Copa: atrasos não são exclusividade do Brasil

Nas Olimpíadas de Los Angeles, em 1984, na corrida da tocha olímpica da abertura, quando o corredor adentra no Estádio Olímpico ele passa por um operário em uma escada terminando de pintar uma das paredes internas

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

No que tange aos atrasos das obras para a Copa, trago uma reflexão.

Em 2012, estive em Londres a três semanas das Olimpíadas que seriam lá realizadas. Apesar de não ter muita informação de como chegar na sede dos jogos, eu consegui achar o caminho pelo metrô e, depois, peguei um ônibus até o Parque Olímpico.

Na minha expectativa de pontualidade britânica, pensei que tudo estaria já pronto e faria um passeio interessante. Qual não foi a minha surpresa ao ver que, a três semanas das Olimpíadas, a área ainda era um GIGANTESCO CANTEIRO DE OBRAS. E, pela quantidade de coisas que teriam que ser feitas, não saberia como iriam concluir a tempo .

Perguntei a um dos engenheiros que estava passando e ele me disse que teriam três equipes, em turnos de 6h, para fechar o cronograma das olimpíadas.

E a imprensa lá elogiando a velocidade das obras...

Nas Olimpíadas de Los Angeles, em 1984, quem quiser veja: na corrida da tocha olímpica da abertura (isso mesmo, da abertura), quando o corredor adentra no Estádio Olímpico ele passa por um operário em uma escada terminando de pintar uma das paredes internas.

Temos problemas de corrupção? Sim. Tem que ser investigado e punido. Mas a corrupção não acontece apenas no Brasil. Nos EUA tem-se muita corrupção; a diferença lá é que não existe foro privilegiado e há uma investigação mais rigorosa. Há governador de NY respondendo e, salvo engano, condenado por corrupção. Prefeitos, são centenas . O Pentágono é um poço de irregularidades . Há o caso da compra de milhares de parafusos que custavam menos de um dólar, mas que foram lá licitados por mais de 70 dólares. Tudo sendo investigado.

É muito complexo de inferioridade achar que tais coisas acontecem apenas no Brasil.

Em Edinburgh, capital da Escócia, há um projeto de VLT inacabado que atormenta a população há 06 anos . Manchas de superfaturamento, mandados de suspensão, tudo ocorrendo por lá também. O escocês se envergonha do fato, mas não de ser escocês.

Nossas obras atrasaram? Sim. Houve corrupção? Provavelmente, sim. E espero que seja duramente investigada. Mas não vou deixar de ser brasileiro e de ter orgulho de meu país e de minhas tradições, não vou deixar de torcer pela minha seleção que, aliás, é mundialmente admirada. Terminada a copa, vem as eleições. E eu pergunto aos amigos de que forma irão votar para deputados e senadores. Porque, tão importante quanto o Executivo, o nosso Legislativo é quem decide os tipos legais de combate à corrupção – temos que atualizá-la para os anseios da população. Essa sim, é uma das maiores bandeiras nacionais. Dêem chance a quem merece chance.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247