A Esperança tem nome



O país com uma taxa diária de mais de 2.000 mortos pela Covid19 e pelo Covard17, tão calejado e sofrido, parou. A Esperança, após anos vilipendiada, amordaçada e injustiçada, acenou à população com sua mão senil, incompleta, mas forte. Todos se alvoroçaram, o Mercado, entidade obscura, que acredita protagonizar a vida com os brasileiros, os seus detratores e a grande imprensa que está incluída nesse grupo.  

Nos últimos dois anos, os discursos presidenciais que os brasileiros estão habituados a ouvir é de um ser carente de humanidade e de qualquer senso de respeito com a nação tão dolorida. Sobre a pandemia, o Covard17 já proferiu pérolas de deixar qualquer fascista com inveja de sua má índole: “Temos que deixar de ser um país de maricas; “Vacina obrigatória só aqui (no cachorro) Faísca”; “Chega de frescura, de mimimi.” A dor das famílias de mais de 270.000 mortos no Brasil sequer faz o ogro presidencial insone. Nem ele, nem os seus filhotes, inomináveis, apenas ZERO um, ZERO dois, ZERO três e ZERO quatro.

Mas hoje me dou a felicidade de falar dessa Esperança. Desde o primeiro dia em que estive com vocês, nesse meio digital, só desgraça vem acontecendo que, por vezes, fico até com pudor de escrever, pois o sentimento melancólico e desiludido é tão recorrente que me envergonho de expô-lo. Mas sou uma mulher do meu tempo, não tenho como fugir. E os tempos estão assim.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Há três dias que não durmo direito com a boa nova da decisão do Fachin. Claro que sabemos que não existe aí nenhum gesto de justiça para o presidente Lula; muito mais para salvar o chefe da quadrilha de Curitiba, o ex-juiz Moro Imoral. Entra a cruz e a caldeirinha, o advogado do marreco de Maringá no STF, decidiu, meio enviesado, pela democracia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Esperança encarnada surgiu grande, num discurso que fez com que o Brasil rememorasse os bons tempos de um passado recente em que tínhamos um estadista que falava ao seu povo, sobre questões complexas, mas que era compreendido e respeitado por suas decisões. Como alguém que zela por sua gente se indignou e distribuiu soluções aos problemas da gestão genocida do Covard17.

O ex-presidente e agora elegível, Lula, como santo milagreiro, conseguiu fazer com que o miliciano que ocupa a cadeira da presidência e seus ministros usassem máscaras, em reunião ministerial, no dia seguinte ao seu pronunciamento no Sindicato dos Metalúrgicos. Além disso, o genocida e o gabinete do ódio, local que abriga o maior número de mentirosos e desocupados por metro quadrado na república, desmentiram todas as suas falas infames em relação à pandemia.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Visível e risivelmente, o efeito Lula não parou por aí. No cenário em que o ser umbralino transmite suas lives diárias, pasmem, encontrava-se um vistoso globo terrestre, fazendo contraponto ao discurso da Esperança que apontou o pensamento terraplanista do Covard17 e seus bajuladores.

Em meio a angústia dos compatriotas, a Esperança não parou de trabalhar em prol de sua gente, mesmo não ocupando a cadeira presidencial. Há três meses, o presidente Lula se reuniu com Kiril Dmitriev, diretor do Fundo de Investimento Direito Russo, que financiou o desenvolvimento da vacina Sputinik V, objetivando trazer as vacinas o mais rápido possível para o Brasil.  Em janeiro, quando a China atrasou o envio de insumos para o país, junto com a nossa primeira presidenta, Dilma Roussef, remeteu uma carta ao presidente chinês Xi Jinping, evidenciando que a opinião do Covard 17 e sua horda sobre o governo chinês não corresponde a posição do povo brasileiro.  

A Esperança está elegível, mas não baixemos a guarda, a luta recomeçará.  Ou alguém ainda acredita que um país onde tem o sistema financeiro com os mais altos juros do planeta, e uma das elites mais perversas do mundo, deixará com que a Esperança toque cada brasileiro impunemente?  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Esperança tem nome: Luís Inácio Lula da Silva.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email