CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Davis Sena Filho avatar

Davis Sena Filho

Davis Sena Filho é editor do blog Palavra Livre

670 artigos

blog

Bolsonaristas reafirmam nos EUA ‘pedigrees’ de vira-latas — Lula, Bolsonaro, golpe, fascismo e soberania

O País tem que punir severamente policiais que participaram da intentona bolsonarista, bem como os empresários, políticos e generais bolsonaristas

Lula e Bolsonaro (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado | REUTERS/Adriano Machado)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Inicio o artigo com essas afirmações: “O indivíduo tipicamente fascista é, indelevelmente, irresponsável e inconsequente, perverso e leviano; sobretudo, ditatorial e violento, ou seja, trata-se de gente sem limites. Por isto, tergiversar com golpistas não é nada recomendável à saúde da democracia e da Constituição, à sua saúde física e mental. Com os fascistas não se negocia nada e coisa nenhuma, porque o diálogo é impossível e tem de ser interditado. Fascistas têm de ser severamente questionados, afrontados e derrotados, seja em qualquer campo de atuação e ação humanas”.

“Os fascistas são ultraviolentos e pregam o aniquilamento de seus adversários políticos e sociais. O fascismo é o que os vastos setores e segmentos da sociedade civil brasileira enfrentam, após a redemocratização do País em 1988. Contudo, em um tempo de 11 anos, os fascistas e golpistas resolveram se manifestar nas ruas de algumas capitais do País. Exatamente em 2013, eles resolveram de vez mostrar suas carrancas e focinhos. Fascistas têm carrancas e focinhos! Jamais rostos! O fascismo é a total e real antítese da civilização e da democracia, da compaixão e da solidariedade, do respeito e do amor, e por isso tem de ser duramente e incansavelmente combatido”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O fascista e apedeuta sobre todo e qualquer assunto, Eduardo Bolsonaro, tal qual seu pai Jair que por quase 30 anos foi um sujeito totalmente improdutivo e péssimo deputado, que jamais elaborou e apresentou na Câmara um único projeto de caráter republicano, cujo propósito é cooperar para o desenvolvimento econômico do Brasil, promover o bem-estar do povo brasileiro e preservar a soberania do País, resolveu ir aos Estados Unidos acompanhado de uma escória de fascistas histéricos, que infernizam o Congresso e a vida nacional.

O filho do brucutu de extrema direita foi à sua terra amada como sempre fez no decorrer de sua lamentável vida, sempre no papel de colonizado e subalterno porque nunca se deu o respeito, a trair gravemente o Brasil quando pediu a alguns deputados republicanos, também de extrema direita, para que os EUA efetivassem retaliações econômicas contra o Brasil, além de solicitar da maneira mais sórdida e subserviente que as autoridades brasileiras legalmente constituídas sofressem represálias, porque nas cabeças insanas desses deputados e deputadas extremistas à direita o Brasil está a vivenciar uma ditadura de esquerda.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Seria cômico se não fosse trágico e ridículo o ato quixotesco perpetrado por parlamentares bolsonaristas, ou seja, fascistas, que há apenas um pouco mais de um ano suscitaram e estimularam um golpe de estado, que terminou em uma tragédia da magnitude da destruição dos palácios da República, que representam os três poderes.

Os poucos deputados republicanos e de direita que receberam os doidivanas do Brasil estão até agora a gargalhar com o desarranjo mental e coletivo dos políticos bolsonaristas, que, além de mentirosos e trapaceiros, vivem a reclamar de censura, porque a liberdade de expressão para essa gente mentalmente tacanha, tosca e bisonha é também liberdade para insultar e mentir, caluniar e manipular, agredir e difamar, a infernizar a rotina brasileira sem dar trégua e não permitir que haja paz na sociedade brasileira.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Como a fiscalização e a repressão ao crime e ao banditismo, exemplificados em fake news, não estão sendo tolerados por setores importantes da Justiça e do Executivo, como aconteceu nos idos de 2018 até o anos de 2022, ou seja, no período de Bolsonaro a ocupar o poder, a gritaria da extrema direita se tornou altissonante e a luta dos fascistas para que a democracia e as instituições republicanas se tornem instáveis é sistemática e imperativa.

A verdade é que desde sempre a saída política e eleitoral da direita e da extrema direita é tocar uma música de uma nota só, que é apostar no conflito com o Judiciário, a acusá-lo, inacreditavelmente, de ter instalado uma ditadura, ou seja, um regime de perseguição e censura no Brasil. Nada mais mentiroso e irreal.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Essas ações de ódio e sabotagem ao País não são aleatórias, pois são combinadas, organizadas e efetivadas com o único propósito de a extrema direita conquistar o poder e, quiçá, realizar o seu sonho de instalar uma real ditadura, além de radicalizar ainda mais quanto às políticas econômicas de espoliação e rapinagem por intermédio do ultraneoliberalismo.

Além disso, os bolsonaristas fazem uma oposição violenta e intensa ao Governo democrático e trabalhista do presidente Lula3, que ainda tem de enfrentar os porta-vozes dos interesses do grande capital que atuam e agem na imprensa comercial e privada (privada nos dois sentidos, tá?). Enfim, a direita que eternamente não tem programas de governo e nem projeto de País para o povo brasileiro, porque jamais, em hipótese alguma e em qualquer época desejou ou quis desenvolver o Brasil e o tornar independente e soberano.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Enfim, os bárbaros da extrema direita brasileira foram aos Estados Unidos, na capital Washington, e mais uma vez de incontáveis vezes envergonharam e humilharam o Brasil, a civilização, a educação, e a inteligência humana, quando trataram de avaliar e analisar a conjuntura brasileira e a internacional.

Sobremaneira, a visita dos bolsonaristas ignorantes e sem qualquer noção até de como se comportar em público, deve ter envergonhado os próprios direitistas republicanos por causa do deserto de ideias, propostas e propósitos, até porque seria exigir demais do bando de insanos plenos de má-fé, que apoiaram e ainda apoiam um golpe contra o Governo Lula 3, mas que precisam desesperadamente impedir que o Judiciário os impeça de cometer crimes em série na internet e de irem às ruas para quebrar palácios e afrontar a Constituição, a democracia e o Estado de Direito.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Há anos a extrema direita realiza atos e ações dignos de golpistas e usurpadores, que lutam para manter um Brasil desigual e injusto, porque sempre quiseram os poderes constituídos do País a serviço de poucos privilegiados, da burguesia endinheirada, que se beneficiam economicamente a partir do controle político do Estado nacional, como fizeram perversamente nos desgovernos Temer e Bolsonaro.

Depois de tudo que fizeram nesses anos tenebrosos do fascista Jair Bolsonaro no poder, bem como os brasileiros recentemente vivenciaram um golpe de estado contra a presidente legítima e constitucional Dilma Roussef, continuou a direita truculenta a conspirar contra a democracia e o processo eleitoral, quando os interditaram por meio da prisão ilegal e injusta de Lula3, bem como o povo brasileiro sofreu com o desmonte criminoso do Estado em inúmeros setores e segmentos, a ser colocado em xeque sua própria soberania.

Enfim, o deputado de extrema direita, Eduardo Bolsonaro, que liderou no exterior para a vergonha alheia a escumalha bovina e ignorante da qual sempre fez parte, agiu como um vira-lata subalterno e subserviente, a principal marca de seu caráter andrajoso e pueril. Ele, como um sujeito colonizado que é (e sempre o será), esteve mais uma vez a serviço dos interesses dos Estados Unido, especificamente no que diz respeito aos seus “aliados” da extrema direita estadunidense, aos quais ele e sua malta demonstraram grave insanidade, quando pediram para que os EUA punissem as autoridades brasileiras plenamente constituídas pela legalidade, ou seja, por intermédio da Lei — da Carta Magna.

E desse modo bisonho e vergonhoso se deu a “liderança” de um extremista de direita em terra yankee, a coordenar um bando de deputados colonizados, ignorantes e despreparados, a maioria eleita pelas redes da internet, um monte de desocupados e reacionários, frustrados e fracassados, mas oportunistas e espertalhões que perceberam que poderiam ingressar na política por meio das ondas bolsonaristas de 2018 e 2022.

E assim aconteceu e estão aí os bolsonaristas de caracteres fascistas a tratar de questões nacionais complexas, sem ter conhecimento, informações, sabedoria e preparo para assumir cadeiras no Congresso Nacional. E deu no que deu: o estancamento de inúmeros projetos de desenvolvimento e progressistas em inúmeros segmentos e áreas, além do inferno que implementam na rotina diária do povo brasileiro, principalmente a partir de 2013.

Eduardo Bolsonaro e o grupo de tresloucados que o acompanhou se mostraram completamente inconsequentes e irresponsáveis para tratar que qualquer questão com os estadunidenses, ainda mais quando se trata de assuntos brasileiros e a colocar em jogo a soberania do Brasil. Contudo, tal corja de conhecidos golpistas e usurpadores ficaram emocionados, certamente, com a viagem à terra amada, os Estados Unidos.

Tal aventura dos tresloucados da extrema direita brasileira tem por finalidade articular com os parlamentares republicanos e radicais de direita dos EUA, porque, como acentuei antes, o propósito é desestabilizar as instituições democráticas, a democracia brasileira, contrapor-se de modo insubordinado às decisões do STF e combater com ferocidade desmedida o governo democrático e trabalhista do presidente Lula 3.

O que aconteceu é que um dos filhos fascistas de Jair, Eduardo Bolsonaro, juntamente com sua trupe antinacional, antipopular e antidemocrática sugeriu a alguns parlamentares dos Estados Unidos punições jurídicas, institucionais e econômicas ao Brasil, o País onde nasceu tal ventríloquo do fascismo bananeiro, colonizado e de terceiro mundo.

O despropósito desses traidores da Pátria e usurpadores contumazes dos poderes constituídos é tão surreal, que não cabe palavra para definir tais pândegos que agem como membros de uma escória, que trata o Brasil e os brasileiros com um olhar colonial e o desejo de continuar a espoliação secular do País, bem como seguir com a exploração dos trabalhadores, sem cumprir com qualquer direito trabalhista e previdenciário.

Só que, cara pálida, a realidade às vezes age como um soco no estômago ou forte tapa na cara, como ocorreu no período grave da Covid-19, quando milhões de trabalhadores de inúmeros setores e segmentos tiveram de se afastar de seus empregos ou diminuir suas atividades em seus postos de trabalho.

Os números e índices econômicos e financeiros foram vertiginosamente para baixo, sendo que milhares e milhares de casas comerciais e industriais de variados tamanhos foram à bancarrota — à falência. O desemprego que indicava índices muito altos no decorrer dos desgovernos dos fascistas e ultraneoliberais de Michel Temer e Jair Bolsonaro aumentou exponencialmente.

A Covid-19 mostrou, ipsis litteris, que os principais responsáveis por tudo o que se produz no Brasil e em todos os países, a enriquecer os ricos e muitos ricos por meio da força do trabalho são os trabalhadores. Por sua vez, a sociedade tem de ver um monte de vagabundos e fracassados a entrar na política e, com efeito, sabotar o desenvolvimento do Brasil e o bem-estar do povo brasileiro.

A pandemia do Novo Coronavírus deixou, indubitavelmente, claro e transparente que os trabalhadores são os principais agentes sociais que enriquecem e desenvolvem o País e não os empresários, que se dedicam à aplicação de seus capitais e a comprar ações, inclusive nas empresas estatais do setor público e de economia mista, além de comprar obviamente títulos do governo, um ganho que certamente se transformará em lucro com toda a segurança. A verdade é que não há um indivíduo privatista e capitalista que não ame mamar nas tetas fartas do bom e velho Estado, o verdadeiro e real indutor da economia. Duvida, cara pálida? Então vai ler e estudar história... Ponto.

A verdade é que a extrema direita que viajou para Washington é desprovida de vergonha na cara, porque defende a subordinação total do Brasil a uma potência mundial, além de querer o fim dos direitos e garantias dos trabalhadores brasileiros, defendem ainda que os Estados Unidos aprovem uma lei para penalizar as autoridades brasileiras constituídas, porque a alegação do bando radical de direita, que vive a lamber as botas do Tio Sam, é que o Brasil dobre os joelhos, como fez no desgoverno de Bolsonaro, sendo que para isso alegam que o poderoso País sul-americano deixou de ser uma democracia representativa.

Pasmem, a extrema direita que tentou um golpe de estado em 8 de janeiro de 2023, além de ter cometido inúmeras ações criminosas anteriores ao 8 de janeiro, acusa o maior e mais importante líder político pró-democracia e pró-estado de direito da história do Brasil, como o é o Lula 3, de ser uma autoridade que persegue a extrema direita, juntamente com os ministros do STF, notadamente o ministro Alexandre de Moraes.

Os financiadores e incentivadores de golpes de estado tiveram ainda a cara de pau de dizer que o Governo Lula 3 e o STF não respeitam os direitos dos “conservadores” de Terra Brasilis, a terra que, na verdade, odeiam e sempre odiaram, porque, essencialmente, essa alcateia de golpistas, com valores colonialistas e aliada secular dos países imperialistas, no fundo quer apenas voltar ao poder, do jeito que der e doa a quem doer. Ou seja, na realidade, a direita fascista da qual Eduardo Bolsonaro faz parte com destaque quer, de fato, uma intervenção estrangeira no Brasil. Ponto.

Esse tipo fascista, irresponsável e leviano de gente não tem limites e por isso tergiversar com golpistas não é nada recomendável à saúde da democracia e da Constituição. Todos nós sabemos quando tais insanos chegam ao poder efetivam ações públicas e políticas de destruição ou enfraquecimento do Estado nacional, que ao invés de garantir o acesso a direitos à população, movimenta-se na direção de ser um Estado repressor e opressor contra todos os setores e segmentos da sociedade civil organizada e desorganizada, assim como colocam o Estado a serviço dos poderosos da iniciativa privada nacional e internacional, porque apenas há interesse de proteger totalmente os privilégios e benefícios dos ricos, como se viu nos desgovernos entreguistas, ultraneoliberais e radicalmente direitistas dos usurpadores e golpistas Michel Temer e Jair Bolsonaro. Ou alguém vai ter a desfaçatez, a hipocrisia e o cinismo de considerar o draconiano Temer um político democrata?

Mentiroso, manipulador, traidor e usurpador, Temer deu início ao desmonte do Estado nacional e à entrega das riquezas naturais do Brasil, além de extinguir projetos desenvolvimentistas e programas sociais que visam a igualdade de oportunidades e racial. Tratou-se, ipsis literis, de golpe de estado altamente violento e perverso, que ocorreu no Brasil em 2016. Um golpe marcado em sua realidade e verdade no processo da luta de classe. A verdade é que foi a maior roubalheira, pirataria e espoliação contra um País da grandeza do Brasil e seu povo trabalhador.

Roubaram e espoliaram a todos e tudo, de maneira a desmontar as estatais estratégicas para vendê-las em pedaços “disfarçadamente”, bem como enfraqueceram os diversos e inúmeros órgãos de fiscalização em todos os setores e segmentos da vida civil, a fim de roubar livremente com o enfraquecimento proposital da fiscalização e da diminuição criminosa dos investimentos do Estado.

Roubaram avidamente em grande profusão, a se lambuzar com o melado como nunca fizeram, com grande gula e ganância, com incontrolável disposição para cometer crimes financeiros contra a população e envernizados por uma suposta legalidade. Jamais os empresários de inúmeros setores roubaram tanto o povo brasileiro, com o apoio de seus bate-paus ultraneoliberais e fascistas, que tomaram o poder central de assalto com a maquiavélica deposição de Dilma Rousseff e a prisão ilegal e injusta de Lula3.

Até os produtos alimentícios em suas embalagens diminuíram de tamanho de maneira escandalosa, mas, obviamente, com os preços alterados e majorados para cima, o que acarretou fome e miséria, que vergonhosamente voltaram com força, a vicejar no Brasil.

Impuseram também o negacionismo em um País acostumado culturalmente e rotineiramente com a ciência e medicina no que é relativo mais precisamente às vacinas e ao combate à Covid-19, que é também uma forma de dominação da classe abastada sobre as outras, sendo que a classe média mais uma vez mostrou seu mau-caratismo e ignorância ululantes em forma de racismo, misoginia, xenofobia e preconceitos variados de toda monta e tamanho, a se valer da ultraviolência por meio da internet e até mesmo física, como ocorreu nas ruas das cidades deste País.

Apesar desse diabólico processo político e judicial acontecido no Brasil, e após Lula 3 vencer as eleições contra o Estado burguês que o enclausurou por meio de ações deletérias da tríade do golpe formada pelos apoiadores de Temer, juntamente com os bolsonaristas e lavajatistas, assim como contaram também com o apoio e a participação, inequívoca, dos donos das grandes corporações de comunicação de negócios privados.

A resistência de setores democráticos, progressistas e garantistas da sociedade brasileira se mostrou vigorosa, de maneira que o golpe de estado organizado pela extrema direita civil e militar sucumbiu, apesar de muitos ativistas do golpismo ainda estejam em atividade à espera de oportunidade para emparedar as instituições republicanas e, com efeito, enfraquecer a democracia e mandar para o espaço, de preferência a pontapés, o estado democrático de direito.

Os deputados brazucas da extrema direita foram aos EUA e pediram praticamente por uma intervenção estrangeira no Brasil. Eles são, na verdade, moralmente iguais ao Macunaíma, do modernista Mário de Andrade. Esses caras pediram aos parlamentares norte-americanos que os Estados Unidos aprovem uma lei para penalizar as autoridades brasileiras, sob a justificativa de violação dos “direitos de conservadores”, bem como em devaneios coletivos desejam que sejam impostas sanções ao Brasil, para que a hipotética “ditadura de esquerda” seja combatida.

Porém, o deputado democrata James P. McGovern vetou o encontro entre os deputados da extrema direita brasileira com os estadunidenses na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Representantes daquele país, que vive eternamente em guerra. McGovern é um dos dois presidentes da Comissão. O outro é o republicano Chris Smith, que é alinhado aos interesses dos fascistas no Brasil.

Os democratas acusaram os deputados republicanos de usar o Congresso dos EUA para apoiar negacionistas brasileiros, que contestam sem provas a vitória eleitoral de Lula 3 e o sistema de urnas eletrônicas do TSE, que é uma referência mundial, bem como tentaram um golpe de estado, que terminou com a destruição dos palácios dos Três Poderes.

Assim estão a levar a vida os filhos ensandecidos do fascista Jair Bolsonaro, aquele sujeito desqualificado e desclassificado que arrasou com a economia do Brasil, humilhou os brasileiros mais pobres, pois passaram fome e ficaram desempregados, desonrou por meio de variadas e inúmeras baixarias o cargo de presidente da República, além de ter transformado um País importante e poderoso como o Brasil num pária mundial, porque vergonhosamente de joelhos perante o colonizador.

Para finalizar o artigo, chega-se à conclusão que o Brasil e grande parte de seu povo, que não participa do submundo bolsonarista, mas, pelo contrário, é capaz de por meio do voto derrotar uma candidatura de essência fascista e ultraneoliberal, a controlar os recursos do Estado e a fazer uso abrangente de fake news nas redes sociais e de violência nas ruas, a tentar intimidar inúmeros segmentos e setores da sociedade civil.

Os fascistas e negacionistas ameaçaram e intimidaram os cidadãos mais simples e as pessoas poderosas, mas que não apoiaram as autoridades fascistas que estavam a ocupar o poder central, que foram derrotadas nas urnas pelo presidente Lula 3 e seus apoiadores, que optaram pela democracia e pelo desenvolvimento social e econômico do Brasil.

O que o País tem de fazer agora é punir severamente os golpistas, não somente os bagrinhos vestidos de amarelo que estão na Papuda e na Colmeia, mas, sobretudo, as autoridades militares e policiais que participaram da intentona bolsonarista, bem como os empresários, políticos e generais que têm de responder pelos seus crimes sistemáticos contra a nação brasileira. A verdade é que os bolsonaristas reafirmaram nos EUA seus ‘pedigrees’ de vira-latas, tanto quanto iguais ao gado que muge ridiculamente contra seus próprios interesses. É isso aí.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO