Blindagem do PSDB

Em 2011, o jornalista Amaury Ribeiro Jr. publicou A Privataria Tucana sobre a corrupção de políticos do PSDB nas privatizações nos anos 1990. José Serra e sua filha estão nelas encalacrados até o pescoço.

José Serra durante entrevista coletiva em Montevidéu em 2016 05/07/2016
José Serra durante entrevista coletiva em Montevidéu em 2016 05/07/2016 (Foto: REUTERS/Andres Stapff)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A Lava Jato só chegou ao José Serra hoje?! Em 2011, o jornalista Amaury Ribeiro Jr. publicou A Privataria Tucana sobre a corrupção de políticos do PSDB nas privatizações nos anos 1990. José Serra e sua filha estão nelas encalacrados até o pescoço. O livro tem cópias de documentos que comprovam a corrupção. Por que só chegaram nele agora?

É claro que os procuradores da Lava Jato e Sérgio Moro sabiam deste caso. Não foram a fundo nele porque blindavam os políticos do PSDB, partido do qual o pai de Sérgio Moro é dirigente no Paraná e pelo qual Moro quer se candidatar a presidente em 2022.

Agora, neste vai e vem desta guerra entre setores da classe dominante brasileira, a coisa está virando uma briga de foice no escuro. Bolsonaro ataca a Lava Jato para minar uma possível candidatura do Moro em 2022. O PSDB está participando do acordão para domesticar Bolsonaro, logicamente porque a política econômica do Paulo Guedes é a mesma dos segmentos de classe que o PSDB representa. Para o PSDB é uma situação tranquila porque sabe que essa política econômica é muito impopular e vai desgastar Bolsonaro e os tucanos ganham duas vezes: a política econômica que defendem é implementada e um candidato para a eleição de 2022, Bolsonaro, sairá desgastado.

Para a Lava Jato, Bolsonaro é inimigo e todos aqueles que lhe dão suporte político também o são. Minar o Serra é minar Bolsonaro e mandar um recado para o PSDB. PSDB e lavajatistas disputam a primazia como representantes de um mesmo segmento de classe. Quem ganhar esta queda de braço poderá indicar o candidato liberal (Moro, Huck, Doria?) para as eleições de 2022.

Se o processo contra o Serra avançar, a Lava Jato terá o cuidado de personalizar tudo no Serra, evitando queimar o PSDB, permitindo que Moro utilize o partido para lançar sua candidatura.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247