Eleição sem Lula é campeonato sem Corinthians

"Se o Corinthians fosse afastado do campeonato devido a uma acusação injusta, todos os outros times deveriam exigir, para o bem do futebol, que ele fosse incluído. Se Lula for afastado das eleições por uma acusação injusta, todos os outros candidatos deveriam exigir, para o bem da democracia, que ele seja incluído", diz o colunista Alex Solnik

Lula no Piauí
Lula no Piauí (Foto: Alex Solnik)

Eleição sem Lula é como o Brasileirão sem o Corinthians:

1) não vai ter graça. Com o Corinthians na disputa, os corintianos torcem a favor, os palmeirenses, contra; sem o Corinthians, os corintianos não vão ter para quem torcer a favor, nem os palmeirenses vão ter para quem torcer contra; em caso de derrota do Corinthians, os palmeirenses não vão ter de quem zoar; se Lula for afastado, os antilulistas não vão ter de quem zoar se ele disputar e perder e vice-versa, se ganhar;

2) não vai ter legitimidade. O time que ganhar o campeonato sem o Corinthians vai conviver com a dúvida "será que ganharia se o Corinthians estivesse no páreo"?; seu título não terá legitimidade, vai ser meio campeão; o candidato que ganhar as eleições em que Lula for impedido de concorrer vai ter que ouvir para o resto da vida, "será que você ganharia com Lula na parada"?, não terá legitimidade, será meio presidente;

3) a torcida vai ficar mais triste. A alegria do torcedor é o Corinthians. A alegria do eleitor é Lula. Um país triste não vai a lugar nenhum.

A presença do Corinthians é tão importante para o campeonato quanto a de Lula o é para as eleições.

Se o Corinthians fosse afastado do campeonato devido a uma acusação injusta, todos os outros times deveriam exigir, para o bem do futebol, que ele fosse incluído.

Se Lula for afastado das eleições por uma acusação injusta, todos os outros candidatos deveriam exigir, para o bem da democracia, que ele seja incluído.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247