CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Ivan Guimarães avatar

Ivan Guimarães

Economista pela PUC-SP com especialização em politicas publicas pelo IE - Unicamp

14 artigos

blog

Doces batatas de Gaza

"As doces batatas de Gaza foram destruídas, sem que pudessem oferecer seu sabor aos Israelenses"

Imagem Thumbnail
(Foto: Divulgação)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

As batatas surgiram ao sul da cordilheira dos Andes, há aproximadamente 15 mil anos. Ha vestígios de cultivo pelos Maias de 8 mil a.c. Chegaram a Europa em 1570 e de lá tomaram o mundo.

Gaza é uma cidade que remonta ao séc. 15 a.c. Hoje está localizada e empresta o nome a Faixa de Gaza. É um quadrilátero entre Israel, Egito e o Mar mediterrâneo.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Gaza é habitada por 2,5 milhões de palestinos. Essa população gerava um PIB de US$ 3 bi. É um dos lugares mais miseráveis do mundo.

Seria bem razoável supor que a Faixa de Gaza acabasse desenvolvendo relações econômicas com Israel. E isso vinha lentamente ocorrendo. Perto de 20 mil residentes em Gaza tendo autorização para trabalhar em Israel. E pelo comercio, com as importações de produtos agrícolas de Gaza por Israel.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O relacionamento econômico entre os dois povos poderia colaborar para, somado a outras iniciativas, o estabelecimento de um processo de negociação que resultasse no cessar dos conflitos. É claro que por si só o comercio não seria capaz de sustentar essa inversão nos rumos do conflito.

Embora o Governo Israelense tenha retirado suas tropas e colonos (9.000) de Gaza em 2005, na certeza que região seria controlada pela Autoridade Nacional Palestina, a eleição do Hamas em 2007, com a política de confronto com Israel, acabou por levar ao embargo comercial da região.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Uma crise no abastecimento agrícola, em 2012, revelou a complexidade das relações entre os dois povos.

O rabino e ex - parlamentar Yaakov Litzman, líder do partido ultraconservador “judaísmo Unido do Torah” solicitou por carta ao Ministro da Agricultura de Israel, Oded Forer, a importação de batata-doce da Faixa de Gaza, para sanar a escassez do produto.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“A política que empreguei desde o início de meu mandato … é não importar bens em geral – bens agrários, em particular – da Faixa de Gaza, além das importações existentes, aprovadas antes de minha posse”, declarou Forer em carta encaminhada a Litzman.

Mais adiante Forer diz que faz isso pelos ”irmãos” (soldados) detidos em Gaza. E que um pedido semelhante da Comunidade Européia para a liberação de Morangos, também foi negado.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

As áreas agrícolas em Gaza passaram por descontaminação de explosivos, que poderiam contaminar a produção, além do nivelamento do solo bombardeado.

Essa produção não vendida a Israel ou apodrece nas lavouras ou é distribuída aos moradores. Os prejuízos aos agricultores são imensos, o que inviabiliza qualquer aumento da produção.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O massacre 07/10/2023 levou a radicalização dos embargos de Israel a Gaza. O resultado disso: as doces batatas de Gaza foram destruídas, sem que pudessem oferecer seu sabor aos Israelenses.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO