A nudez da filha do pastor e as piores obscenidades perversas

Prezada e linda Simone Cerqueira, da Escola de Samba Beija Flor, Rio de Janeiro. Tomei conhecimento de ti e da tua beleza feminina negra a partir do teu desfile de carnaval pela Escola de Samba Beija Flor

A nudez da filha do pastor e as piores obscenidades perversas
A nudez da filha do pastor e as piores obscenidades perversas (Foto: Reprodução | Riotur)

Prezada e linda Simone Cerqueira, da Escola de Samba Beija Flor, Rio de Janeiro

Tomei conhecimento de ti e da tua beleza feminina negra a partir do teu desfile de carnaval pela Escola de Samba Beija Flor.

O histérico e fundamentalista site Gospel enviou-me por e-mail a noticia sobre ti com a manchete alarmista, cheia de juízo, preconceito e hipocrisia: ‘Filha de pastor desfila pelada no carnaval:’ “Não estou com vergonha”.

Em plena histeria o site diz numa linguagem de bom moço, tentando evitar processo judicial, que “a decisão de um cristão participar do carnaval é condenada pela absoluta maioria das igrejas evangélicas. É consenso entre os pastores que essa festa anual contraria diversas doutrinas do cristianismo, fundamentadas na Bíblia Sagrada, uma vez que promove práticas e valores destrutivos para a vida espiritual e física do ser humano”, sem dizer quais as doutrinas do cristianismo que o carnaval, na visão obtusa deles,  contraria e quais são as práticas e valores destrutivos para o ser humano que a festa mais popular do mundo promove (leia mais aqui).

Logo a seguir destaca que és filha de pastor evangélico (sem dizer qual a igreja desse labirinto obscuro e perverso, que culmina nas bancadas da bala e evangélica da qual teu pai é pastor).

Porém, sem dar nenhum destaque à verdade de tuas motivações e aos verdadeiros valores que deveriam ser relevantes, que aparecem em tuas palavras a um repórter, fragmentam, como sempre, o que disseste para desfazerem de ti:

  • “Meu pai tem 64 anos e é pastor evangélico. Falei para ele que ia desfilar com pouca roupa, mas não disse que era pelada.

Ele vai descobrir pela televisão, vai ficar chateado e falar que eu não precisava fazer isso. Mas vou explicar que é pela arte e ele vai entender”

Isso os fundamentalistas não entendem e não vivem: o diálogo que surge das tensões nas relações entre uma filha e um pai.

Numa frase ponderaste os quatro valores que baseiam a relação com teu pai na superação de possível impasse entre o fato de dizeres a ele que desfilarias mas sem afirmares a tu nudez, talvez chocando-o quando ele te visse pela televisão.

Os valores são o diálogo, a arte, o teu direito à explicação e o entendimento dele.

Esses são exatos valores não aceitos porque evangélicos fundamentalistas não os têm, por serem inseguros, autoritários e arrogantes.

O diálogo como exercício democrático entre seres generosos, inteligentes e independentes não existe entre os que se acham donos da verdade. No entanto, isso tu  destacas como verdade na tua relação com teu pai, que certamente não é um pastor do tipo arrogante e desrespeitoso, que se acha dono da verdade e da vontade de seus filhos.

Justificas que a arte carnavalesca explica tua nudez no desfile.

Portanto, não se trata de obscenidade, mas de arte, outra coisa que os fundamentalistas não entendem. Os fiascos e agressões que fizeram na Câmara com as fotos de ator nu mostram bem que arte para eles é coisa mundana, que merece desprezo e o inferno. Atitude típica de gente envenenada pela hipocrisia e pelo senso de maldade.

Essas atitudes dão a entender que esses evangélicos não se desnudam para os banhos nem para as relações sexuais. Devem fazer tudo enfiados em roupas e em escuros que os escondem.

Ao dizeres que “vou explicar tudo” indicas que teu pai é homem racional e não um obstinado irracional e estúpido.

Esse valor falta aos fundamentalistas. Subjetivistas e de experiência intimista com a divindade, que lhes motiva a marginalizar as ciências, o diálogo, o coletivo e a verdade construída, essas correntes não toleram a explicação das pessoas, nem mesmo dos filhos.

Muitos tomam atitudes violentas ao ponto de expulsarem-nos de suas comunhões e de suas casas. Os evangélicos mais poderosos chegam a remeter seus filhos ao exterior, temendo repercussões nos rebanhos submissos e moralistas.

Mas tu dás a entender de que com teu pai há espaço à explicação porque, certamente, na família de vocês,  a racionalidade reflexiva e analítica é valor respeitado.

Disseste “ele vai entender”. Este é outro valor que os fundamentalistas que infestam e envenenam nossa sociedade não toleram: o entendimento construído e dialogado. Autoritários e arrogantes, pisam nas mulheres e nos pobres.

Outra coisa que os fundamentalistas, esses que apoiam fake news, que não se envergonham de idolatrar Jair Bolsonaro, não entendem, tanto que o site fanático, difamador dos diferentes e fundamentalista nem mencionou foram os objetivos da Escola Beija Flor, plenamente aceitos por ti.

Tu representaste uma escrava.

Para os fundamentalistas a escravatura é fruto da África, para eles o próprio inferno, de onde os negros e as negras não deveriam sair, a não ser pela escravidão desumana e cruel, apoiada pelo cristianismo da época.

O carnaval deste ano entoou que os negros e as negras não descendem de escravos, mas de reis e de rainhas, como diz a letra do refrão do enredo de tua escola:

“Ôôô Axé que no sangue herdei

No meu quilombo, todo negro é rei

Abre a senzala!! Abre a senzala!!

Nesse terreiro o samba é a voz que não cala…”.

Digo-te, Simone, que mais do que a bronca com tua bela e artística nudez, é isso que mais perturba os ditos “santos” evangélicos. Reconhecer que a civilização branca colonial, que eles defendem, foi ladra das riquezas da África e do próprio Brasil, que violentou e prostituiu as mulheres assaltadas, aprisionadas e feitas escravas, é valor que passa longe da espiritualidade de pau oco deles.

Tu, Simone, no entanto, foste a mais perfeita evangélica ao exibires a beleza, a sensualidade, a arte e a ginga das mulheres negras, proclamando a libertação contra a escravatura, que subjuga e destrói seres humanos.

O moralismo sempre é hipócrita e esconde teatralmente ideias e intenções não reveladas. Por isso também era preciso que esse site e os ditos evangélicos te tomassem por bode expiatório. Ainda mais que tua escola defendeu o estudo, a alfabetização e os livros como forças para despertar a inteligência e a racionalidade, que eles temem como coisa do diabo.

No entanto, Simone, os ditos evangélicos não se comovem e não protestam contra as fake news de seu então candidato e, depois, presidente charlatão Jair Bolsonaro.

Nada dizem para denunciar a violência que o capitão laranjal pratica contra os indígenas, facilitando o roubo de suas terras, matas, águas e biodiversidade pelos poderosos nacionais e internacionais do agronegócio.

Não pronunciam nenhuma palavra contra a banalização dos direitos dos trabalhadores pela tal e mal fadada reforma da previdência.

Os evangélicos metidos a santos se omitem diante das piores pornografias, obscenas e perversas, que desnudam as pessoas de seus direitos e valores humanos.

Nenhum evangélico fundamentalista se manifestou com relação ao vídeo pornográfico postado no Twitter por Jair Bolsonaro, o mesmo que se banhou no Rio Jordão a pretexto de um batizado nas águas, para ser contra tudo o que Jesus ensinou.

Enfim, Simone, os que te criticam pela tua linda nudez, nada vulgar nem obscena, deixam passar as piores obscenidades e perversidades contra o Brasil, os pobres, os trabalhadores e a ecologia. Como fariseus modernos “coam mosquitos, mas engolem elefantes”.

Quem te critica nada faz para mudar essa sociedade injusta, que joga milhões de pessoas no desemprego, na fome, na miséria e na nudez de dignidade.

Pelo contrário, passam horas em oração e em jejum diabólicos pelo presidente que ajudaram a eleger e que a galope promove o ódio e a guerra no Brasil e com os vizinhos de nosso país.

Abraços críticos e fraternos deste teu irmão brasileiro.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247