Em defesa da meia-entrada

Os estudantes tem sido linha de frente nas lutas contra o obscurantismo, em defesa da vida, da educação e da democracia e Bolsonaro nos teme justamente porque somos capazes de derrubar projetos contra os interesses do povo brasileiro. Em defesa da Meia-entrada!

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Nessa segunda-feira (04), o Ministério da Economia, chefiado por Paulo Guedes, anunciou que deseja extinguir a carteira de meia-entrada. Alegando que objetivo de facilitar o acesso a bens culturais à camada da população menos privilegiada em termos sociais e econômicos não está sendo alcançado.

A meia-entrada é garantida a estudantes, jovens de baixa renda, pessoas com deficiência e adultos com mais de 60 anos. A estimativa da ANCINE (Agência Nacional de Cinema) é que quase metade da população brasileira (96,6 milhões) se enquadre nesses critérios. Algumas leis de Estados ou de municípios garantem esse direito também para professores. 

A proposta de Bolsonaro e Guedes não é ampliar o direito histórico dos estudantes, mas justamente atacar o acesso à cultura, esporte e lazer, impedindo milhões de estudantes de frequentarem cinemas, teatros e outras atividades que complementam a formação dos estudantes no país inteiro.

Outra ‘’justificativa’’ para o ataque é que existem fraudes na meia-entrada. Pois nesse caso as fraudes devem ser combatidas com mais fiscalização e não com o fim de um direito conquistado lá na década de 40.

Paulo Guedes tenta também vender a ideia de que, extinguindo a meia-entrada, o ingresso seria barateado, uma verdadeira balela: já vimos esse filme na reforma trabalhista, que geraria milhões de empregos (hoje temos mais de 12 milhões de desempregados no país) e até mesmo no caso da taxa para despachar bagagens aéreas, sobre a justificativa de diminuição de preços. Dessa vez não vai colar.

Depois da derrota da MP que retirava o direito das entidades estudantis de emitir as carteiras, agora Bolsonaro tenta, em meio a uma pandemia que ceifou mais de 94 mil vidas no Brasil, acabar com a democratização do acesso à cultura e com o financiamento das entidades estudantis. Não vamos permitir!

Os estudantes tem sido linha de frente nas lutas contra o obscurantismo, em defesa da vida, da educação e da democracia e Bolsonaro nos teme justamente porque somos capazes de derrubar projetos contra os interesses do povo brasileiro. Em defesa da Meia-entrada!

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247