Fake news até no Natal

"Uma vergonha para o Brasil, mais uma. Mas não surpreendente: as fake news são parte fundamental do bolsonarismo. E plantar notícias falsas na economia conta com o adicional da 'boa vontade' da mídia corporativa nacional", escreve o deputado federal Rogério Correia

Shopping no centro de Brasília tem movimento intenso no último fim de semana antes do Natal
Shopping no centro de Brasília tem movimento intenso no último fim de semana antes do Natal (Foto: Valter Campanato/BR)

Até os aliados do bolsonarismo sabem que a distribuição de fake news faz parte do jeito Bolsonaro de fazer política e conservar o poder. Nem o Natal foi poupado, como se percebe na informação de que vários lojistas estão contestando os dados sobre alta nas vendas.

Até o Ibope foi obrigado a vir a público para negar que tenha feito pesquisa apontando crescimento nas vendas em lojas de shopping centers neste Natal.

Uma vergonha para o Brasil, mais uma. Mas não surpreendente: as fake news são parte fundamental do bolsonarismo. E plantar notícias falsas na economia conta com o adicional da “boa vontade” da mídia corporativa nacional. Como dados econômicos são muitas vezes de difícil percepção imediata pela população, ela usa e abusa do falseamento na informação. Daí a tal “recuperação econômica” que os brasileiros lêem, vêem e ouvem na mídia desde o início do governo de Michel Temer -- recuperação, porém, que insiste em não dar as caras na vida cotidiano do povo.

O povo sabe na prática o que foi o Natal 2019: infelizmente, muito magro, fruto dos anos Temer e Bolsonaro, ambos os governos executores da mesma política econômica. Aquela que ataca aposentados, ataca salário de trabalhador e ataca direitos. Sob a promessa de gerar empregos e expansão econômica (duas tremendas fake news, como já sabemos!).

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247