Bolsonaro deverá dar mais ouvidos a Carluxo do que aos generais

Para Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia, "o surto de racionalidade do presidente, em 31 de março, no mesmo dia em que o vice Hamilton Mourão enaltecia, publicamente, o golpe militar de 1964, parece ter sido, portanto, um ponto fora da curva"

www.brasil247.com - Carlos e Jair Bolsonaro
Carlos e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)


Por Leandro Fortes, para o Jornalistas pela Democracia 

O maior problema de Bolsonaro, no espectro da governança, é não ter opinião balizada sobre nada. A todo o momento, noticia-se, cá e acolá, que ele fez tal coisa ouvindo um interlocutor diferente, seja o cartomante Olavo de Carvalho ou, com frequência assustadora, o filho 03, o mentecapto Carluxo. Faz sentido: quando está por conta própria, assediado pela claque de idiotas plantada no Palácio da Alvorada, o presidente parece replicar uma legião de demônios.

Assim, enquanto constrói a imagem de presidente mais patético da história da República, Bolsonaro tem alternado conselhos dados ora por generais – aqueles que ele ainda não humilhou e traiu – ora por Carluxo, a genial eminência parda que vê na pandemia do Covid-19 uma conspiração chinesa para a implantação do socialismo, no Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O discurso de 31 de março, mais moderado e racional, ao que parece, foi um conselho de general Villas Boas, ex-comandante do Exército em governos petistas, também como forma de Bolsonaro se reencontrar com a cúpula militar, antes de cair no isolamento total.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pareceu um movimento sensato, até, 12 horas depois, o presidente replicar uma notícia falsa sobre desabastecimento na Ceasa de Minas Gerais – aliás, uma estatal federal – para acusar governadores de promover fome e desemprego, ao adotar o isolamento social da população. Ninguém tem dúvida de que o vídeo, postado na conta de Twitter de Bolsonaro, foi uma ação de Carluxo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O surto de racionalidade do presidente, em 31 de março, no mesmo dia em que o vice Hamilton Mourão enaltecia, publicamente, o golpe militar de 1964, parece ter sido, portanto, um ponto fora da curva. Ao que parece, Bolsonaro vai continuar dando mais ouvido a Carluxo do que aos generais. O 03 acaba de ganhar uma sala, ao lado do pai, no Palácio do Planalto, por ora transformado em uma espécie de hospício familiar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email