Candidatos a prefeito do Rio: De político de cativeiro a presidente de clube

A campanha começou em clima de pandemia e com a presença pouco sutil da milícia nos conhecidos currais eleitorais

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O primeiro debate dos candidatos à prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, a mais importante capital cultural do país, realizado dia 1º de outubro pela Band Rio, trouxe uma diversidade interessante para o eleitor. Dos quatorze candidatos, quatro concorreram mais de uma vez, dois foram candidatos a vice em outras eleições e oito são estreantes. 

O atual prefeito Marcelo Crivella, do Republicanos, concorre com a sombra do impeachment que o persegue na ALERJ. O prefeito dos ‘guardiões’, usou de extrema baixaria e mau gosto quando insinuou que, caso a candidata do PSOL Renata Souza, seja eleita, as crianças receberiam kit gay e seriam estimuladas ao uso de drogas nas escolas. 

O ex-prefeito Eduardo Paes, do DEM, dividiu com Crivella a preferência dos outros candidatos para debaterem no palco.  Eduardo foi o prefeito da Copa do Mundo e da Olimpíada, realizou obras importantes, principalmente nas vias públicas. Paes tem sua imagem associada ao ex-governador Sérgio Cabral, que está preso. 

A candidata do PT, Benedita da Silva, tem em seu currículo cargos como vereadora, deputada, senadora, ministra, secretária de estado, vice-governadora e governadora. É uma trajetória significativa, principalmente pelas dificuldades sociais históricas que mulheres, negras e faveladas são submetidas por uma sociedade hipócrita e escravagista. 

Entre os oito candidatos debutantes, temos um ex-nadador bolsonarista, Luiz Lima do PSL; Uma ex-juíza, Glória Heloíza do PSC, partido do pastor Everaldo, preso em operação contra desvios de verbas na saúde, a candidata é apadrinhada do governador afastado Wilson Witzel; Um candidato criado em cativeiro, Paulo Messina do MDB, solto em época de eleição; Um ex-presidente do Flamengo, Bandeira de Melo da REDE; Fred Luz do Novo, ligado à iniciativa privada. 

Também estiveram presentes as candidatas Clarissa Garotinho do Pros e Marta Rocha do PDT, que são bastante conhecidas pelos eleitores da capital do Rio de Janeiro. 

Os candidatos Cyro Garcia e Henrique Simonard do PSTU e PCO respectivamente, ficaram fora do debate, assim como a candidata Suêd do PMB, atendendo a um critério antidemocrático e injusto.  

Com isso ficamos sem ouvir Cyro Garcia que, se não tem muita chance, tem conteúdo. A campanha começou em clima de pandemia e com a presença pouco sutil da milícia nos conhecidos currais eleitorais. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247