Bolsonaro virou o velho do saco

"Impeachment contra um Bolsonaro que não governa mais? Blindaram Bolsonaro como o mais ingênuo bolsonarista poderia prever. O governo é dos generais. E não há como fazer impeachment de generais", escreve o jornalista Moisés Mendes sobre o governo Jair Bolsonaro

(Foto: Reuters | PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Moisés Mendes, para o Jornalistas pela Democracia 

Bolsonaro passa a ser, definitivamente, o maluco do cercado do Alvorada e apenas isso. Bolsonaro é um personagem. Os filhos de Bolsonaro também serão personagens, e tudo o que havia no entorno deles passa a ser desfeito.

Pode parecer uma nova decoração, com vasos velhos em novas posições, mas talvez não seja. E se não for, se Bolsonaro passa mesmo a ser apenas uma figura, atuando por empreitada na miudeza dos arranjos políticos, e se o general Braga Netto assume o comando do governo, ainda há chance de impeachment?

Impeachment contra um Bolsonaro que não governa mais? Blindaram Bolsonaro como o mais ingênuo bolsonarista poderia prever. O governo é dos generais. E não há como fazer impeachment de generais.

Fizeram a jogada que poderia parecer imprevisível para Osmar Terra, mas era a mais previsível de todas.

Os generais não estavam desconfortáveis no governo, estavam apenas a caminho das circunstâncias que os tornariam confortáveis.

Nunca, desde a ditadura, os militares desfrutaram de tanto conforto. São a nova face de um governo eleito, controlam as loucuras de Bolsonaro, sem se desfazer dos seus serviços, não aplicam golpe, não usam a força e governam com Bolsonaro.

Bolsonaro continua agredindo, mordendo, dizendo desaforos e até, eventualmente, fazendo alguma declaração mais forte na direção da sua turma, porque é preciso manter a torcida acordada. Mas o Bolsonaro da semana passada não existe mais.

Nem, Bolsonaro, nem Guedes, nem os filhos de Bolsonaro existirão como existiram até aqui. Os generais disseram: agora deu.

Bolsonaro vai ter de negociar, sim, com o que há de mais imundo na política, para que os generais governem.

Precisaram apenas de uma ideia, o Pró-Brasil, que põe capacete nos generais e permite que imitem seus ídolos da ditadura. Os generais serão obreiros.

A reputação do governo está nas mãos dos generais. E os outros seis generais que foram expelidos do governo e asseguram que os miliares não são governo?

Esses ainda não entenderam que perderam, não de 7 a 1, mas de goleada. Não há mais governo Bolsonaro, não há mais Paulo Guedes.

O Fora Bolsonaro pode ter chegado atrasado. Bolsonaro é apenas o velho do saco do Alvorada.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247