Elite desprezível

Essa elite que nos chama de cagões e apodrecidos, não sabe o quanto cheira mal, não percebe como é desprezível aos olhos dos homens e mulheres simples e humanos

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A idosa fútil, mesquinha, sem empatia e bolsonarista que fez o vídeo no calçadão da praia de Copacabana, é muito valente dentro de seus preconceitos.

Ela é integrante da ala fascista de empresários e/ou vagabundos ricos que apoiam a pena de morte, a redução da maioridade penal, a carteira   verde e amarela, a reforma da previdência, o congelamento de verbas com saúde e educação por vinte anos.

Ela e seu acompanhante são os corajosos que não vivem do salário mínimo, de uma moradia do Minha Casa, Minha Vida e do Bolsa Família.

Os filhos e netos do casal ‘fodão’ não precisam da escola pública, Cotas, ENEM, FIES, ou primeiro emprego.  

As políticas educacionais não interferem no curso de suas trajetórias, a falta delas sim, porque afastam a concorrência e, consequentemente, fomentam a mão-de-obra desqualificada que garante suas viagens, contas correntes e propriedades.

É razoável que a idosa caminhe por uma das orlas cariocas sem proteção contra o coronavírus porque, assim como o presidente, além do ‘histórico de atleta’, tem leito com respirador nos principais hospitais do país.

Essa elite que nos chama de cagões e apodrecidos, não sabe o quanto cheira mal, não percebe como é desprezível aos olhos dos homens e mulheres simples e humanos.

“Come Ananás, mastiga perdiz. Teu dia está prestes, burguês”. (W.M.)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247