A sua mulher merece ser estuprada?

Neste ano só tenho um pedido para o Papai Noel: Tire esse senhor da posição privilegiada em que ainda se encontra e o coloque bem longe, onde sempre mereceu estar – atrás das grades

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

No dia 9 de dezembro, o polêmico deputado Jair Bolsonaro desenterrou sua pérola que estava guardada desde aquele fatídico dia de 2003, quando pronunciou pela primeira vez, no Salão Verde da Câmara dos deputados, com dedo em riste e num péssimo "vale a pena ver de novo (?)": "Não estupro você porque você não merece".

Essa frase antiga, já naquela época, mereceu a devida atenção. Mas não sei por que cargas d´água não deu em nada. Duas coisas são importantes destacar sob a ótica dessa presunção:

1- Ficou muito claro na assertiva que o "deputado estuprador" sarcasticamente deixou pendurado nas entrelinhas que não a "comeria" porque a julga desinteressante.

2- Em outra linha de pensamento - pela tangente – massageando o próprio ego e colocando-se numa posição privilegiada, "o gostosão" afirmou, que o seu sexo é tão bom que nem que ela aparecesse com calcinha de ouro coberta de diamantes lhe daria esse prazer da cópula.

Diante da presunção do coito mais que interrompido e em local inapropriado, vale a pena ressaltar que o deputado e (ou) da putada Bolsonaro cometeu vários crimes, não só dois, como se viu divulgado na mídia.

Apologia ao estupro, incitação à violência (se ela não merece, alguém merece!) falta de decoro parlamentar, crime contra a família, desrespeito às mulheres, desrespeito à igreja e aos ensinamentos do Cristo. E sobretudo, desrespeito a uma autoridade, uma parlamentar e principalmente colega de trabalho.

Sem falso moralismo, o garboso deputado se autocondenou à execração pública com o ato extremamente pensado e guardado em local privilegiado – à espera da oportunidade certa – como uma super munição, pronta para o disparo fatal.

Nesse caso, o deputado homofóbico, machista e agora descredibilizado, deu um tiro certeiro no próprio pé. Desta vez, a opinião pública se manifestou e várias associações, conselhos, sindicatos, movimentos sociais e sobretudo a sociedade civil organizada está cobrando providências para uma ação punitiva a altura para o desfecho satisfatório desse lamentável episódio.

Se fosse na época da ditadura e repressão, a nobre deputada Maria do Rosário, uma hora dessas, já teria sido torturada e virado adubo para o fértil solo brasileiro. Seria enterrada como indigente e em local jamais conhecido. É duro e cruel afirmar essas coisas, mas imaginem se não houvesse a lei "Maria da Penha"? Sabe-se lá o que o alterado parlamentar não teria feito em 2003 e repetido no fatídico 9 de dezembro último.

Na verdade relutei para escrever esse texto, mas quando vi o cinismo do para mim (já ex) deputado Jair Bolsonaro em comunicado oficial dizendo: "Jamais pedirei desculpas à deputada Maria do Rosário", resolvi manifestar a minha indignação e me unir aos mais de 200 mil brasileiros que assinaram a petição eletrônica pedindo a cassação desse ser, que de nada tem de humano.

No comunicado ele lembra que tem mãe, mulher e filha (olha que coisa!). E tenta de forma cabal se desculpar (da sociedade) dizendo que "nenhuma mulher merece ser estuprada." Ué, por que não lembrou disso quando se referiu à deputada naquela sessão? Ela não é mulher? Não é mãe? Não tem mãe? Não tem filhos? Ou seja, só se "desculpou" depois que o estrago já havia sido feito.

Se ele é o autor do projeto de Lei 5398/2003, que aumenta a pena para estupradores e propõe tratamento químico para inibição do desejo sexual, por que ele mesmo não tomou esse tal medicamento, para nem pensar e muito menos pronunciar debochadamente "que a deputada não merecia ser estuprada"? Se ela não merece, fica subentendido que alguém merece. Uma pergunta que não quer calar, deputado: E a sua mulher merece ser estuprada? Será que ela não tem nada a dizer a todos nós, e não o faz por medo?

Sinceramente, pensando bem, tenho pena dela e de seus filhos, que não merecem um sujeito repugnante como Vsa. Aliás, nem o Congresso Nacional merece um parlamentar da sua estirpe. O senhor não me representa e nunca em tempo algum irá representar alguém que tenha o mínimo de bom senso, amor e respeito ao próximo.

Admira-me a sua "cara de pau" de ainda "repudiar a deputada Maria do Rosário" em comunicação oficial amplamente divulgada na quinta (18). Se existe alguém que tem de ser repudiado, este é o próprio comunicante, que no alto de seu pedestal, só enxerga o que está à frente do seu alter ego. Freud explica isso!

Em seu texto apócrifo, se faz de vítima ("acusam-me de estuprador"), ataca o governo e a presidenta Dilma, menciona oportunistas e holofotes, como se fosse um nobre pastor semeando o pasto bom. Enquanto que foi ele próprio quem se colocou nessa posição degradante de um "possível estuprador".

"Com todo o respeito às mulheres e os movimentos que as defendem possam merecer, peço que usem outro mastro...". E mais uma vez o "coitadinho" do Jair dá outro tiro, agora o de misericórdia, no peito e termina de se matar. Ora bolas, "com todo respeito que possam merecer" uma ova!!! Todas as mulheres e movimentos que as representam merecem respeito sim e não "possam", como diz a missiva vexatória dele.

Creio, com todas as minhas forças, na justiça de Deus e principalmente na dos homens e procuro seguir os preceitos de Jesus Cristo, em que o perdão é primordial para a nossa salvação (principalmente nessa época do Natal). E nesse caso não seria diferente. Se Bolsonaro logo após o episódio tivesse se retratado e pedisse desculpas à deputada Maria do Rosário e à sociedade, tenho certeza que seria salvo tanto na Justiça dos homens quanto na de Deus. Só que não, sentindo-se dono de uma razão absoluta e imensurável, ainda tripudiou em sua carta oficial, afirmando que não errou e por fim não deve desculpas a ninguém.

Os poderes que regem esse País não podem (e não devem) deixar esse episódio passar em branco. Que esse filho da mãe (pra ser simpático) pague cada palavra proferida. Seja em desacato à honra das mulheres, das parlamentares, da sociedade ou de Deus. Gostaria imensamente de ver ainda esse ano Bolsonaro fora do Congresso Nacional e se possível dentro de uma gaiola, que seria um lugar mais do que especial para ele. Mas creio que não será possível. Só nos resta esperar pelo ano que vem. E que sua mulher um dia tenha a coragem de expor o que possivelmente tem passado (imaginem um sujeito bruto) ao longo desses anos todos ao seu lado.

Esse episódio só me faz lembrar do Maluf: "Estupra, mas não mata!". Ou quem sabe até da Marta: "Relaxa e goza!"

Neste ano só tenho um pedido para o Papai Noel: Tire esse senhor da posição privilegiada em que ainda se encontra e o coloque bem longe, onde sempre mereceu estar – atrás das grades. Para que não sirva de exemplo para outros psicopatas escondidos em posições privilegiadas por aí! #ForaBolsonaro

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247