Conexão da família do PM Queiroz envolve Jair, Michele e Flávio Bolsonaro

"O assessor parlamentar, motorista e segurança de Flávio Bolsonaro, PM Fabrício José Carlos de Queiroz, fez movimentações de RS 1,2 milhão em sua conta bancária no período de um ano. Uma das transações de Queiroz é um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama Michele Bolsonaro", informa o colunista Ricardo Kotscho, um dos jornalistas pela democracia. "A Polícia Federal já foi acionada para entrar nestas investigações do Coaf sobre as movimentações bancárias da família do PM?"

Conexão da família do PM Queiroz envolve Jair, Michele e Flávio Bolsonaro
Conexão da família do PM Queiroz envolve Jair, Michele e Flávio Bolsonaro

Por Ricardo Kotscho, para o Balaio do Kotscho e o Jornalistas pela Democracia O assessor parlamentar, motorista e segurança de Flávio Bolsonaro, PM Fabrício José Carlos de Queiroz, fez movimentações de RS 1,2 milhão em sua conta bancária no período de um ano.

Em relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), o país foi informado que uma das transações de Queiroz é um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama Michele Bolsonaro.

Nesta sexta-feira, também pelo Estadão, ficamos sabendo que a filha do PM, Nathalia Melo de Queiroz, era assessora do deputado federal e presidente eleito Jair Bolsonaro.

Por uma estranha coincidência, pai e filha foram exonerados dos respectivos gabinetes no mesmo dia 15 de outubro, entre o primeiro e o segundo turnos da eleição, quando a vitória de Bolsonaro já era dada como certa.

Tudo é muito estranho nesta conexão entre as famílias Bolsonaro e Queiroz, e a cada dia surgem novas revelações.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela democracia)

Nathalia é citada em dois trechos do relatório, segundo o Estadão:

"O documento não deixa claro os valores individuais das transferências entre ela e seu pai, mas junto ao nome de Nathalia está o valor de R$ 84 mil. A filha do PM foi nomeada em dezembro de 2016 para trabalhar como secretária parlamentar no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara".

Quem deu os furos foi o Estadão, mas a ligação das famílias Bolsonaro-Queiroz só virou manchete de jornal hoje na Folha.

O Jornal Nacional, é claro, ignorou solenemente a denúncia sobre os Bolsonaro porque continua se dedicando apenas a dar ampla cobertura às delações de Palocci contra Lula e seu filho Luiz Claudio.

No dia 1º de janeiro, o Coaf passará para o Ministério da Justiça, sob o comando do super-xerife Sergio Moro, para quem confiança é tudo.

Alguém acredita que este assunto sobreviverá no noticiário até a posse do novo governo?

A Polícia Federal já foi acionada para entrar nestas investigações do Coaf sobre as movimentações bancárias da família do PM?

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela democracia)

Sem tocar no assunto, Jair Bolsonaro postou nas redes sociais fartos elogios a outro filho, Carlos, vereador no Rio, que hoje faz aniversário:

"Meu pitbull, obrigado por sempre estar por perto, jamais querendo aparecer ou ter ganhos pessoais (...) Quem dera todo pai tivesse um filho como esse. Se enganam os que creem que irão nos separar".

Carlos Bolsonaro, na Câmara Municipal, e Eduardo Bolsonaro, na Assembléia Legislativa, já prestaram homenagens por serviços prestados ao PM Fabrício Queiroz.

Por enquanto, fica tudo em família.

Ainda faltam 24 dias para a posse.

Bom final de semana a todos.

Vida que segue.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela democracia)

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247