Discurso de Bolsonaro exige resposta do TSE para garantir segurança da urna eletrônica

Sob pena de estar coonestando com Jair Bolsonaro, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Rosa Weber, precisa se pronunciar com urgência, de preferência em rede nacional de rádio e televisão, para rebater o discurso que o presidenciável fez neste domingo

Discurso de Bolsonaro exige resposta do TSE para garantir segurança da urna eletrônica
Discurso de Bolsonaro exige resposta do TSE para garantir segurança da urna eletrônica (Foto: REUTERS/Diego Vara)

Sob pena de estar coonestando com Jair Bolsonaro, a presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Rosa Weber, precisa se pronunciar com urgência, de preferência em rede nacional de rádio e televisão, para rebater o discurso que o presidenciável fez neste domingo (16) do seu leito do Hospital Albert Einstein, quando voltou a colocar em dúvida a segurança do processo eletrônico de votação.

Apontando a projeção para o segundo turno das pesquisas eleitorais, que dão como certa sua derrota na eleição, Bolsonaro afirmou que sem a obrigatoriedade do voto impresso há uma chance grande de fraude nas eleições de outubro. Ao colocar em dúvida a lisura do pleito, o candidato do PSL levanta suspeição sobre a idoneidade da própria Justiça Eleitoral, exigindo um esclarecimento do TSE.

"A narrativa agora é que perderei no segundo turno para qualquer um. A grande preocupação não é perder no voto, é perder na fraude. Então, essa possibilidade de fraude no segundo turno, talvez no primeiro, é concreta", disse o candidato da extrema direita repetindo por antecipação o discurso de Aécio Neves (PSDB) em 2014, quando perdeu a eleição para a presidenta Dilma Rousseff.

Bolsonaro gravou o vídeo dirigido aos seus eleitores deitado numa cama do hospital, onde procura de forma dramática aparentar esforço ao pronunciar de forma pausada suas palavras, contrastando com o desembaraço com que se apresentou no vídeo gravado na noite anterior, no sábado (15), quando aparece caminhando, conversando, sorrindo e brincando com a equipe médica que o acompanha.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247.Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247