Folha de S.Paulo, Estadão e o cenário atual de intolerância e ódio

Articularam-se com o (des)governo Bolsonaro desde o processo eleitoral de 2018



A Folha de São Paulo e o Estado de São Paulo são jornais conhecidos nacionalmente, notadamente pelo projeto político conservador que defendem e pela intervenção social concreta em momentos específicos da história política do país, como a defesa e a participação, a título de ilustração, no golpe civil-militar de 1964. Anos depois, seguindo no seu caminho de apoio e atuação política golpista, tratou de sustentar e legitimar outro golpe, a farsa do impeachment da então presidenta Dilma Rousseff, em 2016, e a farsa jurídica da prisão sem provas do ex-presidente Lula, em 2018. 

Articularam-se com o (des)governo Bolsonaro. E isso se deu desde o processo eleitoral de 2018, quando então trataram de criar/inventar uma imagem de Fernando Haddad como um “poste” e/ou um “personagem político radical” a tal ponto do descalabro de dizerem que entre Bolsonaro e Haddad a escolha seria muito “difícil”. Ou seja, entre um professor universitário, e ex-prefeito de São Paulo, aberto ao diálogo, ao debate plural e a construção de consensos e um defensor da tortura e da ditadura, imagina que escolha difícil seria hein! 

Não obstante tais posições e invenções, recentemente, já no âmbito do desastre desse (des)governo que se instalou no Planalto, os dois jornalões assumiram dois papelões (só para rimar!) que só concorrem para a reprodução/manutenção dos discursos de intolerância e ódio. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O jornal O Estado de São Paulo, em editorial datado de 23 de janeiro de 2022, passou a destilar ataques gratuitos ao ex-presidente Lula, num esforço absurdo em sustentar acusações que foram anuladas pelo Poder Judiciário. E ainda, de resto, acusou o ex-presidente de promover “verdadeira campanha difamatória contra o Judiciário”. Que absurdo! Nenhuma menção ao que efetivamente ocorreu: Lawfare. E muito menos às provas, estas sim concretas, que se tornaram públicas pela “Vaza Jato” e também pelo Walter Delgatti Neto. Não há senso de responsabilidade e nem pudor no Estadão.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já a Folha de São Paulo tem dado espaço em suas colunas para a publicação de artigos racistas, tal qual o artigo de Antônio Risério intitulado “Racismo de negros contra brancos ganha força com identitarismo”, que fala acerca daquilo que não existe: o “racismo reverso”. Indignados, algo em torno de 200 jornalistas da Folha elaboraram uma carta aberta denunciando a “publicação recorrente de conteúdos racistas”. O jornal, então, respondeu aos jornalistas defendendo o artigo de Risério, dizendo que era “liberdade de expressão”! Que “liberdade de expressão” é essa que defende racismo? Será possível que a cúpula do dito jornal não sabe o que é liberdade de expressão? Ou estão agindo como o Estadão, de forma cínica, sem pudor e sem senso de responsabilidade?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As ações dos dois jornais acima expostas apenas revelam e provam que ambos também foram instrumentos no processo de erguimento do cenário de intolerância e ódio que se instalou no país ao longo dos últimos anos. Isto deve ser dito! 

E, ao que parece, querem manter a todo custo o atual cenário para continuar destruindo o país em nome de uma agenda ultraliberal que só os beneficia.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email