Bolsonaro tenta o golpe da "nova" Constituição

"Desde o primeiro dia, é um governo dos absurdos, viciado em tomar decisão com cacoetes de quem sempre se apoiou em quepes militares", escreve o blogueiro Hayle Gadelha, sobre o governo Bolsonaro. "Tudo que se fez de absurdo ficou justificado por causa do pavor em enfrentar Lula", explica

(Foto: divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Lula está solto na política e a direita se apavora. Apavora de arrancar os cabelos, como ficou bem claro até no debate dessa semana, na Globonews, entre o senador Cristovam Buarque, o deputado federal José Guimarães e o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo. Como tema, um debate sobre o clima de polarização e de radicalização no discurso político no Brasil.

O representante de Bolsonaro, com o objetivo único de prender Lula, chega a falar de planos de reforma da Constituição. Opõe-se inclusive ao esclarecimento do STF sobre o impedimento de prisão de condenados em Segunda Instância. Desde o primeiro dia, é um governo dos absurdos, viciado em tomar decisão com cacoetes de quem sempre se apoiou em quepes militares, acreditando que tanque nas ruas é mais importante do que os caminhos democráticos de uma Constituição.

O processo que levou à prisão de Lula, diz o deputado José Guimarães, com essa linguagem esquisita de quem estudou Direito, “é eivado de falhas e sobretudo de incorreções e ilegalidades”. Ele ainda deixa claro que Lula “poderia ter sido solto sem precisar de 2ª instância - não soltaram politicamente”.

A linguagem é tortuosa, mas o entendimento fica bem claro. Tudo que se fez de absurdo ficou justificado por causa do pavor em enfrentar Lula diante do voto popular. Felizmente a reviravolta do que é direito, garantindo a liberdade de Lula, recompõe a base democrática da sociedade brasileira, repõe minimamente a democracia nos trilhos.

Lula de volta significa revolta nos meios fascistas. Lula Livre é a reviravolta rumo a um Brasil de futuro.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247