Aécio e Moro

Sergio Moro repete, a seu modo, a trilha de Aécio Neves. Inclusive na cegueira de seus seguidores. Sim, os aecistas eram tão fanáticos quanto hoje são os “moristas”. Demoraram a aceitar a realidade sobre seu herói de barro. Também gritavam, reclamavam, mandavam-me “trabalhar” (como se ao denunciar Aécio eu não estivesse exercendo minha função de parlamentar)... Mas enfim curvaram-se para a realidade e desistiram. Não dava mais para defender Aécio, Andrea e toda a família Neves.

(Foto: Esq.: Marcelo Camargo - ABR / Dir.: Waldemir Barreto - Agência Senado)

Eles são cada vez mais raros, mas ainda há aqueles que defendem fervorosamente o ex-juiz Sergio Moro. Nos meus perfis nas redes sociais, de vez em quando aparece um ou outro me aconselhando a parar as críticas contra o ministro da Justiça. Mandam-me “trabalhar”. Dizem que “defendo corrupto”. Aconselham-me a deixar a “fofoca” de lado... 

Já estou acostumado com isso. E digo que é impressionante a semelhança de argumentos entre os que hoje defendem Sergio Moro e os que ontem defendiam Aécio Neves. Talvez a amizade entre eles não seja apenas coincidência e por isso lembrei  esses laços ao ministro, durante audiência na Câmara. Moro ficou nervoso à toa...  

Não foi fácil denunciar Aécio Neves. Na época , ele era o todo poderoso governador em Minas, apoiado por nove de dez órgãos de imprensa, pela maioria dos políticos e com tentáculos poderosos nos meios empresarial, jurídico, esportivo etc.  

Ameaçaram meu mandato de deputado estadual eleito pelo PT. A revista Veja chegou a dedicar capa ao assunto, também “me denunciando” por ter criado uma suposta “falsa” Lista de Furnas.  

Demorou, mas hoje sabemos quem tinha razão. Não apenas a Lista de Furnas se mostrou verdadeira, como também outras denúncias que apresentei (as propinas na Cidade Administrativa, por exemplo). Aécio só não foi punido porque conta com amigos poderosos, o principal deles o atual ministro da Justiça (aliás, viram nas revelações do The Intercept como Moro ficou irritado ao saber que a PF divulgara planilhas que provavam a relação da Odebrecht com Aécio?).   

Com Sergio Moro as coisas não são tão diferentes. Os fanáticos do ex-juiz, sejam considerados por ele “tontos” ou não, também vêm cheios de certezas e dispostos a bater. Reclamam, falam, choram, até ameaçam...  

Que bobagem... Sergio Moro repete, a seu modo, a trilha de Aécio Neves. Inclusive na cegueira de seus seguidores. Sim, os aecistas eram tão fanáticos quanto hoje são os “moristas”.  Demoraram a aceitar a realidade sobre seu herói de barro. Também gritavam, reclamavam, mandavam-me “trabalhar” (como se ao denunciar Aécio eu não estivesse exercendo minha função de parlamentar)... Mas enfim curvaram-se para a realidade e desistiram. Não dava mais para defender Aécio, Andrea e toda a família Neves.  

É o mesmo destino de Sergio Moro no futuro. Defendo sua imediata renúncia a despeito de um ou outro protesto de algum “morista” fanático. Alguns ainda fazem barulho. Mas estão fadados a ser como aecistas, outrora inflados, hoje murchados. Duvida?

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247