A luta pelos direitos das mulheres é estratégica para o desenvolvimento do país

Tradicionalmente março é um mês em que se joga luz nas questões femininas. Embora essa pauta seja constante e mereça atenção permanente nos debates e construções de novas formas de pensar a mulher na sociedade, é útil aproveitar esse período de maior sensibilidade para reforçarmos questões estratégicas à luta cotidiana

www.brasil247.com - Tradicionalmente março é um mês em que se joga luz nas questões femininas. Embora essa pauta seja constante e mereça atenção permanente nos debates e construções de novas formas de pensar a mulher na sociedade, é útil aproveitar esse período de maior sensibilidade para reforçarmos questões estratégicas à luta cotidiana
Tradicionalmente março é um mês em que se joga luz nas questões femininas. Embora essa pauta seja constante e mereça atenção permanente nos debates e construções de novas formas de pensar a mulher na sociedade, é útil aproveitar esse período de maior sensibilidade para reforçarmos questões estratégicas à luta cotidiana (Foto: Luciana Santos)


Tradicionalmente março é um mês em que se joga luz nas questões femininas. Embora essa pauta seja constante e mereça atenção permanente nos debates e construções de novas formas de pensar a mulher na sociedade, é útil aproveitar esse período de maior sensibilidade para reforçarmos questões estratégicas à luta cotidiana.

Neste sentido gostaria de destacar a aprovação pelo STF de habeas corpus coletivo para mães. A decisão inédita da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal — que concedeu, por 4 votos a 1, habeas corpus coletivo a todas as mulheres grávidas, mães de crianças de até 12 anos e de filhos com deficiência, que se encontravam presas provisoriamente, sem condenação e determina que elas aguardem julgamento em regime domiciliar — representa um ajuste corajoso da letra fria da lei à realidade das mulheres em todo o país e age no sentido de respeitar a dignidade das presas provisórias e de seus filhos.

Outra questão importante — e estratégica, em virtude do contexto de crise econômica que estamos enfrentando —, é o incentivo à igualdade de gênero e ao empreendedorismo feminino. Relatório sobre a Situação da População Mundial 2017, produzido pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), informa que a promoção de igualdade de gênero entre homens e mulheres poderia somar ao Produto Interno Bruto (PIB) global a cifra de US$ 28 trilhões.

Dados do Ministério do Trabalho apontam que em 2016 as mulheres ocupavam 44% das vagas no mercado formal de trabalho. No que diz respeito ao empreendedorismo as mulheres ocupam 43% do total, de acordo com pesquisa elaborada pela Rede Mulher Empreendedora (RME). Estas informações demonstram o papel de destaque da mulher para a economia nacional e, consequentemente, a necessidade de políticas de incentivo à liderança feminina, equidade de gênero e inclusão de diversidade para potencializar essa atuação, sobretudo em áreas ocupadas majoritariamente por homens, como economia, saúde, política e educação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Neste 2018 em que se completam 30 anos da Constituinte Cidadã, refletir sobre esses fatos e desafios nos leva a pensar em quão aguerridas e fortes tiveram que ser as mulheres da Bancada do Batom de 1988. Graças a elas foram garantidos direitos específicos às mulheres como, por exemplo, o salário família, a extensão dos direitos trabalhistas às mulheres, a necessidade de regulamentar o trabalho das empregadas domésticas, o atendimento prioritário às vitimas de violência sexual, e a prevenção do câncer no SUS.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A luta das constituintes de 1988, entre elas a inspiradora Cristina Tavares, nos anima na crença de que o futuro pertence a quem tem perspectiva, esperança e convicção de que esse Brasil tem jeito. Não tenho dúvida de que, apesar de terem tentado rasgar a Constituição, daremos a volta por cima no resgate à democracia e na conquista de direitos essenciais à vida das mulheres. Os ideais da democracia e da igualdade prevalecerão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email