É fundamental fortalecer as políticas de convivência do jovem na cidade, possibilitando o acesso ao território e a mobilidade urbana, transformando em parceria com os estados, os centros urbanos, os locais em que os jovens possam viver, bem como fortalecer e ampliar as políticas voltadas para o jovem do campo com vias a garantir o acesso a oportunidades e seu desenvolvimento.

A grande virada na eleição, aconteceu graças a conexão Juventude/Cultura. Temos agora o desafio de vencer à batalha da cultura e fortalecer a produção cultural, artística e simbólica, promovendo a emancipação e valorização da diversidade da juventude. É o momento de ampliar o acesso e a produção de bens culturais em todo Brasil, potencializando as particularidades regionais do nosso país.

Para isso será de extrema importância uma grande articulação nacional para aprovar os 2% do PIB para a Cultura, bem como a retomar e ampliar os Pontos de Cultura.

O desafio agora é continuar essa mobilização em conjunto com os diversos movimentos, os diversos jovens que com muita unidade levou a essa grande vitória do campo popular brasileiro.

Foi uma disputa contra o oligopólio da mídia, contra adversários da direita apoiados pela política neoliberal.

Essa conquista do nosso projeto, representa um marco na história mundial. Um partido de esquerda chegar ao seu quarto mandato seguido.

Não temos tempo a perder... As nossas ações neste segundo governo precisam estar à altura dos desafios deste novo período histórico e honrar a confiança da diversas juventudes que depositaram a esperança de mais futuro, mais direitos e mais oportunidades no nosso projeto.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247