Ex-bolsonarista denuncia que Olavo de Carvalho arma guerra civil no Brasil

É aterrador que a oligarquia dominante entregue o destino da nação e de todo povo brasileiro a um governo genocida como o de Bolsonaro-Mourão, empenhado em causar o morticínio entre irmãos e irmãs, diz o colunista Jeferson Miola

Bolsonaros postam vídeo do guru Olavo contra militares e botam fogo no cabaré do Planalto
Bolsonaros postam vídeo do guru Olavo contra militares e botam fogo no cabaré do Planalto (Foto: PR | Reprodução )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em vídeo que circulou em grupos de fanáticos bolsonaristas e lavajatistas no WhatsApp [aqui, a partir do minuto 7], um ativista que se identifica como Kazão, que diz que “representava o Nas Ruas lá na terra do Sérgio Moro” e que “coordenava o Zap Bolsonaro, maior grupo de direita que ajudou a eleição do Bolsonaro em 2018”, denuncia que o objetivo do setor bolsonarista do bloco da extrema-direita fascista é promover uma guerra civil no Brasil.

Kazão denuncia a influência de Olavo de Carvalho em setores da militância de extrema-direita.

Ele alerta que “quem manipula toda esta turma é um senhor, o maior f.d.p., com todo respeito às senhoras, é um senhor chamado Olavo de Carvalho. Sabe qual que é o objetivo do Sr. Olavo de carvalho? O mais implícito?”.

E ele então revela que o “objetivo mais implícito” do Olavo “é que o Brasil entre em guerra civil. Ele quer guerra entre o povo brasileiro, entre irmãos, isso é nojento”, diz Kazão.

No vídeo, Kazão ainda comenta que, desde que venceu a eleição, “Bolsonaro tá em eleição até hoje”.

Ele ainda afirma que “O gabinete do ódio existe mesmo, mas é algo além, eu vou fazer um vídeo depois pra explicar o que é o tal do gabinete do ódio”.

É aterrador que a oligarquia dominante entregue o destino da nação e de todo povo brasileiro a um governo genocida como o de Bolsonaro-Mourão, empenhado em causar o morticínio entre irmãos e irmãs.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247