Com grito de “Bolsonaro somos nós”, adaptação de Heil Hitler, paraquedistas fardados fazem saudação nazista ao presidente

"Se o conteúdo das imagens incomodasse Bolsonaro e ao seu grupo político, cuidados já teriam sido tomados para que novas imagens dessas não fossem produzidas ou circulassem", diz o jornalista Renato Rovai. "O vídeo foi divulgado nas redes de Bolsonaro sem nenhum constrangimento", afirma. "A saudação nazista é a marca de uma submissão a líderes sanguinários"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O vídeo desta matéria não deixa margem à dúvida. A saudação utilizada ontem no Palácio do Planalto por um grupo de paraquedistas veteranos é uma adaptação da saudação nazista ao führer na Alemanha dos 30 e 40 e que também era utilizada pelo partido fascista na Itália para saudar Mussolini.

Em roupas militares, o grupo que esteve ontem no Palácio não é o primeiro a produzir esse conteúdo imagético do braço direito levantado em direção ao “líder supremo” da Nação.

Bolsonaro e seus comunicadores vêm estimulando este conteúdo já há algum tempo. A maioria dessas imagens divulgadas pelas redes são de líderes religiosos que ao orar ao “líder supremo” estendem a mão direita em sua direção. Por este motivo, até a tarde de ontem alguns consideravam exagero afirmar que havia uma intenção clara de reprodução da saudação nazista nesses encontros na frente Palácio.

Mas o fato concreto é que se o conteúdo das imagens incomodasse Bolsonaro e ao seu grupo político, cuidados já teriam sido tomados para que novas imagens dessas não fossem produzidas ou circulassem.

Ao contrário, o grupo de paraquedistas veteranos fardados que esteve ontem na frente do palácio ensaiou a saudação e usou uma variação de Heil Hitler, o “Bolsonaro Somos Nós”. Todos em torno do líder reafirmando o compromisso em torno dos seus ideais.

O vídeo foi divulgado nas redes de Bolsonaro sem nenhum constrangimento. A saudação nazista é a marca da violência. É a marca de uma submissão a líderes sanguinários. A pessoas que levaram suas nações a desastres humanitários. Que será o destino do Brasil se continuarmos a fazer de conta que atos como este de ontem são normais. Se continuarmos a naturalizar a barbárie e o fascismo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email