Fachin decide se Petrobras vira embaixada para que Lula não possa se defender e Lava Jato fique salva de seus crimes

A diretoria bolsonarista, que hoje ocupa a Petrobras como se fosse a pior e mais perigosa predadora que a importante e histórica estatal está a enfrentar em sua história, cujo presidente é o fundamentalista do neoliberalismo e entreguista fanático, Roberto Castello Branco, está decidida a desmontar a gigantesca e estratégica empresa pública brasileira

Edson Fachin e fachada da Petrobras no Rio de Janeiro
Edson Fachin e fachada da Petrobras no Rio de Janeiro (Foto: STF | Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Davis Sena Filho

“Caros, conversei 45 minutos com o Fachin. Aha uhu, o Fachin é nosso(!)” — comemorou Deltan Dallagnol, procurador chefe destituído da Lava Jato aos seus colegas de golpe e conspiração contra o ex-presidente Lula e o Governo legítimo da presidente Dilma Rousseff, após encontro com o ministro do Supremo Com Tudo (SCT), o tribunal garantidor e chancelador do golpe de estado de 2016, que vem a ser também a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. O foco é o Lula.

Agora, a diretoria bolsonarista, que hoje ocupa a Petrobras como se fosse a pior e mais perigosa predadora que a importante e histórica estatal está a enfrentar em sua história, cujo presidente é o fundamentalista do neoliberalismo e entreguista fanático, Roberto Castello Branco, está decidida a desmontar a gigantesca e estratégica empresa pública brasileira, que ano a ano, com a direita e a extrema direita no poder, a partir de 2016, é alvo de desmonte criminoso e de lesa pátria, por parte desses mercantilistas fanáticos.

A Petrobras sempre causou ódio a essa direita ordinária, traidora e irresponsável desde sua fundação, em outubro 1953, pelas mãos do estadista e visionário Getulio Vargas. A direita antinacional que viceja no Brasil como cupim a apodrecer madeira nobre. A Petrobras está sendo assaltada em seus ativos, inclusive por meio de acordos com instituições do governo dos EUA, que desde o golpe bananeiro contra Dilma Rousseff influenciam sobre os projetos e as ações da Petrobras, de forma que hoje a estatal atende aos interesses das petroleiras estrangeiras em detrimento dela própria e do povo brasileiro.

Por isso que o bando da Lava Jato e a diretoria fundamentalista do mercado da Petrobras, que cometem crimes em série contra a soberania e a independência do Brasil lutam, nos subterrâneos fétidos e carcomidos da Justiça brasileira, para que o relator da Lava Jato no Supremo Com Tudo, juiz Edson Fachin, julgue favoravelmente que a Petrobras seja considerada uma empresa similar a uma embaixada estrangeira ao invés de ser tratada como uma estatal genuinamente brasileira.

Acredite, cara pálida! É isto mesmo... O juiz Fachin dará veredito sobre o óbvio ululante e talvez o resultado que realmente se pode esperar é que o magistrado considere a Petrobras uma embaixada estrangeira, pois se tratam de juiz, procuradores e diretores de estatal de país terceiro-mundista, cuja poderosa empresa pública está à deriva e à mercê dos interesses estrangeiros e de uma burguesia vagabunda, que desde 2013 destrói deliberadamente o Brasil.

É dessa forma que se comporta a casa grande colonizadora de seu próprio povo e país, como o faz, sistematicamente, os políticos dos partidos de direita, o empresariado tupiniquim economicamente suicida, a imprensa apátrida e de negócios privados e, por fim, os servidores do poder e mando do MPF e Judiciário, que tem a responsabilidade de fazer chicanas jurídicas, lawfares e perseguições políticas, pois a intenção é não fazer justiça, com a finalidade de consolidar o golpe político e o desmonte do estado nacional. Essa gente, na verdade, é a verdadeira inimiga interna de alta periculosidade do povo brasileiro, desde os tempos do estadista Getúlio Vargas.

Então qual é o motivo para que esse processo estúpido ao tempo que de rapinagem política está a acontecer contra a Petrobras e o Lula? Explico: o bando da Lava Jato, um partido político de direita, criado nos porões imundos do MPF e da Justiça Federal de Curitiba com a cumplicidade e parceria do Supremo, assim como a diretoria entreguista da Petrobras trabalham, caninamente, para não entregar aos advogados de Lula os documentos relativos aos acordos selados com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

A Lava Jato e a Justiça deste País atrasado e que vê o futuro pelo retrovisor impedem que o Lula se defenda plenamente de acusações que são verdadeiras aberrações jurídicas, que tem apenas por finalidade mantê-lo sob pressão moral, para tirar-lhe a paz e dificultar que o maior político do Brasil faça política e, por sua vez, não consiga se reportar ao povo brasileiro de forma objetiva e pontual.

Esses pulhas que se vestem de preto, como se fossem viúvos hipócritas da morte do Brasil como civilização, não querem, terminantemente, que Lula fale e faça política. Para isso, o líder de esquerda tem de ser atacado metodicamente pela malta da Lava Jato com o apoio das manchetes da imprensa meramente de mercado. O bando da Lava Jato e a imprensa supremacista, os mesmos que destruíram a economia do País, desempregaram em massa, além de cometer crimes nos porões sórdidos e infames de Curitiba com a cumplicidade de uma mídia oligopolista e porta-voz dos interesses dos Estados Unidos e do mercado financeiro.

A Lava Jato é a ferramenta principal de entrega da Petrobras à gringada malandra, esperta e historicamente golpista. Ponto. E por isso conta com o apoio do Luiz Edson Aha Uhu o Fachin é Nosso, juiz comprometido com o golpe de estado, como muitos do SCT e que, repetidamente, nega aos advogados de Lula todo e qualquer recurso, mesmo os que são plenos de provas de que Lula não cometeu malfeitos tanto na Petrobras quanto em lugar nenhum.

A perseguição mórbida a Lula e sua prisão injusta são um escândalo sem precedentes no que é referente ao Direito, assim como coloca a Justiça deste País desigual e violento no rol dos países bárbaros, com procuradores e juízes que envergonham qualquer povo ou nação que desejam e se esforçam para serem civilizados.

Contudo, voltemos ao assunto principal deste artigo. Inacreditavelmente, a direção da Petrobras, capitaneada pelo subordinado de Jair Bolsonaro, Roberto Castello Branco, para impedir que os acordos entre a Petrobras e o Departamento de Estado dos EUA não sejam compartilhados com a defesa de Lula, resolveu pedir ao Supremo Com Tudo tratamento parecido às embaixadas estrangeiras, ou seja, o juiz Aha Uhu o Fachin é Nosso decidirá, grosso modo, se a Petrobras é embaixada ou empresa pública.

Se for assim, o presidente da Petrobras se tornará um embaixador pária dos EUA incrustado no Brasil, como se fosse um bunker de entreguistas ordinários a serviço dos Estados Unidos, que, na verdade, não querem ser descobertos por suas bandalheiras e atos criminosos que fizeram contra a Petrobras e o povo brasileiro, desde o dia que Dilma Rousseff foi deposta por canalhas dignos de um covil de malfeitores. O golpe foi a maior farsa acontecida na história desta republiqueta de quinta categoria.

Por sua vez, se o lavajatense de corpo e alma, Edson Aha Uhu Fachin, resolver atender os insidiosos que tornarão a Petrobras pária em seu próprio País, realmente é melhor fechar o Brasil e “Com Tudo” dentro, porque, cara pálida, a Petrobras se tornará imune às decisões determinadas pelo Poder Judiciário, o que realmente evidencia-se que o Brasil perdeu o controle de sua empresa mais importante, que está a ser esquartejada e entregue de bandeja ao mercado internacional. Lesa-pátria!

A verdade é que os golpistas que estão no poder não querem que a população, e a esquerda, saibam como e por que a Petrobras teve de pagar mais de US$ 3 bilhões aos investidores estadunidenses. E mais do que isto: por que tais investidores tiveram direito a receber verdadeiras fortunas em detrimento dos interesses do Brasil, bem como saber quem são eles.

A verdade é que esses crápulas não querem que se saiba quem são os brasileiros do governo e fora do dele, que se deram bem e ainda cooperaram para, enfim, após décadas de luta por parte da direita irresponsável e desprovida de projeto de País, o desmonte criminoso de uma megaempresa estratégica para o desenvolvimento do Brasil.

Para quem não sabe, em nome do combate à corrupção em prol da defesa da família, da propriedade e dos bons costumes udenistas, o modelo de exploração do petróleo foi mudado com a tomada do poder central pelo golpista de terceiro mundo, traidor e sujeito abjeto Michel Temer, por meio de projeto do senador José Serra, tucano acusado de inúmeras corrupções e que está quieto para não chamar a atenção quanto à sua figura nauseabunda ou sórdida.

Ao se alterar o modelo de partilha para o de concessão no desastroso governo Temer e radicalizado no governo Bolsonaro, ocorreu com a Petrobras a quebra deliberada de sua cadeia de produção dos setores de gás e óleo, além das refinarias. Por seu turno, o Pré-Sal explorado há dez anos e que começou a produzir em larguíssima escala está sendo entregue de forma muito rápida, poço a poço, de maneira que o dinheiro dessa incomparável riqueza, que seria destinada à saúde e à educação do povo brasileiro, mas que está agora nas mãos das petroleiras internacionais, que se tornaram, sem dar um único tiro, como fazem com os árabes, as donas do petróleo brasileiro.

Agora eu te pergunto, cara pálida: há “elite” mais pusilânime, entreguista, colonizada, ordinária e calhorda do que a “elite” brasileira, que jamais deveria ser chamada de “elite”, mas sim apenas de lacaia dos EUA sem um pingo de vergonha na cara. Cometem crimes sem parar, no decorrer dos séculos, contra o Brasil, que não consegue sair da condição de eterna colônia exportadora agrícola, além de celeiro de mão de obra barata, com índices de violência, pobreza e miséria que deixam até satanás envergonhado. Milhões de brasileiros não têm lugar adequado nem para fazer cocô. É mole ou quer mais? Só para ficar nisso...

Transformar a Petrobras juridicamente em “embaixada” dentro do próprio é o fim da picada, non sense total, bem como se o Supremo Com Tudo (SCT) não quiser ficar na condição de simples repartição pública com o papel deplorável de apenas chancelar o que o governo militarista de Bolsonaro quer, é melhor fechar para balanço.

Para concluir, fico a me perguntar: o que tem tais documentos tão sigilosos trocados entre o Departamento de Estado dos EUA com a Lava Jato? Existe uma trinca aí, exemplificada na Odebrecht, Petrobras e triplex de Guarujá, que é um verdadeiro muquifo, conforme mostrou para o Brasil o MTST sem deixar dúvidas quanto a patifaria de PF, MPF e Lava Jato neste caso escabroso e pleno golpismo barato.

Salutar é lembrar que Sérgio Moro — o Marreco —, que interditou o processo eleitoral e cooperou decisivamente para o golpe de 2016, assim como seu alter ego, Deltan Dallagnol, o autor do PowerPoint leviano e mentiroso contra Lula, que foi absolvido da acusação de ser chefe do “quadrilhão” pela Justiça Federal de Brasília em 2019, nunca comprovaram, de fato, qualquer crime que Lula tenha cometido, até porque o líder trabalhista nunca teve as chaves do imóvel, não possui escritura, jamais dormiu no apartamento e muito menos tem o recibo de compra.

Surreal que os juizes de STF, STJ e TRF-4 continuem a dar corda às mentiras deslavadas praticadas por magistrados, delegados e procuradores levianos e medíocres, uma verdadeira farsa gerada por ovo de serpente, que deveria ser imediatamente extinta pelo Supremo Com Tudo, que está envolvido até a medula com o golpe e a luta política e partidária. Mentiram para o Brasil e o mundo. Trapacearam para efetivar seus projetos de grandeza e poder dignos de doidivanas esquecidas pela civilização. Uma vergonha sem limites e precedentes, que eleva a Justiça brasileira à condição de pária perante as principais Cortes do mundo.

Não querem que os advogados de Lula abram os portais da iniquidade e vilania porque sabem que os acordos documentados pela Lava Jato e o Departamento de Estado cairá por terra e terão de extinguir os processos contra Lula, que para essa gente não pode falar quanto mais ser candidato a presidente. Essa cambada sem eira nem beira, que transformou o Brasil em uma terra sem esperança, dignidade e sonhos, pois não há desenvolvimento, oportunidade e respeito. A Lava Jato é farsa e seus membros golpistas deveriam estar presos. O Supremo Com Tudo, volto a ressaltar, é a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil. É isso aí.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247