Ciência, cultura e outros demônios

O cotidiano do nosso presidente dá a impressão de que ele anda rodeado por fantasmas, obcecado por casas assombradas por desafetos

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)


Ronaldo Lima Lins

O cotidiano do nosso presidente dá a impressão de que ele anda rodeado por fantasmas, obcecado por casas assombradas por desafetos. É o que o levaria a escolher assessores, às vezes de incontornável incompetência, aparelhando o Estado de quadros ideológicos de cama e mesa, sem demais considerações. Na rua, no cercadinho, nas reuniões da administração, uma ideia se sobrepõe às outras: o desejo de afirmação que beira à loucura e substitui a realidade por projetos de poder. As negociações com o PL de Waldemar Costa Neto, para a sua entrada, terminaram em impasses exatamente por isso. Deve ser difícil negociar com quem perdeu a noção de realidade. Desastres e, segundo parte da imprensa, baixarias, resultaram de seus desacertos. Pode se dizer que uma legenda para a sua eventual reeleição, no momento, é um de seus demônios. Mas há outros... A ciência e a cultura também se somam aos seus devaneios noturnos, ambas porque não coincidem com a estrutura de suas emoções, sempre à flor da pele. Suas motivações possuem características que o comportamento comum, previsível, não consegue decifrar. Programada como propaganda, a entrega da Ordem do Mérito Científico aos cientistas caiu por terra. Eles recusaram a honraria. Algo parecido ocorreu no INEP, onde 33 especialistas se demitiram, por não suportar as orientações autoritárias, de cunho atrasado e direitista. No romance de Gabriel García Márquez, O amor e outros demônios, a pregação da Igreja não lograva moldar a noviça e transformá-la numa religiosa obediente. Aqui, também, a mente das pessoas se rebela, desde a posse, logo depois da eleição. Com 2022 à vista, anuncia-se difícil, senão impossível, impor fantasmas quando a miséria da direção econômica, sob as intervenções de André Esteves junto ao Banco Central, vai causando prejuízos. O mundo, além das nossas fronteiras, assiste ao que fazemos com o nosso país, gradualmente empurrado para o abismo. O encontro de Lula com o novo Chanceler alemão Olaf Scholz e as impressões que este emitiu sobre Bolsonaro e as nossas perspectivas para o futuro, falam bastante alto para que as ignoremos. O parlamentar alemão se expressou mais ou menos assim: É preciso substituir o atual presidente incompetente.

Vemos que os demônios pululam em torno do primeiro mandatário, prejudicando-o nas várias frentes de sua atuação. E os filhos contribuem para atrapalhar. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aos poucos, os fantasmas que moram no Palácio do Planalto e voam em torno de seus vastos espaços, se esborracham nas janelas. É da lógica das fantasias. Elas querem acertar e se esfarelam no chão a cada projeto que nos atira para trás. O Grão-Mestre, com o título concedido a si mesmo, também bate a cabeça naquelas paredes e não consegue acertar. No balanço de sua administração, ficaremos com o que houve de pior em nossa História. Ainda temos, felizmente, gente que pensa e afina o poder da crítica. Estão todos fora do governo, onde só figuram os iguais, conservadores de pobre extração. Aqueles não compõem o governo, mas continuam existindo, sem comendas e homenagens. Não precisam delas. De outro modo nos arrastaríamos no chão duro dos fracassos, sem compensações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email