Demorou, mas saiu!

A família Campos tem todo direito de usar o espaço público para dizer a alto e bom som que não vai desistir de governar Pernambuco, Olinda e Recife. Mas eu não posso mais fazer críticas a essa oligarquia familiar

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Quando fui convidado pelo ex-governador de Pernambuco, ainda durante as cerimônias fúnebres da morte de meu saudoso pai, para contribuir criticamente na formulação do programa de governo e na composição de seu secretariado, disse ao ex-mandatário estadual que não imitasse o seu antecessor raivoso, me processando por críticas e reparos à sua gestão. Hoje, vejo que a promessa feita, naquela ocasião, por Eduardo Campos não se cumpriu. Acabo de saber, através do Blog do Jamildo, que apesar de respeitar a chamada "liberdade de expressão", o advogado, irmão do ex-governador e pré-candidato à Prefeitura de Olinda, vai ajuizar uma interpelação judicial sobre o conteúdo do artigo publicado neste Blog: "não vamos desistir de vocês". Vamos ver se entendi. A família Campos tem todo direito de usar o espaço público para dizer a alto e bom som que não vai desistir de governar Pernambuco, Olinda e Recife. Mas eu não posso mais fazer críticas a essa oligarquia familiar, sob o risco de responder a uma interpelação judicial sobre o que eu disser.

Se a regra tem reciprocidade, por que quando o senhor "Juninho Matuto" atacou a minha honra pessoal, com injúrias e difamação, a serviço dessa mesma oligarquia o dono do jornal, onde foi veiculada a matéria, não permitiu o direito legal de resposta? - O senhor Campos, do alto de seu saber literário e jurídico acha que pode contar com os serviços de um apaniguado para ofender, humilhar, enxovalhar a honra dos críticos da gestão do seu falecido irmão, e ele - pretenso candidato à Prefeitura de Olinda - não pode ser alvo de nenhuma crítica? Acha mesmo o ilustre filho do escritor Renato carneiro Campos que vai entrar na vida pública, disputando um cargo majoritário, sem receber nenhuma criticazinha, pelo menos? - Está redondadamente enganado. A administração pública obedece a princípios constitucionais: impessoalidade, legalidade e transparência. Como compatibilizar esses princípios com a atitude, pouco republicana, de utilizar o nome da família para disputar e ocupar cargos na adminstração municipal e estadual? Desde quando utilizar a tipologia weberiana ou o conceito da sociologia americana de "familismo amoral" é uma ofensa à honra de quem quer que seja, senão às pretensões de caudilhos, chefes políticos e oligarcas? - Para esses, a liberdade de imprensa é uma licença poética apenas utilizada por eles para detratar os adversários e a justiça, uma forma de intimidação dos críticos. E olhe que a admoestação feita pelo advogado/literato estende-se ao Blog do Jamildo, dizendo abertamente que tenha cuidado com o que vem publicando (contra ele). É isso a liberdade de imprensa, em Pernambuco? - O direito de usar a mídia impressa e eletronica para malbaratar a integridade moral dos críticos e uma forma de propagandear o interesse pela dominação familiar da política de nosso estado?

Quem disse que o irmão do ex-governador usou a sua proximidade com o governo do estado para obter recursos destinados aos convescotes literários de Olinda, não fui eu. Foi o correspondente da Folha de São Paulo, em entrevista no Shopping Center Recife. E ele disse mais: o governador retaliou a matéria por ele publicada na Folha, sobre essa privilegiada relação político/familiar. Só repeti uma informação que já vinha sendo repetida em vários lugares.

Também não afirmei que o citado advogado e pré-candidato usa o prestígio (e o poder) da família para arrecarda dinheiro junto a empresas que prestam serviço ao Estado. Só disse que não se deve fazer isso, porque é crime contra a administração pública. Está aí o escândalo da Petrobrás, onde o irmão de Campos aparece mencionado nos depoimentos como beneficiário da bagatela de 20.000.000,00, nas obras de construção da Refinaria Abreu e Lima. Nunca afirmei que o doutor Campos tenha sido beneficiado por essa dinheirama. Certamente, com o seu prestígio literário, jurídico e familiar, ele não deve ter dificuldades para arranjar financiadores para seus projetos editoriais e congressuais.

Também não fui eu que disse que o senhor Antonio de Campos, neto de Miguel Arraes e irmão de Eduardo Campos, já foi arrecardadou de campanha eleitoral. A informação foi prestada por um conhecido político do psdb de Pernambuco, na época que o jornalista Eurico Andrade, da VEJA, estava colhendo informações para a matéria publicada na revista: "Uma biografia arranhada", sobre Miguel Arraes e o escândalo dos precatórios. Se ele continuou ou não nessa importante tarefa político-literária, não posso dizer e nem disse.

Agora o que não se pode negar é a presença contínua, permanente, constante da nobre figura do advogado, da viúva e da própria família do ex-governador nos eventos políticos do estado. Nos funerais de Eduardo Campos, nos out-doors da cidade, no programação nacional do PSB, nas tratativas do lançamento de Marina Silva à Presidencia da República etc. Isso não é propriamente atitude de luto, tristeza pela morte de um ente querido. É EXPLORAÇÃO POLÍTICA DE UMA TRAGÉDIA PESSOAL PARA FINS ELEITOREIROS, que aliás rendeu muito dividendos e que o advogado espera que continue rendendo (para ele e sua família).

É crime afirmar que "o rei está nu"?

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247