As regalias da revistaveja

O diabo é que na foto divulgada pela revistaveja o que vemos é um Dirceu mais magro e com olheiras, não se parece com um cabra que está a comer feijoadas e peixadas, muito menos a se empanturrar de big macs

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A impunidade leva criminosos a seguirem praticando crimes e incentiva incautos à mesma prática, na certeza de que a justiça não os alcançará.

Por esse raciocínio, a impunidade seria a tal ocasião que faz o ladrão.

Deve ser por isso que a revistaveja não para de cometer crimes. Aliás, os barões da mídia, de maneira geral, estão viciados nessa prática:

a Globo sonega impostos, invade terreno público, contrata perito para mentir ao povo... deita e rola;

a Folha divulga uma ficha falsa sobre a presidenta, acusa a presidência da república pela queda de aviões, deflagra uma campanha contra uma fictícia febre amarela urbana, levando a sociedade ao pânico, o poder público ao desespero e provocando mortes;

a revistaveja tenta infiltrar um repórter, criminosamente, no quarto de hotel onde José Dirceu estava hospedado e, agora, divulga uma fotografia do apenado feita dentro do complexo penitenciário da Papuda, tirada de forma sorrateira e que atenta contra a Constituição Federal.

Até quando esses senhores contarão com tanta regalia? Por que a justiça os deixa impunes?

Atentando também contra a ética jornalística, a revistaveja, como um adicto que precisa de uma dose cada vez maior, faz uma matéria de capa com uma vergonhosa reporcagem sobre supostas regalias concedidas aos condenados na Ação Penal 470.

Detalhe, a palavra suposta, tão em voga quanto se trata de amigos, não aparece na reporcagem.

O diabo é que na foto divulgada pela revistaveja o que vemos é um Dirceu mais magro e com olheiras, não se parece com um cabra que está a comer feijoadas e peixadas, muito menos a se empanturrar de big macs.

Mas para a revista mais "vendida" do Brasil, o conteúdo pouco importa, o que importa é a forma, sorrateira, criminosa, tacanha, submúndica.

Joaquim Barbosa, o menino pobre que imundou o Brasil, aquele que foi flagrado, imundo, a deitar e rolar na lama em que mandara um repórter chafurdar, tentara condenar Dirceu ao ostracismo da masmorra, ao esquecimento do calabouço, ao cala a boca das celas frias, mas isso é impossível, porque a revistaveja tem por ele uma verdadeira fixação.

Na reporcagem da afamada revista infame é tudo em off, na base de fulano disse que ouviu de sicrano que beltrano teria dito... e estamos a falar de uma latrina, uma lata de coca-cola, uma lata de feijoada. um prato cheio para alimentar a paranoia delirante que reina nas redes sociais.

E de tanto praticar crimes e ficar impunes, os barões da mídia agora incitam a sociedade à mesma prática, a revistaveja lança um baderneiro bombadão como o novo símbolo da juventude e do anarcoxismo;

no SBT, a musa loira dos midiotas incita ao linchamento em praça pública;

a Folha TV, por meio da TV Cultura, veja você, divulga um vídeo onde um bando de coxinhas relincham qualquer coisa obtusa sobre um possível golpe militar.

Tudo às escâncaras, na cara dura, na certeza da impunidade.

Transformando homens de bens em homens de bem, criminalizando negros e movimentos sociais, com amigos e inimigos no poder, os barões da mídia só se submetem a uma única lei, a Lei de Ricupero: o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde.

Embora a revistaveja seja um veículo sectário, anti governo e anti povo, é o povo, através das propagandas do governo, quem a financia.

Até quando essa revista terá tantas regalias?

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email