A religião, a cultura religiosa do povo brasileiro e a esquerda

O povo brasileiro é religioso por excelência. Quando a esquerda adota a estratégia de ofender a religiosidade deste povo, então, entrega de bandeja a relação deste povo para a direita

Penso que alguns companheiros e companheiras, particularmente uma parcela dos que se autodenominam ateus ou anti-religiososos, têm uma prática política com relação à religiosidade muito parecida com a direita no que se refere ao respeito à religiosidade alheia.

Se de um lado a direita brasileira é intolerante com as religiões de matizes afrodescendentes, essa esquerda tem uma postura muito hostil às religiões tradicionais ligadas ao cristianismo.

Nesse sentido, é que abro uma divergência com quem apoia a postura da polêmica aberta pela Porta dos Fundos com seu filme sobre o natal. 

Por incentivo de minha filha, comecei a assistir o filme... Não gostei. Não consegui assistir nem 15 minutos, porque não consegui achar absolutamente nem uma piada minimamente curiosa. Achei, antes de tudo, um filmete preguiçoso. Fica se esperando algo que motive a continuar assistindo, mas muito rapidamente se percebe que não vai sair daquilo. Pior do que isso, é preconceituoso. Como se não bastasse, é desrespeitoso. 

Desrespeita a fé católica, desrespeita a fé cristã e desrespeita a liberdade de reconhecer Deus como ser supremo desta fé. Me senti agredido. Me senti humilhado por não ter como responder aquela agressão gratuita, desnecessária e covarde de quem faz troça com a fé alheia pelo simples fato de achar que por não acreditar, lhes dá o direito de fazer troça com o Deus de quem acredita. 

Se fosse Regina Duarte ou qualquer ator de direita, certamente, a esquerda estaria em ebulição contra os atores. Mas a hipocrisia não permite essa reação. Afinal de contas, está no lugar de um ator principal nosso querido Gregório Duvivier. Lamento.

Em 2009, alertei o PT que a relação política com a Igreja, mesmo a progressista, estava ruindo pois a direita havia se apossado de um debate que deveria ser aberto e acolhedor em sua contradição com relação ao aborto. O PT não deu ouvido, e se não fosse a avaliação tão positiva de Lula, Dilma já teria perdido ali as eleições, por causa do tema monocromático de José Serra com o insosso debate sobre o aborto. 

Fiquei então, na Coordenação da Campanha de Dilma, dialogando fortemente com as Igrejas tendo como avalista o companheiro Gilberto Carvalho, que foi dos poucos a entender e oferecer espaço na campanha para que pudéssemos defender o PT e a candidatura de Dilma e que sabe como poucos o significado desta prática estúpida e irracional desta parcela da esquerda que não fala por todos nós militantes de esquerda.

Não fosse a sensibilidade de pessoas como Paulo Teixeira, que me ligou a Gilberto Carvalho, que conseguimos encontrar aliados como Dom Demétrio Valentin, de Jales, que achamos respostas às ações militantes de direita como, por exemplo, a do Bispo de Guarulhos de então, Dom Luis Gonzaga; Foi a coragem de Luis Marinho e João Pedro Stédile que me permitiram articular a carta aos cristãos

Não consigo entender essa prática. O PT se origina de três grandes fontes do pensamento coletivo brasileiro dos anos 70 e 80 do século passado. O primeiro grupo era o dos intelectuais, que emprestaram sua contribuição dando forma ao que viria a defesa filosófica do Partido que seria dos Trabalhadores, do sindicalismo que construía com os trabalhadores uma consciência crítica com relação ao combate à ditadura e mostrava os malefícios da falta de democracia e o que isso significava frente ao arrocho salarial e as mazelas da fome, da caristia e da inflação e por fim os cristãos, particularmente os engajados no campo e na cidade, ligados às CEB´s , comunidades eclesiais de base.

Os cristãos deram corpo nacional ao PT. A Igreja chegava onde os sindicalistas não tinham o que fazer, nem os intelectuais seriam compreendidos. Se os intelectuais foram o cérebro e os sindicalistas o coração, os cristãos formaram o corpo do PT. 

Os cristãos foram responsáveis pelo combate mais renhido pra colocar de pé a compreensão sobre direitos humanos junto ao povo. Os cristãos foram quem deram forma ao PT nos rincões das periferias e das pequenas cidades, onde não havia sindicalismo nem intelectuais. Fomos nós, os Cristãos que formamos os primeiros diretórios em praticamente todas as cidades brasileiras que fundaram diretórios e núcleos do PT.

Por este histórico que é facilmente comprovado por qualquer militante com mais de 20 anos de história no PT e na esquerda é que é incompreensível que dentro da esquerda brasileira, tenha militantes que insistam nessa tese suicida de fustigar os cristãos.

O povo brasileiro é um povo religioso por excelência. Quando a esquerda adota a estratégia de ofender a religiosidade deste povo, então, entrega de bandeja a relação deste povo para a direita. Aí, alguns analistas ficam com uma dúvida monumental em razão do que chamam de contradição entre a fé cristã e a opção ideológica pela direita. Talvez se parassem de analisar o comportamento do povo e passasse a analisar o espelho, achem a resposta.

Gregório Duvivier, você não contribui em nada com essa postura para o diálogo com o povo brasileiro, pois você ofende os cristãos de maneira avassaladora no que temos de mais importante enquanto pessoa humana, a fé.

Essa postura de ofender os cristãos de maneira tão gratuita, tendo tantas coisas pra se discutir e ainda pior, manter essa posição de que isso tem que ser encarado como se fosse obrigação de fazer no ofendido entender a ofensa é que não tem sentido!

O maior poder que se pode ter é o de simplesmente não assistir. Mas há que se debater com os companheiros qual é o objetivo desse tipo de proposta. 

Respeite a fé do povo, seja ela qual for!

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247