CNJ acolhe denúncia contra juízes da Zelotes

'O juiz Ricardo Augusto Soares Leite nunca autorizou uma só das prisões pedidas pelos procuradores e delegados federais que investigam o bilionário esquema de sonegação de impostos à Receita na Operação Zelotes; ao contrário do juiz Sergio Moro, que prende e arrebenta quem deseja', lembra a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247; 'foram 26 pedidos de prisão preventiva ou temporária, todos negados; ele determinou também o sigilo das investigações para evitar a "desnecessária exposição da intimidade dos investigados perante os meios de comunicação”; isso também, ao contrário do que faz a Lava Jato', acrescenta

www.brasil247.com - 'O juiz Ricardo Augusto Soares Leite nunca autorizou uma só das prisões pedidas pelos procuradores e delegados federais que investigam o bilionário esquema de sonegação de impostos à Receita na Operação Zelotes; ao contrário do juiz Sergio Moro, que prende e arrebenta quem deseja', lembra a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247; 'foram 26 pedidos de prisão preventiva ou temporária, todos negados; ele determinou também o sigilo das investigações para evitar a "desnecessária exposição da intimidade dos investigados perante os meios de comunicação”; isso também, ao contrário do que faz a Lava Jato', acrescenta
'O juiz Ricardo Augusto Soares Leite nunca autorizou uma só das prisões pedidas pelos procuradores e delegados federais que investigam o bilionário esquema de sonegação de impostos à Receita na Operação Zelotes; ao contrário do juiz Sergio Moro, que prende e arrebenta quem deseja', lembra a jornalista Tereza Cruvinel, colunista do 247; 'foram 26 pedidos de prisão preventiva ou temporária, todos negados; ele determinou também o sigilo das investigações para evitar a "desnecessária exposição da intimidade dos investigados perante os meios de comunicação”; isso também, ao contrário do que faz a Lava Jato', acrescenta (Foto: Tereza Cruvinel)
Siga o Brasil 247 no Google News

O juiz Ricardo Augusto Soares Leite nunca autorizou uma só das prisões pedidas pelos procuradores e delegados federais que investigam o bilionário esquema de sonegação de impostos à Receita na Operação Zelotes. Ao contrário do juiz Sergio Moro, que prende e arrebenta quem deseja. Foram 26 pedidos de prisão preventiva ou temporária, todos negados. Ele determinou também o sigilo das investigações para evitar a "desnecessária exposição da intimidade dos investigados perante os meios de comunicação”. Isso também, ao contrário do que faz a Lava Jato.

Agora, entretanto, a  Corregedora Nacional de Justiça, ministra Nancy Andrighi, determinou a notificação do referido  juiz, responsável pela 10ª Vara Federal do DF, onde tramita o processo da Zelotes. A decisão foi motivada por uma representação feita pelo relator da subcomissão da Câmara dos Deputados que acompanha as investigações sobre o esquema de corrupção no Conselho de Administração de Recursos Fiscais (Carf), deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS).

 Pelo esquema, grandes empresas e escritórios de advocacia pagavam propina a membros do Carf, órgão que é a última instância administrativa para discussão tributária entre contribuintes e Fisco. O prejuízo aos cofres públicos pode chegar a R$ 20 bilhões. Em sua representação ao CNJ, Pimenta pediu a abertura de sindicância para apurar a conduta do juiz, criticado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal de prejudicar a apuração dos fatos.  O juiz terá 15 dias para prestar informações.

 

PUBLICIDADE

 

PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email