A ingratidão do PT

como disse Lula no dia da entrevista que o site Brasil 247 fez com ele, no fim de sua caravana pelo nordeste, no Hotel Pestana em São Luís (MA) : "Ninguém vence as eleições sozinho, temos que fazer alianças para poder ganhar". Parafraseando o ex-Presidente vos digo: Ninguém vence as eleições, sendo ingrato com os seus aliados

Flávio Dino e Lula 
Flávio Dino e Lula  (Foto: Ricardo Fonseca)

Com dezenas de conceitos, encontramos o da professora, escritora e doutora em Educação e Psicologia da Educação do Mato Grosso, Wilse Arena da Costa, como o que melhor representa o que se faz necessário dizer: "A ingratidão, mais que um sentimento é uma atitude que comprova a falta de caráter de uma pessoa que para resguardar e elevar a si próprio é capaz de negar a ajuda de alguém quando mais necessitou para que pudesse chegar onde chegou."

Essa máxima poderia servir ao governador Flávio Dino (PCdoB), por ter forçado o ex-aliado, ex-governador e agora ex-amigo José Reinaldo Tavares (sem partido), a romper politicamente com ele. Poderia servir também ao deputado Raimundo Cutrim (PCdoB), por ter feito duras críticas ao colega de partido e Secretário de Segurança pública do Maranhão Jeferson Portela. Mas não, é endereçada ao PT - Partido dos Trabalhadores que tantos como este escriba, defendem nas postagens através de blogs e redes sociais diariamente.

É inegável a importância histórica da atitude do deputado federal Waldir Maranhão (Avante), diante da discrepância da democracia, com o apoio da maioria congressista, da mídia golpista e do poder Judiciário, que foi todo o processo de Impeachment sem crime de responsabilidade, sofrido pela ex-presidente Dilma Rousseff.

Waldir foi muito macho, naquele fatídico dia 09 de Maio de 2016, onde anulou as sessões do dias 15, 16 e 17 de abril, quando os deputados federais aprovaram a continuidade do processo de impeachment da presidenta Dilma, acatando um pedido feito pela Advocacia-Geral da União (AGU). Confira aqui:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2016-05/waldir-maranhao-anula-votacao-do-impeachment-na-camara

Naquele dia Waldir foi o herói nacional que representou os 54.5 milhões de votos , conquistados de maneira legítima, numa eleição que desde a divulgação do resultado, foi contestada pelo candidato derrotado Aécio Neves (PSDB), o político mais blindado e invisível da polícia e justiça brasileira.

Nem Dilma, nem Lula, nem Rui Falcão, nem Zé Dirceu, nem Genoíno, nem Mercadante, nem Lindberg e muito menos Gleisi Hoffmann, fizeram tanto pelo PT nesses 38 anos de existência e no momento mais crítico que o partido atravessou na história, do que o então Presidente da Câmara Federal Waldir Maranhão; e quem renegar esse legado, é um completo alienado político ou possui sérios problemas de Alzheimer.

Waldir serviu muitíssimo bem ao PT naquele momento e em troca, como tudo nessa vida, só queria a promessa de apoio ao senado federal, que aconteceria dois anos mais tarde. Então, pela falta de compromisso de Renan Calheiros (MDB), que rejeitou sem nem ler o conteúdo da anulação, ele (Waldir), para salvar o seu mandato, devido a 3 representações no Conselho de Ética da Câmara, precisou recuar e anular a sua própria anulação. O deputado maranhense não teve a retaguarda jurídica prometida por José Eduardo Cardoso (Ministro da Justiça e ex-AGU) e nem do governador do Maranhão Flávio Dino (Ex-Juiz Federal), para sustentar a decisão e quiçá ter o seu mandato cassado pela corja que foi comprada por Michel Temer(MDB).

O Golpe não foi um simples "tropeço na democracia", como prenunciou o Ministro do STF Ricardo Lewandowski. Assim também a atitude do deputado Waldir em recuar da anulação não foi uma trapalhada jurídica, como alguns desinformados pensam. Naquele exato momento, sem o apoio preponderante de Cardozo e de Dino, Waldir não tinha outra opção legal para salvar o seu mandato.

Pois bem, a fidelidade de Waldir ao governador do Maranhão e ao projeto político do PT, incomodou e ainda incomoda muita gente. Como ninguém é perfeito, ele votou a favor da Reforma Trabalhista, um erro necessário para conseguir algumas emendas importantes. Mas votou sempre seguindo a orientação do PT em todas as principais e mais importantes votações, como o voto a favor do afastamento de Temer e seu processo no STF e contra a intervenção no Rio de Janeiro, acompanhado somente pelo colega Zé Carlos da Caixa (PT-MA), no contexto total da bancada maranhense.

O que fez Waldir Maranhão? Em diversas oportunidades procurou o presidente Lula e dele teve a reafirmação do apoio ao Senado maranhense, sacramentado ainda em 2016, durante o Golpe que tirou o PT do poder.

Será que o ex- Presidente Lula irá voltar atrás da sua palavra e concordar com o modus operandi de uma corrente do PT (principalmente estadual), que tem medo do potencial político de Waldir em ser eleito pelo partido e dar substância contribuição a bancada no Senado federal?

Será que o ex-Presidente irá se esquecer do longo acordo firmado num hotel de Brasília às vésperas da anulação do Golpe?

O PT no Maranhão não se entende, uma corrente enxerga em Waldir a única possibilidade do PT conseguir uma vaga real no Senado na atual conjuntura. Porém tem outra, que comprometeu-se com o deputado federal e pré-candidato firmando compromisso, mas que por pressão da ala mais radical, trabalha nos bastidores para inviabiliza-lo.

Fontes ligadas ao Palácio dos Leões, dão conta que o governador Flávio Dino, que emprega o Presidente Estadual do PT Augusto Lobato em seu gabinete, está trabalhando para inviabilizar qualquer candidatura pelo partido majoritariamente, para como um "Salvador da Pátria", sair candidato pelo PT à reeleição e aí sim, dominar o partido no estado.

Outros descontentes trabalham para que o PT (desprestigiado pelo governador com 3 secretárias pouco importantes: Direitos Humanos Mobilidade Urbana e da Mulher), lance candidatos próprios como Raimundo Monteiro para o governo e outros candidatos para o Senado, que estariam entre Waldir Maranhão, Márcio Jardim ( Ex-Secretário de Esportes escorraçado do governo Dino) e o professor Chocolate. De todos eles, o único que reúne condições reais para se viabilizar e conquistar uma vaga no Senado é senão Waldir Maranhão, que está fechado com aproximadamente 100 prefeitos e centenas de lideranças políticas no estado do Maranhão.

"Não é possível que Lula e Flávio Dino juntos, irão descumprir o acordo feito comigo lá em 2016. Seria um duplo golpe, a quem sempre foi fiel a eles", disse o deputado maranhense, numa conversa informal com este escriba.

O presidente estadual do PT Augusto Lobato, em diversas vezes disse a este jornalista, que manteria o acordo firmado com Lula e apoiaria Waldir para Senador. Mas a sua filiação no PT, "teria de ser decidida numa plenária ou ser decidida pela executiva nacional, onde a ordem viria de cima pra baixo". Disse ele : " Se Lula disse que Waldir será candidato pelo PT, quem poderá ser contra?"

Será que o PT Nacional irá ser desleal com o pré-candidato a Senador Waldir Maranhão ou Lula manterá a sua palavra e virá ao Maranhão para abonar a sua filiação numa grande festa?

Alguns apostam que tanto Dino, quanto Lula irão cumprir o acordo firmado com Waldir. Mas outros juram que o PT esquecerá tudo o que foi feito pelo partido e indicará outro nome. O mais importante é que sem sombra de dúvida se Waldir não for o candidato do PT na disputas pelo Senado do Maranhão, a direita conseguirá as duas vagas desse pleito.

Ou a palavra de Lula e da alta cúpula do PT nacional tem valor, ou teremos que criar um novo partido de esquerda que seja comprometido com os seus aliados.

Os blogueiros sujos patrocinados pelo governo maranhense podem criar quantas forem necessárias as suas Fake News para tentar inviabilizar a pré- candidatura de Waldir Maranhão ao Senado. Mas não será Waldir que irá romper com Dino ou Lula, serão eles que terão de romper com Waldir.

O desejo de milhares de brasileiros que votaram em Lula e Dilma, é que o ex-presidente retorne ao poder para lutar pelos trabalhadores e menos favorecidos. Mas como disse Lula no dia da entrevista que o site Brasil 247 fez com ele, no fim de sua caravana pelo nordeste, no Hotel Pestana em São Luís (MA) :

"Ninguém vence as eleições sozinho, temos que fazer alianças para poder ganhar".

Parafraseando o ex-Presidente vos digo: Ninguém vence as eleições, sendo ingrato com os seus aliados.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247