Bolsonaro também deveria ser investigado

"Bolsonaro pai está envolvido nisso porque os acusados por rachadinha no gabinete de seu filho são seus parentes – família de sua ex-mulher – ou amigos, como o notório Fabrício Queiróz. E rachadinha é um outro nome para corrupção", constata o jornalista Alex Solnik

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, para o  para o Jornalistas pela Democracia - Os dois principais personagens do Bolsonarogate – Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro - não foram alvo de busca e apreensão da Operação desencadeada esta manhã pelo MP do Rio de Janeiro, por meio do GAECO, como ocorreu com os demais acusados, todos seus subalternos.

Estão blindados por lei, só poderiam ter sido investigados se o STF tivesse dado permissão, mas isso sequer foi solicitado.

Presidente da República, de acordo com a constituição, não pode ser condenado por atos alheios ao mandato, mas pode ser investigado. Enquanto está no cargo a investigação prossegue, só que o julgamento se dá depois de cumprido o mandato.

Bolsonaro pai está envolvido nisso porque os acusados por rachadinha no gabinete de seu filho seus parentes – família de sua ex-mulher – ou amigos, como o notório Fabrício Queiróz. E rachadinha é um outro nome para corrupção.

Outra questão que deixa mal Bolsonaro na história é a evidência de que ele fora informado antecipadamente acerca dessa operação, que deveria ter ocorrido em sigilo, como ele mesmo declarou em entrevista.

Ele deveria ser instado a revelar quem o informou – e quebrou o sigilo da operação.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247