About Bob Dylan: Não só o que ele vê, mas como ele vê!

Bob Dylan completou oitenta anos. Sua música e poesia são inspiradas e inspiram músicos, poetas, pintores, atores, artistas que perambulam pelas ruas, como pedaços de papel inquietos soprados pelo vento

Siga o Brasil 247 no Google News

Na capa do álbum The Freewheelin' Bob Dylan de 1963, o músico está de braços dados com a ativista norte-americana Suze Rutolo, que era sua namorada. Suze vinha de uma família ligada ao pensamento de esquerda, o que foi determinante para o despertar político e social de Dylan. 

Quando Dylan compôs a canção Blowin’ In The Wind, em 1962, que possui versos que indagam, por exemplo, “Por quantos anos algumas pessoas devem existir, antes de poderem ser livres”? disse: “Isso aqui não é uma música de protesto ou qualquer coisa do tipo". Ao passar a se relacionar com Suze, sua percepção sobre a música mudou e ganhou outro significado. 

A partir de então, Bob Dylan passou a escrever canções com mensagens políticas, de protesto e denúncias como em “The Death of Emmett Till". Suze Rutolo contou a Dylan sobre o assassinato brutal de Emmett Till, um menino afro-americano acusado de ofender uma mulher branca. Na época em que escreveu a canção, disse: “Acho que foi a melhor coisa que já escrevi".  

PUBLICIDADE

Bob Dylan passava a noite acordado fazendo canções e mostrando à Suze. “Isto está certo”? perguntava. A mãe de Suze era muito associada a grupos que defendiam a liberdade, por isso ele checava antes de considera-las prontas para gravar. 

Quando se conheceram Dylan era apolítico e seu repertório, na maioria, composto de músicas antigas de folk. Suze o convidou para um encontro do Congresso de Igualdade Racial, onde ela trabalhava e participava das ‘Marchas da Juventude pelo Direitos Civis’. "Muito do que dei a ele foi o olhar de como a outra metade vivia - coisas da esquerda que ele não sabia", disse ela. 

PUBLICIDADE

Bob Dylan completou oitenta anos. Sua música e poesia são inspiradas e inspiram músicos, poetas, pintores, atores, artistas que perambulam pelas ruas, como pedaços de papel inquietos soprados pelo vento. 

PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email