Bolsonaro tem inveja de Lula. Por isso o agride

“Jair Bolsonaro tem inveja profunda de Lula, do seu capital político, do que ele representa para o País e tenta ora emular o comportamento simples de Lula, ora ataca-lo”, diz o jornalista Aquiles Lins, editor do 247 e membro do Jornalistas pela Democracia, sobre a nova agressão do presidente eleito ao ex-presidente Lula pelas redes sociais; “Bolsonaro sente inveja de ver que mais de 500 pessoas foram passar o Natal em Curitiba. Ele sabe que se a Justiça fosse feita no caso Fabricio Queiroz, ele não teria 50 bolsonaristas vestidos de verde e amarelo defendendo sua honra. E a inveja espuma”

Bolsonaro tem inveja de Lula. Por isso o agride
Bolsonaro tem inveja de Lula. Por isso o agride

Por Aquiles Lins, do Jornalistas pela Democracia - O presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a agredir o ex-presidente Lula nesta quarta-feira, 26, pelas redes sociais. O líder da extrema-direita brasileira retuitou post do perfil satírico 'Falha de S. Paulo', que apresenta um Papai Noel com características físicas genericamente assemelhadas ao ex-presidente sendo detido por policiais militares. No mesmo dia, sua esposa, Michele, aparece vestindo camiseta repetindo a manifestação autoritária da juíza Gabriela Hardt contra Lula.

Assim como Fernando Henrique Cardoso, Jair Bolsonaro sente uma profunda inveja do ex-presidente Lula. Do seu capital político, de tudo o que Lula representa na história do País. Eleito sem apresentar um projeto de desenvolvimento para o Brasil, Bolsonaro tentar emular o comportamento simples de Lula.

Mas este comportamento de “gente como a gente” não tem substrato, é feito de puro marketing. E o exemplo do paulistano em relação a João Doria, rejeitando-o massivamente nas urnas, nos mostra que o marketing sem política pública tem limites. Uma imagem de Bolsonaro lavando uma peça de roupa jamais refletirá sua simplicidade assim como uma foto de Lula segurando uma caixa de isopor na cabeça.

Tem um abismo, impossível de se transpor, que impede afirmar que Bolsonaro é o Lula da direita. Lula se transformou no Lula que conhecemos por sua luta de quase meio século em defesa dos trabalhadores, dos mais pobres, dos menos favorecidos, dos oprimidos. Lula tem identificação popular e por meio de seus dois governos, deixou o Brasil um país melhor.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Bolsonaro, que a vida inteira viveu no baixo clero da Câmara como uma caricatura política, se transformou em Bolsonaro presidente eleito fazendo o oposto disso: oprimindo os mais pobres, atacando-os, estimulando a violência contra eles, apoiando medidas que tornam os brasileiros ainda mais desiguais. A simplicidade de Lula e sua identificação popular são autênticas. A de Bolsonaro é artificial e será rejeitada pela população assim que esta perceber as reais intenções do governo eleito. 

A inovação de Bolsonaro em relação a FHC é que o capitão da reserva deu vazão ao ódio de classe sentido mas contido por boa parcela da população brasileira. Bolsonaro abriu o armário dos monstros e libertou todo o machismo, o racismo, a homofobia, a aporofobia que cresceu junto com as políticas de combate à desigualdade implantadas nos governos do PT.

Bolsonaro deve sua presidência a Lula. Ele vive em função de Lula, de ataca-lo, de agredi-lo de maneira covarde, pois é daí que vem sua popularidade. Bolsonaro tem ódio e inveja de ver que 500 pessoas deixaram suas famílias para viajar centenas de quilômetros e passar o Natal na Vigília Lula Livre em Curitiba.

Bolsonaro sabe que se a Justiça fosse usada contra ele no caso Fabricio Queiroz do mesmo modo como foi usada contra Lula, ele não teria 50 bolsonaristas vestidos de verde e amarelo defendendo sua honra. E a inveja espuma.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247