A mentira é conservadora

Relativização da verdade a partir de convicções ou interesses pessoais – eis a tal da pós-verdade

www.brasil247.com -
(Foto: Pixabay | ABR)


A Câmara dos Deputados rejeitou, no último dia 6 de abril, apreciar em regime de urgência o Projeto de Lei 2.630 / 2020, o PL das Fake News. Texto cheio de pontos polêmicos, entre os quais imunidade para parlamentares cometerem na internet as aberrações que quiserem. A questão das fake news, contudo, extrapola o debate legislativo e adentra o campo, digamos, psiquiátrico. São três os níveis mentais: gente que cria mentiras com fins políticos ou econômicos, gente desinformada que acredita nelas e gente que não acredita mas as dissemina mesmo assim.

A direita, mundo afora e Brasil adentro, é detentora e usuária em larga escala dessa ferramenta, como se sabe. Até que outro nome desponte, o guru global das fake news será o americano Steve Bannon, mito para os milicianos digitais brasileiros.

Grupos conservadores parecem ser os mais propensos à propagação de fake news, por conta de maior exposição à dissonância cognitiva, apontou um estudo do Coletivo Bereia – Informação e Checagem de Notícias. Tais grupos rejeitam transformações sociais e políticas que confrontam suas convicções.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Relativização da verdade a partir de convicções ou interesses pessoais – eis a tal da pós-verdade. Pouco importam fatos ou ciência, como se viu no Brasil pela boca e pelas atitudes do presidente da República durante a pandemia de Covis-19 em seus piores momentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O mesmo caldo que ferve as fake news cozinha a besteira retórica de chamar incitação ao crime de liberdade de expressão. As duas coisas são praticadas pelas mesmas pessoas. Em termos legais, é simples. Como bem escreveu o professor de Direito Conrado Hübner Mendes em sua coluna da Folha de S. Paulo, liberdade para se expressar não é liberdade para delinquir. Liberdade de expressão não é um direito absoluto. Incitação à violência não é protegida por liberdade de expressão, assim como não o são discriminação racial ou religiosa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A liberdade de expressão prevista na Constituição não autoriza que se desfiram ofensas à honra ou à imagem de quem quer que seja, porque o seu artigo 5º, inciso X, garante a inviolabilidade desses aspectos da dignidade da pessoa humana, admitindo, inclusive, ação de indenização por danos morais e materiais.

O caso de Daniel Silveira é emblemático, pois o deputado federal imputou crimes a alguns ministros e incitou violência contra os membros da Corte, atentando contra o funcionamento de uma instituição da República, sendo evidente que tais comportamentos não podem ser admitidos no âmbito da liberdade de manifestação do pensamento nem mesmo da imunidade parlamentar. O perdão presidencial, o tal indulto, foi usado a tapa e fora das regras de concessão da graça. Como bem explicou o constitucionalista Pedro Estevam Serrano, indulto perdoa culpados, mas não serve para contestar decisão judicial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Enquanto isso, o mundo civilizado busca formas de vencer as fake news e de calar criminosos que idolatram gente como Adolf Hitler. Os grupos neonazistas cresceram 270% no Brasil entre janeiro de 2019 e maio de 2021, impulsionados por discursos de ódio e contra minorias, segundo um estudo da Unicamp.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email