dwedwedwdwdwe

Ao comentar o risco de Bolsonaro ganhar a eleição, o professor Manif Estochediz diz que é uma  jornada de alto risco viajar no interior da cabeça do presidenciável. "Podemos não voltar e ficarmos vagando dentro do crânio do Bolsonaro, ouvindo seus discursos pela eternidade..."

dwedwedwdwdwe
dwedwedwdwdwe

No afã de esclarecer os grandes mistérios do Brasil contemporâneo -- entre os quais a broxura pré-Copa e o projeto de governo de Jair Bolsonaro -- procuramos o professor Manif Estoche, pesquisador da universidade da Cornualha, maior estudioso mundial da paranormalidade, além de expert em almas penadas, assombrações variadas e percepção extrassensorial. Fomos encontrá-lo no seu covil nas imediações da avenida Paulista, onde aplica banhos de descarrego em damas de fino trato, cujas mansões costuma visitar na ausência dos maridos, supostamente para exterminar poltergeists.

P – Professor, deixamos de ver aquela gente vestida de amarelo batendo panelas. Você tem alguma pista dos patos, das patas e das suas panelas?

R – (Olhos cerrados, entrando em transe e gesticulando sobre sua bola de cristal. Pausa. Após alguns instantes começa a falar com voz melíflua) Caro consulente, a resposta precisa ser dividida: 1) Os patos e patas pobres estão debaixo da cama. Não querem ver ninguém. Além de perderem seus empregos, sofrem de uma alergia que lhes causa coceira desesperadora deixando-os em carne viva cada vez que ouvem frases como "Somos todos Cunha", "Ponte para o Futuro" e "Vem pra Rua"; 2) Os patos e patas ricos que não fugiram para Miami estão congestionando as clínicas de cirurgia plástica. Querem trocar de cara...3) Um terceiro grupo aderiu a Bolsonaro e acha que Alexandre Frota é o nome ideal para ser ministro da educação...

P – E as panelas?

R- Seguiram o conselho de Marisa Letícia e as enfiaram no rabo. Por isso também desapareceram.

P – Falta pouco mais de uma semana para a Copa do Mundo e, fora a mídia vendendo seu peixe, ninguém está dando a mínima. Não tem ninguém de camiseta verde e amarelo nas ruas...

R – Ôrra, meu! Você não sabe? Foram todas vendidas!

P – Todas? Mas como? Não se vê nenhuma!

R – Como estavam encalhadas, foram vendidas para a Austrália que tem as mesmas cores e camisetas. Foi uma exportação monstruosa. Bateu a soja no primeiro semestre! Lá o torcedor não tem vergonha de vestir porque ninguém vai pensar que é um pato pateta que (cantarolando) "quebrou a tigela e foi pra panela..."

P – Outro mistério impressionante é o sumiço daquelas camisetas do PSDB dizendo "Eu não tenho culpa. Eu votei no Aécio". Sabe onde encontrar alguma?

R – (Novamente imerso em transe, olhos semicerrados) Recebo informação neste momento indicando que 97,8% delas são hoje panos de chão, com exceção de duas que Ronaldo Fenômeno e Luciano Huck usam quando vão visitar o Aécio. As restantes estão no Mercado Livre sendo vendidas por R$ 2,00 a unidade. Mas não têm comprador.

P – Outro grande enigma refere-se à situação do Cunha. Está mesmo preso?

R –(Inspirando fundo e friccionando as têmporas) Deixe-me ver. Minha bola está atravessando uma turbulência...Ah, encontrei! Neste momento exato, Cunha dá umas braçadas na piscina que Moro mandou construir para ele. Esta bola de cristal de 50 gigas, quatro turbinas, teto solar e seis marchas é mesmo notável. Vejo tudo em tempo real. Agorinha, um dos eunucos que o Moro contratou para abaná-lo está lhe alcançando uma toalha, está se deitando na espreguiçadeira, sob uma palmeira. Neste exato instante, estalou os dedos e o garçon chega com a bandeja trazendo o seu drinque que, daqui onde vejo, parece um daiquiri...Sim, ele está preso.

P - Há o risco do Bolsonaro ganhar a eleição. No entanto, ninguém conhece o projeto dele...

R – Sei, você quer que eu viaje até o interior da cabeça do Bolsonaro para ver o que existe lá... Posso fazer isso mas você terá que ser o meu co-piloto. E saiba que é uma jornada de alto risco. Podemos não voltar e ficarmos vagando dentro do crânio do Bolsonaro, ouvindo seus discursos pela eternidade...

P – Credo, senti até um calafrio! Mas como dizia Amaral Neto, o Repórter, "não pergunte o que o jornalismo pode fazer por você mas o que você pode fazer pelo jornalismo!" Pise fundo, mestre!

R – Muito bem, aperte o cinto, leia o folheto com instruções no bolso da cadeira a sua frente e agarre-se bem à bola. E...não, não às suas bolas! À bola de cristal! Isto, agora sim. Em caso de descompressão não cairão máscaras do compartimento superior. Pronto? Então partimos! (Grande estrondo, nuvem espessa de névoa)

P – Que escuridão nessa caverna! E que uivos são esses? Quase não vejo nada... Meu Deus! Há gente dependurada no teto por correntes... O que é aquilo? É uma máquina de esticar pessoas! Tem uns caras sendo espichados numa espécie de tornos! E que mundaréu de gente em paus-de-arara! E quem são esses fortões? Oh, eles estão usando maçaricos nos bagos dos presos! São parrudos de torso nu e bíceps avantajados trazendo tatuagens de corações com dizeres como "Ninguém segura este país", "Mamãezinha Querida" e "Te amo, Maicon"...Onde estamos, mestre?

R – Entramos no cérebro dele pela área de entretenimento, o playground...

P – Ufa, que sufoco! Ainda bem que estamos saindo. Estamos chegando agora num compartimento bem iluminado. É um aposento cheio de espelhos e cabides com peles, chapéus, colares, brincos, mais fantasias de colegial, domadora de circo, tigresa, enfermeira...E lá no fundo tem um corredor com várias portas...Ei, naquela lá tá escrito "Biblioteca"...

R- Vamos entrar. Ué, mas está vazia a não ser por esta caixa de sapatos onde está escrito, deixa ver..."Livros Chatos com Muitas Letrinhas"...

P – Abra, mestre. Vai ver o projeto de governo está aí!

R – (Depois de soprar a poeira da caixa, levanta a tampa) Ora, é pista falsa. Só tem aqui, hum..., uma edição antiga dos Protocolos dos Sábios do Sião, o Mein Kampf e o Almanaque do Tio Patinhas...Ah, e mais esse Cruzadex fácil...

P – ...e no chão encontrei esse álbum de figurinhas "Ídolos do Terceiro Reich". Hum, ficou faltando Himmler, Mengele e Eva Braun...Vai ver que é por isso que ele tem tanta raiva. Não completou o álbum, mestre.

R – Não perca o foco, meu rapaz. Temos que achar o projeto...Ei, estou ouvindo algo. Sim, ele está conversando com alguém. Estamos chegando à área da fala. É uma reunião do comando da campanha! Deixa eu ajustar a imagem. Ok, ele está com o general Mourão, o Alexandre Frota, a Janaína Paschoal, o Malafaia, o Magno Malta, o Marco Feliciano e...

P – ...e os caras do MBL não estão também?

R – Sim, mas no fundo da sala. Cada vez que alguém diz algo que acham supimpa, eles fazem aquela coreografia das cheerleaders, saltando e agitando plumas. Ssshh... agora vamos escutar. Ponha os fones.

P –(batendo na bola, aflito) Meus fones não funcionam, mestre! E agora?

R – Cale-se. Eu repasso pra você. Que sorte a nossa! Ele vai revelar sua primeira medida de governo... Que é, que é... Ah, eu não acredito! Não é possível!

P – Diga, mestre! Diga, por favor, mestre!

R - Ele vai invadir a Rússia! Anunciou que vai erradicar o comunismo da face da Terra! Malafaia, Magno Malta e Feliciano dão-se as mãos, formam uma roda, dançando e cantando "O Bolso é um bom companheiro/O Bolso é um bom companheiro/ O Bolso é um bom companheirooôôô/ Ninguém pode negar". E gritam que vão liquidar com aquela raça de hereges...

P – Macacos me mordam! Continue, mestre!

R - Mas Janaína pede um aparte. Ouviu dizer que o Putin não é comunista e que a URSS não existe mais...Bolsonaro rebate na tampa: "E você acredita nisso, Linda Blair? É tudo um disfarce! Só mudaram o nome, a bandeira e botaram o Putin. Uma vez comuna, sempre comuna. As únicas exceções são o Aloizio, o Jungman e o Freire que viraram a casaca e estão com nossa turma. Abra os olhos, sua desvairada!"

P – Mas mestre, isso é uma loucura!

R – Tem mais: Mourão bate continência e se oferece para comandar a invasão. Malafaia quer ir na frente com um crucifixo erguido no ar e entoando salmos. Os rapazes do MBL estão em êxtase, alguns desmaiam e são abanados... Janaína soluça num canto mas Frota a convida para se somarem ao esforço de guerra e irem juntos divertir as tropas na frente de batalha...Ela topa e dá pulinhos de alegria...

P – Será que farão aquele número fodão da Janaína girando a écharpe acima da cabeça...

R – ... mas agora Feliciano levantou uma questão de ordem: existe muita água para atravessar até chegar à Rússia. Não haviam pensado nisso. Por um breve instante parecem desanimados, tristes. Mas Mourão retruca de pronto: "Qual é o problema? Basta levantar os fuzis acima da cabeça para não molhar a pólvora!" E, subindo em cima da mesa, desembainha a espada e exclama: "Sigam-me os que forem brasileiros!" E todos saem atrás dele cantando "Marcha, soldado/Cabeça de papel/Quem não marchar direito/Vai preso pro quartel".

P – Mestre, vamos partir antes desse buraco negro nos sugar!

R – Sim, meu grumete. Só cruze os dedos para não encontrarmos o Ustra na saída...

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247