A doutrina de Bolsonaro e o crime do adolescente de Goiânia

Será que a cultura do ódio, da intolerância e do "bateu, levou", tão propagada nos discursos do mito, não está sendo precocemente absorvida por nossas crianças e jovens, através de seus pais e responsáveis que são seguidores do mesmo? Será mesmo, que dar uma arma na mão de cada "cidadão de bem", é a melhor opção para combater a violência?

Será que a cultura do ódio, da intolerância e do "bateu, levou", tão propagada nos discursos do mito, não está sendo precocemente absorvida por nossas crianças e jovens, através de seus pais e responsáveis que são seguidores do mesmo? Será mesmo, que dar uma arma na mão de cada "cidadão de bem", é a melhor opção para combater a violência?
Será que a cultura do ódio, da intolerância e do "bateu, levou", tão propagada nos discursos do mito, não está sendo precocemente absorvida por nossas crianças e jovens, através de seus pais e responsáveis que são seguidores do mesmo? Será mesmo, que dar uma arma na mão de cada "cidadão de bem", é a melhor opção para combater a violência? (Foto: Nêggo Tom)

Idealizem a cena. Um adolescente de 13 anos de idade, saca um revólver de sua mochila e faz vários disparos, dentro de sala de aula, contra os seus colegas de turma. Vitimou fatalmente 2 adolescentes, com idade entre 12 e 13 anos e feriu outros 5. Terrível não? O fato ocorreu dentro de uma escola particular, em Goiânia, e o atirador é filho de um Major e de uma Sargento da Polícia militar. Mas que diabos pode ter acontecido para esse garoto de classe média e filho de um oficial da PM, fazer isso? Boa pergunta! Mas gostaria de tranferir esse questionamento para o deputado federal Jair Bolsonaro e para muitos de seus seguidores, que defendem o armamento da população e estão com o dedo coçando para fazer justiça com as próprias mãos.

Não apenas Bolsonaro e o seu secto, são contrários ao politicamente correto. Muitas pessoas acreditam que é puro mi mi mi e que tudo não passa de mais uma ideologia esquerdista para acabar com a paz entre os seres humanos. Para os que pensam dessa maneira, deixa eu lhes dizer que a motivação do crime cometido pelo adolescente de Goiânia, foi bullyng. Isso mesmo! Aquilo que vocês chamam de frescura. Segundo relato de um colega de turma, o garoto era alvo constante de diversas chacotas, e também era chamado de "fedorento", por, supostamente, não usar desodorante. Mas o que isso tem a ver com o politicamente correto e com a ideia de Bolsonaro, de armar a população?

Alguém dirá: "Eu sempre sofri bullyng e nunca quis matar ninguém", "Eu era sacaneado pra caramba e nunca morri por isso", "No meu tempo não tinha essas frescuras" Ok! Ok! Vou tentar fazer uma analogia entre o adolescente em questão e um seguidor do mito radical da extrema direita nacional. Normalmente, quando contrariados e sem argumentos convincentes para desconstruir as ideias de seu opositor, um seguidor de Bolsonaro costuma partir para a agressão verbal e ofensas morais, contra quem ousa contestar as suas ideias e se recusa a aceitar o Messias (o Jair), como o único salvador da pátria. Isso é fato!

Quem me garante que se o mesmo bolsominion estivesse de posse de uma arma, durante tal discussão, ele não seria capaz de sacá-la e atirar contra o seu interlocutor, após ver esgotada a sua capacidade racional de suportar o contraditório? O efeito do bullyng pode ser devastador na vida uma pessoa. Principalmente na de um adolescente. Não é porque você soube lidar bem com isso no passado, que o outro também é obrigado a saber lidar no presente. Somos diferentes, pensamos diferente, sentimos diferente, reagimos de forma diferente e vivemos em épocas diferentes. Não somos robôs submetidos ao mesmo tipo de programação mental. Eis a importância do chamado "politicamente correto".

É necessário que se desconstrua certos tipos de expressões e de comportamentos, para que possamos evoluir em respeito e empatia ao próximo. Quantos já não deixaram de viver por se sentirem oprimidos, rejeitados, discriminados ou por não se sentirem representados em alguns paradigmas impostos pela sociedade? E quantos já não se mataram ou até mataram pelo mesmo motivo? Então, para você, que sente saudade do tempo em que se podia sacanear as pessoas (tudo na brincadeira, é claro. Sem maldade) e não ser repreendido por isso, não se esqueça de que toda ação provoca uma reação. E alguém pode reagir da mesma forma que o adolescente de Goiânia.

Mas eu gostaria mesmo, é de saber qual a opinião dos Bolsonaristas defensores de armas, sobre essa tragédia. Vocês acham que ele é apenas um menino que surtou ou um criminoso que deve ir para cadeia, como qualquer outro bandido? Só alerto para o fato dele não ser um garoto pobre, favelado, estudante de escola pública e nem dependente do bolsa família. Ele é filho de um oficial da PM, hein? Vejam lá o que vão dizer.

Vocês acham que ele é uma semente do mal ou usou a arma (do pai) apenas para se defender dos abusadores (politicamente incorretos) que lhe causavam sofrimento? Pensem bem antes de responder. Afinal, vocês são favoráveis ao armamento dos "cidadãos de bem", para que possam se defender e costumam dizer que bullyng, racismo e preconceito, é puro mi mi mi esquerdista e que o politicamente correto é chato.

Será que esse garoto, além de já estar farto do bullyng que sofria, também não estava sendo educado em casa, segundo a doutrina de Bolsonaro? Será que a cultura do ódio, da intolerância e do "bateu, levou", tão propagada nos discursos do mito, não está sendo precocemente absorvida por nossas crianças e jovens, através de seus pais e responsáveis que são seguidores do mesmo?

Será mesmo, que dar uma arma na mão de cada "cidadão de bem", é a melhor opção para combater a violência? Se um oficial da PM, não soube manter a sua arma longe do alcance de uma criança, será que cidadãos que não possuem o mesmo treinamento e preparo militar que ele, saberão manter suas armas em segurança, e principalmente, será que terão equlíbrio para avaliar o momento certo para usá-las?

Eu confesso que ainda não cheguei a uma conclusão com relação a esse adolescente atirador. Se ele é bandido, vítima ou as duas coisas, eu não sou capaz de opinar com exatidão. Mas de uma coisa eu não tenho dúvida: ARMAS, TÔ FORA!!!

"Você com revólver na mão é um bicho feroz. Sem ele, anda rebolando e até muda de voz." Bezerra da Silva.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247