André Esteves (BTG Pactual) descreve em áudio como monta o “Inside Job” no Brasil

"Há muito mais a ser ainda compreendido a partir deste áudio. Na prática ele pode ser visto como uma miniaula (empírica) sobre o mundo real dos farialimers e de como o setor financeiro vem controlando a política e garantindo a hegemonia deste setor em nossas vidas", diz o engenheiro Roberto Moraes

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters)


O furo de reportagem do Portal 247 (aqui) que trouxe com a divulgação do áudio do banqueiro André Esteves em reuniões com investidores permite uma série de leituras em várias dimensões e profundidade. Link do áudio no Youtube: https://youtu.be/vwrSOb3m3sE

Uma primeira é no campo da política com as opiniões dele (setor financeiro da Faria Lima) sobre a pauta política no Brasil, sobre as eleições de 2022, sobre os candidatos e suas preferências. E ainda como este setor intervém sobre poder político, judiciário, mídia, etc. no Brasil atual.

Certamente este é o ponto do áudio que já gera e vai continuar gerando maior repercussão e produzirá ainda muitas discussões e debates. O banqueiro André Esteves fala como quem tem autoridade e muito poder e também expõe claramente a submissão que conquistou junto ao poder político, tanto o Executivo quanto o Legislativo. As pesquisas frequentes (quanti e quali) que banca – e que custa muito dinheiro - já é uma referência sobre como joga o “jogo do poder”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Esteves deixa claro que hoje a Faria Lima tem maior interlocução com o Centrão de Arthur Lira, do que com os tucanos, que antes atuavam, basicamente, como os intermediários entre o mundo das finanças da avenida Paulista e o poder político central em Brasília.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Porém, escolhi chamar a atenção para uma outra dimensão da fala do banqueiro André Esteves: o modus operandi do setor financeiro no Brasil atual. O dono do BTG Pactual diz que o Brasil está entrando tardiamente - 20 anos depois – no esquema global da securitização das finanças. A máquina das dívidas que ganha mais no volume de endividamento e não apenas nos juros antes mais altos.

Esteves dá uma explicação muito clara sobre como o Brasil financeiro se insere tardiamente no que ele chama de movimento global “Financial Deep”, ou aprofundamento da financeirização. Ou seja, André fala como está sendo implantado aqui no Brasil, o conjunto de inovações financeiras através de múltiplos tipos de derivativos de forma semelhante ao que foi feito no entorno da virada de século nos EUA e centro do capitalismo. Um processo que cresce a partir de 2001 de forma completamente desregulada. O dono do Pactual deixa claro que é nessa linha que estão sendo implementadas mudanças na intermediação financeira (tardia) no Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O mais interessante deste processo é que André Esteves deixa ainda muito claro, quem são os agentes e que mudanças são essas nos processos de intermediação financeira em curso no país, com a implantação destas inovações, mais papeis, meios digitais, etc. no mercado.

Entre outras coisas, estes agente buscam ampliar a integração do mercado de ações e fundos financeiros (Anbima), Bolsa e bancos tradicionais, etc. para que estas inovações garantam maior capacidade de lucros e acumulação para o setor financeiro brasileiro.

Esteves expõe uma autossuficiência que só parece embutida na fala de quem tem realmente poder. Na maior parte das respostas o dono do BTG não fala de projetos, mas de transformações em curso. Esteves descreve a integração de uma “cadeia’ que é muito semelhante àquela que é descrita no documentário Inside Job (2010), que descortinou as estratégias e ações sobre como o setor financeiro americano (integrado a outros mercados) produziu a crise do subprime em 2008 em todo o mundo, a partir dos EUA e de uma completa desregulação, ou mesmo farra com as inovações financeiras através de papeis e derivativos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O impactante filme Inside Job mostrou os mecanismos de aprofundamento do lançamento de “inovações financeiras”, controle do poder político (Deep State) e controle de instituições e poder judiciário que permitisse essa “autoregulação” do setor financeiro que a Anbima tem defendido abertamente no Brasil.  

De certa forma André Esteves descreve como pensa a “cadeia alimentar da securitização” no Brasil, de forma similar à “Securitization Food Chain” implantada nos EUA. De certa forma, aí André Estrves localiza o seu banco, o BTG Pactual onde tem o projeto de que ele possa assumir o papel de um novo BNDES, só que privado como são os bancos de investimentos americanos (Goldman Sachs, Morgan Stanley, Lehman Brothers, Meril Lynch).

Não é difícil imaginar como hoje Esteves desenha institucionalmente esta cadeia de securitização no Brasil, assim como ele vê a relação do seu e demais bancos e fundos de investimentos privados nacionais com os bancos tradicionais. De forma similar à articulação dos bancos de investimentos com os conglomerados financeiros americanos: CitiGroup e JP Morgan entre outros. E também, a relação entre as seguradoras e as agências de rating. Estas últimas que atuam no Brasil fariam o trabalho de controlar e monitorar esta cadeia de securitização brasileira para o andar de cima.

Esteves diz abertamente que o Brasil já tem “um dos mercado de capitais mais vibrantes do mundo”. Não diz, mas se sabe, que os donos dos dinheiros, se orgulham de atuarem de forma autorregulada, sem poder de fato da CVM e nem do Banco Central, cujo presidente, Campos Neto, Esteves confessa no mesmo áudio, que lhe pede opiniões e sugestões na articulação deste “Inside Job tupiniquim”, que para ele é parte da implantação da “modernização e aprofundamento das inovações financeiras na linha do Financial Deep global.

Há muito mais a ser ainda compreendido a partir deste áudio. Na prática ele pode ser visto como uma miniaula (empírica) sobre o mundo real dos farialimers e de como o setor financeiro vem controlando a política e garantindo a hegemonia deste setor em nossas vidas.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email