Croácia tem que ser excluída da Copa

O colunista do 247 Alex Solnik destaca a Croácia deve ser eliminada da copa do Mundo na Rússia por apologia ao nazismo; "Não importa se ela tem bons jogadores ou que mereça vencer em campo, ela tem que ser impedida de continuar enaltecendo um regime criminoso que matou milhões e milhões de crianças, jovens, adultos e anciãos em câmaras de gás apenas por serem judeus, gays ou ciganos", diz; "Eu sou ucraniano e sei o que aconteceu na terra em que nasci", enfatiza; "Não podemos permitir que aconteça de novo. Não passarão", afirma

Croácia tem que ser excluída da Copa
Croácia tem que ser excluída da Copa

Minha filha de 21 anos desceu a escada correndo e gritando: "A Croácia tem que ser eliminada da Copa! Eles estão fazendo apologia do nazismo"! E ela tem razão. Um dos integrantes da comissão técnica já foi expulso da Rússia por isso. Essa seleção já entrou em campo com uma enorme suástica durante a Eurocopa. Leia na coluna do Juca Kfouri que "croatas seguem enaltecendo o nazismo na Rússia". Não importa se ela tem bons jogadores ou que mereça vencer em campo, ela tem que ser impedida de continuar enaltecendo um regime criminoso que matou milhões e milhões de crianças, jovens, adultos e anciãos em câmaras de gás apenas por serem judeus, gays ou ciganos. Pessoas que enaltecem assassinatos em massa, que fazem apologia do genocídio têm que ser excluídas de ambientes civilizados porque só assim é possível estancar a disseminação do ódio. Quando o tal do Vida, aquele jogador croata que usa um rabo de cavalo fez saudações à Ucrânia depois de fazer um gol, eu estremeci. Eu sou ucraniano e sei o que aconteceu na terra em que nasci. Os ucranianos se aliaram covardemente aos nazistas invasores. E adotaram os seus métodos e noções idiotas como a da "raça pura". Na pequena cidade em que eu morava, Drogobytch foi erguido um campo de extermínio, que não ficou tragicamente célebre como os da Polônia e da Alemanha, mas onde foram assassinados todos os judeus que moravam lá. Dentre eles, um brilhante escritor chamado Bruno Schultz, considerado por muitos críticos o Kafka da Ucrânia. Quando Vida gritou "glória à Ucrânia" estava glorificando genocidas. Mais do que isso, estava desejando a volta de genocidas. Não podemos permitir que aconteça de novo. Não passarão.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247