Ataques antinacionais

Para os que atacam a empresa, é bom frisar que ela é responsável por cerca de 80 mil empregos diretos. E sua paralisação, como querem os entreguistas de plantão, iria afetar também as empreiteiras, responsáveis por 2,8% do PIB em termos de investimento

Para os que atacam a empresa, é bom frisar que ela é responsável por cerca de 80 mil empregos diretos. E sua paralisação, como querem os entreguistas de plantão, iria afetar também as empreiteiras, responsáveis por 2,8% do PIB em termos de investimento
Para os que atacam a empresa, é bom frisar que ela é responsável por cerca de 80 mil empregos diretos. E sua paralisação, como querem os entreguistas de plantão, iria afetar também as empreiteiras, responsáveis por 2,8% do PIB em termos de investimento (Foto: Sibá Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A Petrobras é a empresa símbolo do Brasil. Desde sua criação, em 1953, é atacada pelos segmentos que menosprezam nossa soberania, autonomia tecnológica e os interesses nacionais, já que se alinham de forma automática e submissa aos estrangeiros. A estatal, agora, tem sido alvo de ataques da oposição e de setores da mídia que não conseguem esconder a vontade de entregar as riquezas do pré-sal a petroleiras estrangeiras. Usa-se como argumento para legitimar esse complexo de vira-latas a chamada Operação Lava-Jato, que expôs esquemas criminosos praticados por funcionários e dirigentes da estatal.

Entendemos que todos os que cometeram ilícitos devem ser punidos, inclusive os que assim agiram no período do governo do PSDB/FHC. Mas toda a celeuma provocada em torno do tema não pode servir de pretexto para enxovalhar a imagem da empresa, uma das maiores petrolíferas do mundo. Tem havido campanha sórdida para enfraquecê-la e tentar entregá-la aos estrangeiros. São os mesmos que na época do PSDB tentaram sua privatização plena e até mudar seu nome para Petrobrax.

O governo patrocinou a mudança de comando na empresa e tudo será uma questão de tempo para se estabelecer uma nova governança e resgatar sua capacidade econômica e financeira.

A Petrobras é a expressão do interesse nacional, como mostram os números. Atacá-la é tentar fragilizar o país. Cada R$ 1 investido pela Petrobras gera R$ 1,90 de renda na economia, um alto efeito multiplicador. Seus investimentos representam 2% do PIB e devem totalizar R$ 200 bilhões, entre 2014 e 2018.

A estatal detém tecnologia própria de exploração em águas ultraprofundas, o que gera cobiça de outras empresas e até governos. Tem o papel de induzir investimento em tecnologia, pois mantém na Coppe-UFRJ um centro de pesquisa e excelência na área de tecnologia e exploração de petróleo, e tem parcerias com outras universidades. Detém a terceira maior reserva de petróleo a ser explorada entre as dez maiores empresas privadas petroleiras do mundo. A Petrobras compra 10% das máquinas e equipamentos vendidos no Brasil. Ou seja, cria uma demanda imensa para empresas domésticas de bens de capital.

Para os que atacam a empresa, é bom frisar que ela é responsável por cerca de 80 mil empregos diretos. E sua paralisação, como querem os entreguistas de plantão, iria afetar também as empreiteiras, responsáveis por 2,8% do PIB em termos de investimento.

O Brasil, com o PT , a partir do governo Lula e, depois, com Dilma, nunca combateu tanto a corrupção. A Polícia Federal, durante o governo FHC , realizou apenas 48 operações. Com o PT, de 2003 a 2014, foram 2.226 operações, com a prisão de 24.881 pessoas, das quais 2.351 servidores públicos e 119 policiais federais. Vamos continuar a prender e punir corruptos, mas a Petrobras – junto com o pré-sal e o regime de partilha, deve ser preservada dos ataques antinacionais.

Sibá Machado é deputado federal (PT-AC)

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247