Coronavírus, a economia é que deve salvar o povo e não o contrário: vejam propostas imediatas para o governo e empresários

O governo federal deveria cobrar e incentivar esta posição da chamada elite financeira e também apoiar o povo. Que não venham com paliativo marqueteiro, ganhando mais com a desgraça alheia

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Não precisa ser economista para pensar em medidas que o governo e a elite financeira deveriam tomar, mas o Bem Blogado ouviu economistas e socíólogos para fazer as propostas que vão abaixo. Vejam ações que poderiam ser empreendidas imediatamente. 

Os banqueiros, os milionários e bilionários deveriam abrir mão de um quinhão de suas fortunas para que o povo não morra nem de coronavírus e nem de fome, uma forma perversamente colateral. Taxação de fortuna, para eles, é pior do que pegar coronavírus.  Mas vamos falar aqui de ações mais imediatas, pois o vírus já está nas ruas e bate à nossa porta.

Banco divulga que, devido a pandemia de coronavírus, irá estender o pagamento de empréstimos para até 60 dias, com os mesmos juros de agiotas legalizados.  E só para quem está pagando pontualmente. É pouco, é quase nada, é nada.

Enquanto grandes países tomam a iniciativa de apoiar financeiramente os trabalhadores em recolhimento, o governo brasileiro nada faz neste sentido. Pior, ameaça com a manutenção de comércio e fábricas em funcionamento.

O governo federal deveria cobrar e incentivar esta posição da chamada elite financeira e também apoiar o povo. Que não venham com  paliativo marqueteiro, ganhando mais  com a desgraça alheia.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247