Depois de Lula no JN, nada será como antes na campanha

"'O senhor não deve nada à Justiça': reconhecimento foi o divisor de águas da entrevista e têm enorme potencial para influenciar a campanha", diz Bepe Damasco

www.brasil247.com - Lula, William Bonner e Renata Vasconcellos
Lula, William Bonner e Renata Vasconcellos (Foto: Reprodução)


Antes de sua performance segura, envolvente, propositiva e espirituosa, na entrevista ao Jornal Nacional, Lula deparou como uma frase surpreendente de William Bonner, logo na introdução à primeira pergunta:

“O senhor não deve nada à justiça”.

Este reconhecimento não só foi o divisor de águas da entrevista, como também têm enorme potencial para influenciar a campanha daqui para frente.

Isso não é pouca coisa.

Líder da caçada ao ex-presidente, o Grupo Globo acabou se curvando às evidências escancaradas pela suspeição de Moro e a inocência de Lula atestada em 21 processos pelo Judiciário.

Para além de ter poupado Lula de detalhar cada uma dessas sentenças, empreitada para a qual havia se preparado, o fato de a Globo ter “enfiado a viola no saco” joga um balde água gelada sobre a estratégia de campanha de Bolsonaro, centrada em tentar colar em Lula a pecha de corrupto.

De quebra, manieta e isola ainda mais o desesperado Ciro Gomes, que não sabe fazer outra coisa na campanha que não seja ofender Lula.

Vencida a etapa da entrevista ao JN, Lula parte ainda mais seguro e relaxado para o primeiro debate, neste domingo, na Band. Até adversários admitem que Lula caminha a passos largos para a vitória.

E com chances reais de liquidar a fatura no primeiro turno.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247