A importância das eleições municipais na atualidade

Além de discutir o nefasto e péssimo governo Bolsonaro, precisamos também discutir o nosso município e os caminhos para garantir uma política pública mais participativa, mais equitativa e sobretudo mais humana. Precisamos depositar a nossa esperança de um voto consciente em quem faça a verdadeira política, que tem o povo como o centro do debate e da representação

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Estamos vivendo um momento de grande discussão em âmbito federal e enfrentando uma pandemia que evidencia a enorme necessidade de políticas públicas em todas as esferas, o que também demonstra a importância que esse ano de 2020 tem, pois passaremos por mais um processo eleitoral municipal que muitos não dão a devida importância, mas é crucial para trazer um novo sentido à nossa maneira de fazer e entender política.

Desde os primórdios nossa realidade municipal é a mesma, onde a maioria esmagadora dos políticos espalhados por nossos mais de 5.500 mil municípios Brasil afora não representa um projeto ou uma ideologia e em muitos casos não representa nem mesmo seus próprios eleitores. Isso ocorre porque nas cidades os partidos e seus candidatos estão ligados muito mais ao interesse particular do que ao bem público comum, o que chamamos de “coronelismo” o que acaba tornando normal vermos o tempo todo pessoas do espectro político de esquerda em partidos de direita e vice versa. Não deveria isso nos causar indignação?

O fato é que isso tudo só ocorre pela falta de interesse de uma grande parte da população pela política municipal o que é completamente compreensível visto a trágica polarização dos últimos anos , mas a partir do momento em que existe um interesse muito maior pela macropolítica (federal) o que é compreensível passa a ser inaceitável, visto que é no âmbito municipal que a gente vive, trabalha, usa o transporte público, tem lazer e utiliza os serviços da saúde. As políticas municipais atingem diretamente nossa vida e de nossos conterrâneos e por isso se faz urgente que essas também sejam colocadas em pauta em nossas discussões políticas. Mas como podemos fazer esse debate ganhar força e ampliar nosso diálogo?

Primeiramente devemos partir do mesmo princípio que utilizamos ao debater e escolher nossos candidatos na esfera estadual e federal, logo então devemos observar os candidatos ao legislativo e executivo de nosso município atentando-nos ao histórico de vida pública, seus ideais e se suas ações corroboram com o discurso, e principalmente, se tudo que ele promete que fará é competência do cargo ao qual almeja. Espalhar essa consciência pelos quatro cantos é extremamente essencial. 

Além de discutir o nefasto e péssimo governo Bolsonaro, precisamos também discutir o nosso município e os caminhos para garantir uma política pública mais participativa, mais equitativa e sobretudo mais humana. Precisamos depositar a nossa esperança de um voto consciente em quem faça a verdadeira política, que tem o povo como o centro do debate e da representação.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247