Eis um retrato interessante do que é (e como age) a imprensa brasileira

Dois momentos diversos no tempo, mas que representam exatamente o mesmo fenômeno sociopolítico: manifestações nas ruas, em última análise, contra os respectivos governos (em 2013, Dilma; em 2016, Temer). Os editoriais da Folha, no primeiro caso, dá apoio total aos "cidadãos"; no segundo, condenação absoluta aos "grupelhos"

Na imagem, dois momentos diversos no tempo, mas que representam exatamente o mesmo fenômeno sociopolítico: manifestações nas ruas, em última análise, contra os respectivos governos (em 2013, Dilma; em 2016, Temer).

Os editoriais são de lavra do mesmo jornal, que, como todos sabem, não mudou radicalmente de opinião em 3 anos. Na coluna da esquerda, apoio total aos "cidadãos"; na da direita, condenação absoluta aos "grupelhos".

E, desta forma, os leitores brasileiros de jornais (poucos, diga-se, e cada vez menos) seguem se julgando bem informados. Mais do que isso, citam esses veículos de mídia em debates formais ou informais dos quais participam.

P.S.: Independentemente de paixões políticas (ou ódios políticos), qualquer um que, tendo capacidade cognitiva ao menos mediana, não considere uma aberração o que se desnuda nesta imagem, é praticante entusiasmado da mais profunda má-fé.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247