Bolsonaro é o extermínio da razão

A democracia no Brasil é fake com a cara do Bolsonaro e garantia de STF e Globo.

(Foto: Adriano Machado - Reuters)

A democracia no Brasil é fake com a cara do Bolsonaro e garantia de STF e Globo.   

“O Brasil não é um terreno aberto onde nós pretendemos construir coisas para o povo. Nós precisamos desconstruir muita coisa, desfazer muita coisa”. (Jair Bolsonaro, presidente fascista e pária internacional desprezado pela civilização, além de se tratar do perverso desprovido de programa de governo que sustente e preserve a independência e a soberania do Brasil e de seu povo).

Quando o Brasil retorna vergonhosamente ao mapa da fome, o chefe do Supremo Com Tudo (SCT), Dias Toffoli, engessa deliberadamente o Coaf (Receita) para blindar o filho mimado do presidente, que não quer assumir a responsabilidade do erro, mas se considera apto a ser senador da República, bem como o outro filho “trabalhador” experimentado na vida, além de policial fazedor de hambúrgueres, que reivindica ser embaixador nos Estados Unidos, percebe-se em poucos segundos que o Brasil é a Bananânia dos famigerados que aqui se criam, mas odeiam seu povo e a própria Pátria, o lugar onde ganham a vida e enriquecem, apesar do desprezo e do ódio latentes desses escravocratas, pois enraizados nessa gente violenta e preconceituosa há séculos.   

E não para por aí. Quando você vê o governo de um país de “elite” colonizada, violenta e subalterna como a do Brasil se submeter como um cachorro vira-lata com coleira e acorrentado deliberadamente aos Estados Unidos ao ponto de realizar sanções contra o Irã, a ter como instrumento de a sabotada e desmontada Petrobras, realmente se tem de forma concreta e inapelável que vivemos em uma ditadura dissimulada, que tomou o poder a partir da deposição da presidente legítima e constitucional Dilma Rousseff, cujo golpe teve de obrigatoriamente prende o ex-presidente Lula, de forma que a bandalheira dos eternos e irresponsáveis cretinos brasileiros se tornasse vitoriosa e hegemônica.

É só isto? Claro que não, obviamente... Quando um desgoverno de ideologia fascista e anárquico no que é relativo ao desmonte do Estado, à entrega de riquezas naturais e aos direitos sociais e econômicos dos trabalhadores brasileiros, dos aposentados e pensionistas, assim como coloca em risco o meio ambiente, a autonomia dos indígenas e das universidades, além de praticamente promover a extinção dos programas sociais, certamente que a sociedade passa a vivenciar e a sofrer consequências dramáticas, sendo que praticadas intencionalmente por um presidente de extrema direita, que nos Estados Unido, em reunião com Donaldo Trump, afirmou ao mandatário yankee que o Brasil e os brasileiros não esperem dele atenção com o povo, porque ele e seu governo tem, na verdade, compromisso com os ricos, os muito ricos e, principalmente, com a economia e a geopolítica dos Estados Unidos.   

Naquele momento, Trump deve ter pensado: “Esse lacaio até que poder ser útil...”, sendo que deve ter olhado estupefato para sua equipe após ouvir o sabujo Bolsonaro acompanhado por Olavo de Carvalho e um bando de milicos privatistas brasileiros, que são simplesmente alienados, porque vazios de consciência patriótica e refratários à brasilidade, como sempre demonstraram no decorrer da história no papel de guardas pretorianos dos escravocratas e no presente como os garantidores dos interesses da burguesia tupiniquim, assim como do establishment internacional.

Porém, não acaba por aí, porque quando Bolsonaro vai aos Estados Unidos afirmar a Trump que não vai zelar pelos interesses do povo brasileiro, ele acena também que não irá cuidar dos interesses do Mercosul, da Unasul, do G-20, do Brics, dentre outros blocos dos quais o Brasil era importante signatário. A verdade, volto a ressaltar, é que quando o fascista e entreguista Jair Bolsonaro promete a Trump alinhamento político e diplomático total, a comunidade fica a saber, sem ter a mínima dúvida, que o Brasil não tem um governante independente e soberano, mas sim um testa de ferro da pior qualidade para atender, com o suor e o trabalho do povo brasileiro, os interesses empresariais e militares dos Estados Unidos.   

Portanto, Bolsonaro, os militares submissos aos EUA e o pessoal golpista do MPF, PF e Justiça se organizaram em um consórcio alienígena e que tem o único propósito de manter o regime de força e exploração, conforme o prometido pelo presidente do Brasil à cúpula de Donald Trump, além de privilegiar, e muito, os apátridas do mercado financeiro e seus representantes, principalmente em países cujos dirigentes de tão ideológicos que são, a exemplo dos membros do governo Bolsonaro, que fazem questão de destruir e não construir.

A verdade é que a democracia no Brasil não passa de fake com a carranca de Bolsonaro, STF, Lava Jato e militares, a ter o grupo Globo a acobertar “tudo isso que tá aí”, mesmo a fingir que morde o ex-capitão, mas que na verdade seu trabalho e assoprar, tal qual faz com os crimes do juiz, dos procuradores e dos policiais federais da Lava Jato. Outrossim, não há nada a fazer quanto a combater esse estado de coisas a que foi levado o Brasil, que não para de afundar como se fosse um Titanic, tanto no setor setor econômico quanto no social.   

Para o bem da verdade, Bolsonaro atenderá e assim será enquanto estiver no poder e, consequentemente, atender o capital estrangeiro e o Departamento de Estado. Enquanto isto, o pior presidente da história do Brasil após a redemocratização, continua em seu périplo em torno do Brasil e da América do Sul, sempre a desmontar e a destruir o que foi feito em mais de 30 anos de democracia, no que diz respeito à luta pela edificação de estados de bem-estar social e às garantias constitucionais.

Vulgar e violento, colonizador do povo brasileiro, o fascista Bolsonaro e seus filhos alimentados a pão de ló, bem como a casa grande do Patropi são “privatistas”, que sempre viveram do dinheiro público pago pelo contribuinte. É assim que toca a banda da hipocrisia e do cinismo por parte da direita e da extrema direita, que cantam loas e boas para a iniciativa privada, mas que vivem e se alimentam do dinheiro público há séculos.   

É por este real motivo que a direita hidrofóbica e entreguista até a medula luta ferozmente pelo poder, sendo que quando derrotada em eleições livres e diretas, opta de forma rápida e violenta por garantir o controle do governo central por intermédio de golpes de estado, seja pela força das armas ou a inventar motivos jurídicos para cometer crimes de conspiração e traição conforme a época.

Bolsonaro sempre disse e admitiu a Trump, nos Estados Unidos, que seu governo de direita atua para priorizar os interesses dos Estados Unidos. Ele quer desconstruir e não melhorar as condições de vida dos brasileiros, tanto que se recusou a debater sobre o Brasil nas eleições e até hoje não apresentou um programa de governo em prol do desenvolvimento do Brasil. O fascista de terceiro mundo não se atém a apenas discursar, e coloca suas garras para fora, quando anuncia a venda criminosa da Embraer à Boeing, ceder a Base de Alcântara, entregar os Correios, desmontar a Petrobras, vender a preço de banana a Eletrobras, esvaziar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, privatizar as universidades públicas, desmoralizar e apequenar o BNDES.   

Bolsonaro e sua trupe de entreguistas ensandecidos e talibãs do mercado financeiro consideram que tudo do Brasil não presta, pois porcarias. Contudo, não há gringo malandro, esperto e safado que não queira comprar as empresas públicas brasileiras, que deveriam ficar nas mãos do povo brasileiro, porque geram emprego e distribuição de renda, assim como dão segurança ao desenvolvimento, à ciência e à pesquisa neste País, cujas gerações o construíram com suor, lágrimas e sangue.

O povo brasileiro, principalmente a classe média leviana, colonizada e bastarda como filha do Brasil pagarão pela ignorância e o deszelo pelos interesses do País, acima de tudo seu desenvolvimento como Pátria, em busca constante para implantar seu marco civilizatório entre as grandes nações, apesar dos inimigos internos e traidores, que são as “elites” brasileiras proprietárias das casas grandes mais colonizadas e servis do mundo ocidental.   

O lacaio ignorante que não conhece as realidades do Brasil está cercado por militares lamentavelmente privatistas e entreguistas e por economistas que só não venderam as mães deles porque elas já morreram ou estão velhas demais. Quando esse sujeito bateu continência à bandeira americana, nitidamente se percebeu que ele veio para que as potências mundiais pudessem sugar as riquezas do Brasil, sendo que a maior e mais importante é a força de trabalho do seu povo, o que movimento o mercado interno e faz a roda da economia girar.

Tal brucutu militarizado é tão despropositado que abriu mão da exigência do visto para os estadunidenses, sem exigir a reciprocidade. Há anos afirma que a Amazônia brasileira não pertence apenas ao Brasil, de forma também que não deixa explicitado realmente qual seu interesse, já que seu governo tem mais militares do que os generais presidentes da ditadura militar.   

Ao longo das eleições de 2018, ele bateu continência para a bandeira dos EUA. Já eleito, ele bateu continência para um assessor de Trump. E há anos já falava em entregar a Amazônia brasileira aos estadunidenses. Agora, com a Base de Alcântara e a não exigência de visto isso pode se tornar uma realidade, além de ser assessorado por militares e gente da Justiça, da PF e do MPF que jamais se importaram com a espionagem que violou o gabinete da presidente Dilma Rousseff, que se repetiu no avião da Presidência, bem como na Petrobras, principalmente quando foi descoberto o Pré-Sal, realidade esta que fez os EUA reativarem a Quarta Frota de sua Marinha de Guerra.

O alinhamento automático aos Estados Unidos e os prejuízos econômicos perpetrados em grande dimensão a partir da vitória de Dilma Rousseff, em 2014, ao derrotar o playboy e golpista irresponsável Aécio Neves, só trouxeram prejuízos ao País, que, além do golpe de estado liderado pelo traidor e um dos maiores crápulas produzidos pela humanidade — o vulgo mi-shell temer —, ainda teve de se ajoelhar a fatores que colocam em xeque a soberania nacional, porque o tirano Bolsonaro e sua trupe antinacional e antipopular estão a sacramentar acordos que tem por propósito favorecer um único País — os Estados Unidos.   

A troco de quê — pergunto sempre. Por que tais atitudes? Qual é a intenção de não olhar com zelo para o povo brasileiro? Por que tanta subalternidade, subserviência e falta de vergonha na cara? Qual o motivo de tanto desprezo e ódio pelo Brasil? De qual inferno vem essa gente, sem eira nem beira, mas perversa até o último fio de cabelo? Por que razão? Com a resposta, os vagabundos da casa grande, que enriquecem e vivem do trabalho dos trabalhadores há séculos.

Bolsonaro é um fascista sem leitura e compreensão do povo brasileiro. Um ignorante viciado em nepotismo e apenas preocupado em viver bem, com muito dinheiro e conforto para si e seus filhos. É isto o que ele é: um pequeno burguês, interessado em dinheiro desde quando se confrontou com seus superiores do Exército, que virou presidente por causa de incidentes da história. Bolsonaro é alma e espírito da classe média perversa, ignorante e exaltada por ter visto negros, pobres, nordestinos e grupos sociais saírem do anonimato e alcançar protagonismo e visibilidade.   

Jair Bolsonaro, os juízes, procuradores, policiais e militares, além de grande parte do empresariado burro, que está a perder dinheiro com o desastre econômico e social do desgoverno fascista e entreguista que apoiaram, não quer saber de nada, porque apesar de ignorante e da ignorância sentir orgulho, além de usá-la como discurso para seus atos antidemocráticos, antinacionais e antipopulares, certamente que a direita brasileira continuará a apoiá-lo, porque sua ideologia se resume a dinheiro e patrimônio. É por isto que a direita investe e luta. O ex-capitão e o sistema que o apoia são de direita. Bolsonaro é o extermínio da razão. É isso aí.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247