Calero, Geddel e a pimenta no C... do decorativo

Em pouco mais de um mês Temer e seus sinistros gastaram dos cofres públicos o equivalente ao previsto para o ano inteiro, aumentando mais ainda o rombo nas contas públicas; o País assiste atônito a novela de Calero , Geddel e a pimenta no C... do decorativo; depois disso, o governo se tornou mais frágil e insustentável e com a opinião pública irredutível, que não quer mais ser enganada

Em pouco mais de um mês Temer e seus sinistros gastaram dos cofres públicos o equivalente ao previsto para o ano inteiro, aumentando mais ainda o rombo nas contas públicas; o País assiste atônito a novela de Calero , Geddel e a pimenta no C... do decorativo; depois disso, o governo se tornou mais frágil e insustentável e com a opinião pública irredutível, que não quer mais ser enganada
Em pouco mais de um mês Temer e seus sinistros gastaram dos cofres públicos o equivalente ao previsto para o ano inteiro, aumentando mais ainda o rombo nas contas públicas; o País assiste atônito a novela de Calero , Geddel e a pimenta no C... do decorativo; depois disso, o governo se tornou mais frágil e insustentável e com a opinião pública irredutível, que não quer mais ser enganada (Foto: Ricardo Fonseca)

Um congresso alinhado com o judiciário, expurgou Dilma Rousseff do poder, num momento crítico da crise econômica brasileira. Tudo teria dado certo, se o sucessor não fosse o ex -vice que fez cartinha de jardim de infância, para se queixar da presidenta.

Parece que foi ontem que ouvi um repórter da rádio CBN, as vésperas do Impeachment de Dilma dizendo: “ Ela até que é honesta, não está saindo porque roubou o País, mas sim porque nenhum País aguenta dois anos de recessão”.

Empurraram o decorativo definitivamente goela abaixo de 54,5 milhões de pessoas em todo o Brasil e criaram um novo salvador da Pátria (sqn) no estilo Collor envelhecido. Bateram tanto nas pobres panelas, que elas não servem nem pra vaso de planta, talvez ainda sirvam para vaso sanitário, quem sabe...

Em pouco mais de um mês Temer e seus sinistros gastaram dos cofres públicos o equivalente ao previsto para o ano inteiro, aumentando mais ainda o rombo nas contas públicas. Criaram uma política vira-lata de privatizações e entreguismos.  Pior, dois dias depois de ter sido empurrado em definitivo, Temer sancionou a lei que legaliza a abertura de créditos suplementares sem autorização do Congresso Nacional. Bingo! Foi o grand finale da realização do golpe mais torpe da história.

Os meses do governo decorativo se passaram é quase um ministro caiu por mês. Ou seja , em seis meses, foram cinco deles que despencaram feito frutas podres da árvore igualmente podre, quando bate uma ventania forte. Calero foi pressionado por Geddel, que teve o apoio de Temer para tratar de assuntos e benefícios particulares, com interveniência dos órgãos públicos. Temer prevaricou, sabia de tudo! Ele, um velho conhecedor do modus operandi do governo que fora empregado, gravou Geddel e o próprio Temer para se proteger. O decorativo o criticou, dizendo que foi “ indigno e gravíssimo gravar o presidente”. Hahahahaha!!!

Engraçado, não foi isso que ele (Temer) disse quando Moro gravou ilegalmente Lula e Dilma e ainda divulgou-as na mídia. Aliás, graças a elas e a campanha horrorosa da mídia tradicional com os apoiadores do golpe (leia-se Fiesp, empresários da direita gourmet batedora de panela), foi que Temer, se apoderou do poder. Todos sabem que foi ilegal a saída da Dilma, mesmo com o salvo conduto do MPF dizendo que não houve crime de responsabilidade. Mas fazer o que, né? Já foi!

Hoje a situação muda de figura, o governo que veio pra acabar com a corrupção está até o pescoço entalado numa lama espessa e nojenta. A crise econômica, o desemprego e a inflação do Brasil real continuam crescendo vertiginosamente, enquanto que nas propagandas de rádio e TV do governo, elas inexistem.

Calero não tem perfil e nem será reconhecido na história como um herói , mas a sua atitude em denunciar os desmandos de Temer e sua corja, foi um considerável ato de desprendimento e grandeza. Ele não temeu Geddel e nem o próprio Temer. Deu a sua cara a tapa! Certo ou errado, honesto ou implicado, a verdade é que o ex do MinC acendeu o rojão, que vai implodir o governo do temerário.

Assim como Lewandoviski disse um dia que: “a saída de Dilma foi um tropeço da democracia”, e todos sabem que cuja a perna , foi colocada com o apoio do STF pra ela cair. De igual forma, a denúncia de Calero, foi um empurrão vigoroso nas costas de Temer, para que ele despencasse do penhasco de sua hipócrita “Ordem e Progresso” e cair no fosso do julgamento justo popular.

Em seis meses nem um avanço, ao contrário, as coisas só pioraram a cada dia. A ampulheta do fim da era Temer está em seus últimos grãos de areia caindo. Mas precisa terminar este ano ainda, para que possa haver eleições diretas. Caso contrário, outro seguidor da doutrina Temer, discípulo de FHC ou o ele próprio, podem correr o risco de voltar numa péssima e ensaiada eleição indireta.  O Brasil está cansado de porcos, de dráculas e seus mordomos, de falsos profetas , de promessas mirabolantes e utópicas. O País está agonizando numa UTI do SUS sem gerador, corre risco de morte se houver um apagão elétrico e isso é deveras preocupante.

O País assiste atônito a novela de Calero , Geddel e a pimenta no C... do decorativo. Depois disso, o governo se tornou mais frágil e insustentável e com a opinião pública irredutível, que não quer mais ser enganada. Nem os altivos apoiadores civis do golpe, querem mais a continuação desse nada que se tornou o governo federal.

Não adianta uma coletiva de imprensa pra se queixar do ex Ministro da Cultura e nem pra dizer que a situação está controlada. A crise política-jurídica-econômica está insustentável e já passou de todos os limites toleráveis possíveis. Ou a PGR do seu Rodrigo Janot faz o dever de casa juntamente com o STF e Congresso Nacional. Ou o povo vai tomar as ruas e proclamar uma revolução popular cruel, com consequências imprevisíveis para o País.

Não adianta mais o STF, MPF, TSE, Câmara e Senado fazerem ouvidos e mercadores e fingirem que está tudo bem, porque todos sabem que não está. A melhor saída da direita é pela esquerda. Temer precisa fazer um mea culpa e renunciar urgente, para haver tempo para novas eleições ainda este ano. Apesar de que ele vai querer um Réveillon presidencial com pompa e circunstâncias.

Ele é vaidoso mesmo, é impopular assumido e odiado do que o Judas, mas se acha um político sagaz e esperto. Só que não! Se persistir no erro, será responsável por afundar cada vez mais o nosso País numa recessão sem precedentes. Do jeito que as coisas andam, o Brasil está se tornando uma Nicarágua e Temer poderá ser defenestrado como Adolfo Diaz, através de uma imensa revolução popular.
Existem três saídas dignas para o fim desse governo decorativo e golpista:
Temer renuncia – é a mais rápida e melhor para o momento.

Temer é cassado por improbidade e crime de responsabilidade, caso a PGR, STF e Congresso façam as suas obrigações. Temer é deposto pela pressão popular, caso não ocorra nenhuma das duas.  Diante do exposto, não existe mais governabilidade para Michel Temer e seus ministros. Aqui cabe bem dois velhos ditados populares: “Quem com ferro fere, com ferro será ferido” e “ Aqui se faz, aqui se paga”.

O povo brasileiro espera que alguma coisa aconteça o mais rápido possível , para o fim concreto - dessa farsa que sempre foi – o Governo Temer. Quiseram endireitar o País com a retirada da esquerda do poder, mas o máximo que conseguiram foi entortar bem mais.

#ForaTemer #DiretasJa

Ricardo Fonseca é Publicitário, Editor do Propagando, Colunista do Brasil 247 e Divulgador das causas midiáticas.     

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247