Bolsonaro Kid e a pistola da ignorância

Ele também deu uma generosa contribuição para o livro das abobrinhas, ao dizer que defende o porte de arma para todos os cidadãos, inclusive as mulheres, para que assim elas parem com esse mi mi mi de feminicídio.  Segundo, o mico, digo, o mito, "com as mulheres tendo uma arma na cintura não vai haver mais feminicídio, vai ter é homicídio"

Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
Deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) (Foto: Nêggo Tom)

Têm-se muitas razões para crer que o fim do mundo está próximo. Mas temos ainda mais razões para acreditarmos que o último capítulo da existência terrestre já foi exibido, e nós não fomos avisados. Talvez o que estejamos vivendo hoje, seja uma espécie de vale a pena ver de novo, em forma de remake, cujas personagens são reencarnações de figuras abjetas e desprezíveis, que infelizmente, já habitaram o planeta.

Faz-se humanamente impossível ouvir certos discursos e absorvê-los tanto com naturalidade, quanto com normalidade. É tudo muito louco e desajustado. Nem Freud explicaria. Ao mesmo tempo em que temos um presidente da república que vem felicitar as mulheres pelo seu dia, fazendo um discurso de exaltação e agradecimento aos serviços domésticos que elas prestam aos maridos e aos filhos, desde a criação do mundo, vimos um preto declarar que a escravidão dos pretos pelos brancos nunca existiu e que na verdade, ele foi escravizado pelos negros, salvo pelos brancos e se tornou Rei. Verdadeiras pérolas da nossa vida cotidiana.

E parece que o dia das mulheres desse ano mexeu mesmo com a cabeça de algumas personalidades da vida pública nacional. E o deputado Jair Bolsonaro, também conhecido como o mito da extrema direita, não podia ficar de fora. Ele também deu uma generosa contribuição para o livro das abobrinhas, ao dizer que defende o porte de arma para todos os cidadãos, inclusive as mulheres, para que assim elas parem com esse mi mi mi de feminicídio. Segundo, o mico, digo, o mito, "com as mulheres tendo uma arma na cintura não vai haver mais feminicídio, vai ter é homicídio" e tudo isso pontuado com uma horripilante gargalhada no final.

Vejam o vídeo: https://www.facebook.com/nasruas/videos/1288947091197185/?pnref=story

Bolsonaro conseguiu em uma só declaração, incitar a violência e externar a sua falta de inteligência. E de quebra, ainda tentou fazer um trocadilho que apenas ratificou o que já sabemos que ele é. Estúpido, violento e machista. Mas o pior de tudo são os comentários de seus seguidores. Seria o caso de se pedir um antidoping para saber se as fezes ideológicas servidas pelo deputado contêm alguma substância proibida que possa estar afetando os neurônios dos seus admiradores. O discurso de Bolsonaro mesmo sendo escatológico, consegue nos remeter ao comportamento dos homens primatas. Talvez isso explique o porquê dele ser chamado de mito.

Alguém precisa dizer ao senhor capitão da razão que nem todos os problemas do Brasil se resolverão com uma arma na cintura. Quando a inflação subir não adianta apontar uma arma para ela e nem colocá-la no pau de arara para fazê-la descer. É muito simplismo por parte de um sujeito que pretende governar o país. As idéias do deputado beiram a imbecilidade moral e cívica e precisam ser combatidas, para o bem do estado democrático. O que Bolsonaro deseja com o armamento da população, é ver um derramamento de sangue ainda maior em nossa sociedade e assim satisfazer a intolerância que inspira os seus desejos. É irresponsável demais que um parlamentar venha propagar ainda mais ódio, como se o que vivêssemos nos dias atuais não fosse o suficiente.

Bolsonaro é o mito dos ignorantes e dos que raciocinam com a ira. É o oposto da racionalidade, que evita tomar decisões sob o efeito da raiva e da fúria. Ele não pode ser presidente porque a sua falta de equilíbrio levaria o país a um caos institucional. Aliás, ele não tem equilíbrio nem para ser síndico de prédio. Sinceramente eu não creio que ajam possibilidades de ele se eleger, mas só de ver a quantidade de pessoas que se identificam com o seu discurso, já me acende o sinal de alerta e me suscita dois questionamentos. Para onde estamos caminhando? Com quem estamos convivendo? Estamos seguros tendo tanta gente raivosa e com sede de sangue ao nosso redor?

Bolsonaro que já foi "torturador de petistas", agora também se apresenta como "matador de tucanos", numa tentativa infantil de se desassociar da turma do golpe. Turma essa que ele apoiou e ajudou a colocar no poder. Inclusive, vale lembrar, que Bolsonaro agradeceu a Eduardo Cunha (preso por corrupção) durante a sessão da câmara que decidiu pelo impeachment da presidente Dilma, pelo brilhante trabalho realizado naquela oportunidade. Sem contar que o seu possível vice na chapa é o pastor Marco Feliciano, recentemente acusado de estupro e que entre os seus apoiadores estão gente do naipe de Silas Malafaia e pastor Everaldo. Só gente boa.

Jair Bolsonaro fez uma apologia ao crime, no dia em que deveria fazer apologia ao amor, ao respeito, a igualdade e a tolerância. As mulheres não precisam de uma arma na cintura e muito menos querem sair por aí matando homens para demonstrarem força e empoderamento. O feminicídio não é mi mi mi e discursos estúpidos e descompensados como o do deputado, contribuem para que o seu índice de incidência seja ainda maior. Deixe de ser estúpido, capitão. Se for para governar com tiro, porrada e bomba, melhor colocar a Valeska Poposuda na presidência.

Ela tem mais atributos pra isso do que o senhor.

Beijinho no ombro!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247