Censo Agro 2017: Agricultura familiar está viva e presente!

O Censo mostra que há uma agricultura familiar que responde com produção, mesmo em um período marcado pelos fortes ventos da demanda internacional por commodities, que estimulam concentração fundiária e homogeneização produtiva

Agronegócio, queres que te chame de latifúndio (de novo)?
Agronegócio, queres que te chame de latifúndio (de novo)? (Foto: Jonas Oliveira)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O Censo Agropecuário 2017 [1] mostra que há uma agricultura familiar viva, que responde com produção, mesmo em um período marcado pelos fortes ventos da demanda internacional por commodities [2], que estimulam concentração fundiária e homogeneização produtiva. É uma agricultura familiar que tem diferentes cores, raças, gêneros, e que também responde pela diversidade ambiental e de alimentos do Brasil.

O Censo revela ainda a manutenção de 80,7 milhões de hectares com mais de 10 milhões de ocupações de perfil familiar. Os 107 bilhões de reais de valor da produção familiar é superior à economia de ao menos 12 Estados brasileiros [3].  Em 20 estados a participação econômica da agricultura familiar ficou igual ou superior aos 23% da participação nacional. A tal “perda” de espaço se deu nas chamadas novas fronteiras agrícolas, como na região do Matopiba[4].

A tecnologia veio para todos, mas os pequenos responderam melhor. Segundo o Censo, 80,7% dos novos tratores tinham menos de 100 cavalos de potência, produzidos para pequenas propriedades. Mais de 70% dos financiamentos obtidos pelos estabelecimentos rurais vieram do Pronaf, que está consolidado em praticamente todo o país. Quem não se lembra do desafio lançado pelo Presidente Lula durante a crise internacional de 2007 e 2008, em que a melhor saída da crise era produzir mais e melhores alimentos? O Pronaf Mais Alimentos mudou a cara do Brasil Rural, e é exemplo da política anticíclica desenvolvida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A expansão da assistência técnica, o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Alimentação Escolar e Seguro Agrícola e um conjunto de iniciativas focadas no bem-estar da agricultura familiar se articulavam para atendimento do mercado interno, que crescia com a redução das desigualdades e valorização do salário mínimo. Políticas que foram aniquiladas ou mantidas à míngua pelos governos que sucederam Lula e Dilma. E o MDA foi extinto.

Se a tecnologia explica tudo, o que explica uma PEC [5] que acaba com a função social da propriedade, e o boicote que impede a elevação dos índices mínimos de produtividade física, que estão congelados ainda nos anos 70 do século passado? O “sarrafo” da produtividade subiu, e quem ficou para trás hoje mantêm privilégios injustificados, como pagar impostos mais baixos e não ser desapropriado. Manter grandes propriedades que não aproveitaram o “sopro” do período só serve para alimentar especulação imobiliária e para sustentar a “herdeirocracia”.

Mais uma vez se provou que a agricultura familiar responde melhor aos estímulos de aumento da produção e produtividade, com políticas adequadas. Em um momento que seria bem mais negócio plantar soja, mulheres e homens seguiram nas feiras, colocando os alimentos nas escolas e na mesa das trabalhadoras e trabalhadores do Brasil.  Definitivamente, quem não gosta da agricultura familiar bom sujeito não é. Quem gosta, valoriza a agricultura familiar e quer de volta as políticas e um Ministério para chamar de seu, o MDA.

Notas

[1] “Agência – Detalhe de Mídia | Agência de Notícias | IBGE.” 25 out. 2019, https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-detalhe-de-midia.html?view=mediaibge&catid=2101&id=3283. Acessado em 1 nov. 2019.

[2] “Soja é produto mais importante do Brasil e rende US$ 40 ….” https://canalrural.uol.com.br/sites-e-especiais/projeto-soja-brasil/soja-e-produto-mais-importante-do-brasil-e-rende-us-40-bilhoes-em-exportacoes/. Acessado em 30 out. 2019.

[3] “Produto Interno Bruto – PIB | IBGE.” https://www.ibge.gov.br/explica/pib.php. Acessado em 30 out. 2019.

[4] Leite et al, “Mudanças Agrárias no Matopiba: Provocações Iniciais para um Debate”, 2019 (no prelo).

[5] “PEC de Flávio Bolsonaro ignora desafios ambientais e atenta ….” 17 jun. 2019, https://www.brasildefato.com.br/2019/06/17/pec-de-flavio-bolsonaro-ignora-desafios-ambientais-e-atenta-contra-reforma-agraria/. Acessado em 30 out. 2019.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email