Abaixo a exploração!

Os trabalhadores ganham seus míseros salários em Real e vão ao supermercado comprar produtos dolarizados, como bois indo para o abatedouro

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters/Pilar Olivares)


Os donos do capital estão com os aspiradores ligados, sugando o dinheiro do povo, desde a base, para o topo da pirâmide social. Com juros escorchantes, dolarização da economia e inflação.

A perda do valor dos salários está levando os trabalhadores ao bárbaro empobrecimento, a uma situação análoga à escravidão, principalmente os mais vulneráveis.

A classe patronal reduziu os salários a tal ponto que o ganho mal dá para custear o transporte e a alimentação, diários, da imensa maioria da população.

Depois do golpe, Michel Temer quebrou os sindicatos com uma lei draconiana, acabou com a contribuição sindical e com outros direitos trabalhistas.

Não há mais reivindicações salariais nem greves. Mais arrocho salarial, mais lucro para a classe patronal.

Nenhuma reação. Provavelmente a nova geração nem sabe o que é um sindicato.

A reforma trabalhista, que tirou direitos históricos garantidos, causou demissões em massa e recontratações com redução abusiva dos salários.

Além disso, os trabalhadores enfrentam a inflação, os preços dolarizados, dos combustíveis e dos produtos de supermercados.

Os preços estão nas alturas por conta das exportações de alimentos e de outras commodities, também comercializadas em dólar.

Desonestamente, estão demonizando e responsabilizando a Petrobras, pelos elevados preços dos combustíveis.

Não dizem que o motivo dos altos custos dos combustíveis é a paridade com os preços internacionais do petróleo.

Mais o pagamento dos dividendos aos gringos, bilionários, que compraram ações da Petrobras, no processo de privatização gradual da empresa.

Os trabalhadores ganham seus míseros salários em Real e vão ao supermercado comprar produtos dolarizados, como bois indo para o abatedouro. Nenhuma reação.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247